Leituras de si e do mundo: comunicação e linguagem como competências fundamentais

Leituras de si e do mundo: comunicação e linguagem como competências fundamentais

Embora a linguagem verbal seja a mais importante de que se utiliza o homem, a não verbal é largamente usada. Isto implica em múltiplas linguagens!

Fui um menino tímido ao longo da minha formação escolar, do primário até o ensino médio. Perdi a conta de quantas vezes deixei de fazer perguntas aos professores por vergonha, ou até mesmo transitar livremente no pátio da escola movimentada com receio de que alguém risse de mim por algum motivo. “Bobo e simples, né”? Pois é! O tímido sempre acha que todos estão viagiando-o e por qualquer motivo alguém rirá dele deixando-o ainda mais consternado. Além disso, a falta de destreza em comunicação social, na maioria das vezes, tende a deixar o tímido ainda mais fechado em si, aguniado por não conseguir se expressar, falar o que sente e pensa.

Contundo, não tenho a pretensão de exaltar um tipo de personalidade ou comportamento em detrimento do outro, dizendo que precisamos ser expansivos e extravertidos em dentrimento de sermos introspectivos e mais contidos. A questão que se apresenta é provocar você a refletir sobre comunicação, linguagem e leitura em seus contextos sociais, e acima de tudo, te incentivar a se desenvolver em termos de comunicação se colocando assim, de forma mais segura e confortável nos desafios das interações. Desenvolver-se nessas competências não é um fim em si mesmo, é uma jornada contínua. Eu continuo na minha jornada e até escrevo e palestro (risos!).

Voltando a minha breve história pessoal, quando me dei conta do quanto a falta de habilidade em comunicação me tolia de oportunidades, tomei a atitude de buscar um repertório maior em termos de comunicação, era a solução que via naquele momento para amenizar meu dilema, esse repertório envolveu uma coleção de folhas de papel, ordenado e reunidas cujos seus dorsos são recobertos por uma capa resistente, ou em outras palavras, encontrei os livros impressos para me ajudarem (risos!).

Passando muito brevimente pela história, desde as pinturas nas cavernas (rupestres), passando pelos primórdios da fala e escrita até chegar na língua como sistema organizado de signos, os conceitos de linguagem, leitura e comunicação tomaram novas dimensões e complexidade, inclusive se valendo de outras área do saber.

Tranto-se de leitura, esta extrapola o sentido de leituras de livros, artigos,  revistas e jornais, a professora, pesquisadora e coordenadora da Cátedra Unesco de Leitura do Brasil, também idealizadora do Programa Nacional de Leitura (Proler) Eliana Yunes (PUC-Rio) cita:

 “Quem não lê não é capaz de escrever, em que língua seja. E não somente nas línguas chamadas naturais, mas também sobsistemas e códigos como os do corpo, na dança; do traço e do volume no espaço, pintura, escultura, arquitetura; do enquadramento do olho na fotografia, no cinema e ainda sob linguagens mais insuspeitas como as do vestiário, da publicidade, do traço das cidades, do comportamento social” (Yunes, 2003, p. 41).

De forma complementar, a escritora, professora, pesquisadora e Doutora em Letras (PUC-Rio) Valéria Pereira comenta que o letramento cultural, este vai além dos muros das escolas envolvendo a oralidade passsando pela leitura-escrita de múltiplas linguagens, contribui significativamente para a formação do indivíduo em termos de identidade, de uma assinatura neste mundo que implica “este sou eu” (Pereira; Ponciano, 2012).

Ainda,a Doutora Valéria, ao se referir à leitura, logo, a linguagem, envolvendo por sua vez o contexto de empresas e partindo da conceituação dada por ela e pela pesquisadora Eliane Yunes, salienta que:

Não é possível desvincular nenhuma atividade da linguagem, nas suas diversas modalidades, pois ela se inscreve nas seqüências de ações com que se concretizam todas as tarefas. Também é inquestionável o importante papel que a linguagem desempenha para o desenvolvimento das competências, sejam tácitas, interpessoais ou técnicas dos colaboradores, ou seja, ela está envolvida em todos os processos empresariais e nos diferentes níveis hierárquicos” (Pereira, 2015).

Sobre a perspetiva da ampliação do conceito de leitura trazida pelas prestigiadas professoras e pesquisadoras citadas, estamos o tempo todo lendo, palavras, textos, comportamentos, signos, enfim, linguagens verbais e não verbais. Já parou para pensar, por exemplo, o que o seu corpo fala? Quando seu amigo está com a cabeça baixa, costas arquiada, olhar perdido e um semblante sério, que leitura você faz dele? Que leitura você faz de si mesmo quando seu coração dispera e um incômodo surgi na região do estômago um pouco (normalmente e para alguns) antes de uma prova, de um encontro importante ou de uma conversa com o chefe?

Já que as leituras são múltiplas, como reflexo, as linguagens também o são. Então, o conceito de comunicação e linguagem vai além da fala e da escrita:

“Linguagem é qualquer sistema de signos que sirvam à comunicação entre os homens. Os signos podem ser visuais, sonoros, gestuais, corporais, fisionômicos, escritos ou vocais. A linguagem articulada que reúne os signos vocais e escritos constitui a língua […]” (Teixeiras, 2007, p. 1). 

Por fim,estudiosos da Comunicação Empresarial, ressaltando ainda mais a importância da comunicação, linguagem e leitura nos vários contextos, tando sociais quanto profissionais, advertem que “embora a linguagem verbal seja a mais importante de que se utiliza o homem, a não verbal é largamente usada e não destituída de relevância, como gestos, posturas, cores, vestuário” (Medeiros; Tomasi, 2010, p. 113).

“O tamanho de nosso mundo tem a extensão de nossa linguagem. Ler é mais que decifrar códigos, é compreender o sentido das coisas e do mundo, e suas significações” (Yunes, 2003).

Desenvolver essas competências reflete positivamente em vários aspectos da sua vida, tanto pessoal quando profissional, inclusive na relação sua com você mesmo, daí retomamos ao título: “Leituras de si e do mundo”.

Bibliografia

PEASE, Barbara; PEASE, Allan. Desvendando os segredos da linguagem corporal. Trad: Pedro Jorgensen Junior. Rio de Janeiro: Sextante, 2005.

TEIXEIRA, Leonardo. Comunicação na empresa. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.

TOMASI, Carolina; MEDEIROS, João Bosco. Comunicação empresarial. 3º Ed. São Paulo: Editora Atlas, 2010.

YUNES, Eliana; OSWALD, Maria Luiza (Org.). A experiência da leitura. São Paulo: Edições Loyola, 2003.

PEREIRA, Valéria. Projeto Aprendendo a aprender: encontros para o (auto) desenvolvimento – Círculo de Leitura, 2015.

Ascom entrevista: Eliana Yunes. Disponível em: <www.uneb.br/2015/11/04/ascom-entrevista-eliana-yunes-puc-rj-coordenadora-da-catedra-unesco-de-leitura> Acesso em: 13 de dez. 2015.


Fonte: Artigos Administradores / Leituras de si e do mundo: comunicação e linguagem como competências fundamentais

Os comentários estão fechados.