Líder coadjuvante

Líder coadjuvante

Há sempre um líder, em qualquer tipo de organização e em organizações de qualquer tamanho. Será que a atuação desse líder tem a ver com a felicidade e engajamento de sua equipe?

Como assim? Líder coadjuvante? Ele não teria que ser o protagonista?

Saibam que 78% dos brasileiros são infelizes no trabalho (IBGE) e somente 17,5% dos brasileiros são engajados em seus trabalhos (Gallup).

Qual será a razão disso tudo?

Obviamente, a resposta não é fácil nem única, pois estamos falando de seres humanos, altamente complexos e difíceis de compreender, mas ser infeliz no trabalho e não se engajar é algo que merece muita atenção, já que todos trabalhamos e passamos muito do nosso tempo nesse ambiente. Como admitir que essa parte tão importante de nossas vidas seja insatisfatória?

Há sempre um líder, em qualquer tipo de organização e em organizações de qualquer tamanho. Será que a atuação desse líder tem a ver com a felicidade e engajamento de sua equipe?

Pois eu digo que sim e que diretamente. Há pessoas que pedem demissões de líderes e não de empresas. Assim como há pessoas que ficam em uma empresa que não adoram por muito tempo em fidelidade ao líder.

O líder tem um poder imenso de contribuir com a felicidade ou infelicidade das pessoas.

Há vários tipos de líderes, mas se pudéssemos dividí-los somente em dois tipos, eu diria: os que mandam e os que ouvem. E aí não é difícil saber qual deles terá a equipe mais feliz e engajada.

O líder que manda é aquele que quer ser protagonista do filme, tudo depende dele, ele resolve tudo, tem todas as respostas, sabe tudo melhor do que todos. Ele quase não precisa da equipe, a não ser para fazer o trabalho operacional que ele solicita. Podem imaginar quão feliz e engajada essa equipe estará?

Já o líder que ouve não tem necessidade de ser protagonista, ele quer mesmo é ser coadjuvante, estar perto da equipe, junto dela, construindo, evoluindo, descobrindo, resolvendo. Ele faz muitas perguntas, pede opiniões, escuta atentamente, pondera, pergunta novamente o que a equipe pensa e então, em seu papel de liderança, decide e, com muita habilidade, influencia a equipe a fazer o que é necessário e não o que ele quer que seja feito.

Um líder coadjuvante sabe de seu papel, mas sabe que cada pessoa de sua equipe é extremamente importante e contributiva ao resultado final almejado. Com isso, ele respeita cada um, e envolve todos em sua busca pelo resultado. Tudo isso sem a necessidade de brilhar como protagonista. E sabe o que acontece no final? Ele é o maior protagonista dos bons resultados, pois tem uma equipe feliz e engajada. E seus resultados vão além daqueles concretos que as empresas buscam, é um resultado de dia-a-dia, de convivência, de equipe de alto desempenho, de realização conjunta!


Fonte: Artigos Administradores / Líder coadjuvante

Os comentários estão fechados.