Líder tóxico

Líder tóxico

Ser um líder requer muitas qualidades, muita bagagem, muito conhecimento de psicologia aplicada, gostar de trabalhar com pessoas, etc.

Ser um líder requer muitas qualidades, muita bagagem, muito conhecimento de psicologia aplicada, gostar de trabalhar com pessoas, etc.

Assim como se percebe não é um empreitada que enche os olhos da maioria. Se me permite acho que muita agente lá da sua zona de conforto talvez dissesse que ser líder é procurar sarna para se coçar.

Ou seja, se já é difícil para cada um tocar o próprio trabalho, imagina administrar uma equipe e ter um superior que o tempo todo está nos pressionando por resultados.

Será que uma pessoa já nasce para liderar, ou a situação, necessidade acaba nos levando para assumir esse tipo de responsabilidade?

Bem, acho que todos nascem com um perfil de liderança e cabe ao longo do tempo maximizar essa característica ou não.

A verdade é que precisamos de lideres e as empresas como tem noção do grande valor, estão sempre de olhos nesses predestinados, exatamente como agora, pela grave situação econômica e política que o Brasil está passando, achar um bom líder é como achar um pepita de ouro depois de muitos e muitos esforços..

Mas nesse artigo não comentaremos o título Líder da sua forma tradicional, mas sim, nos aspectos de liderança do administrador que tem uma equipe e que vai ser utilizada para obter os resultados dos quais a empresas espera e cobra.

E esse o tal líder, a chefia, o gerente, administrador não tiver exatamente as propaladas qualidades, que adjetivo adicionaríamos a ele e como sentiriam os seus subordinados?

 Então aqui fica o convite.Vamos ler e tomar contato com o nosso LÍDER TÓXICO !

QUALIDADES DOS BONS LÍDERES

Normalmente constatamos que a maioria dos livros e artigos escritos sobre liderança tendem a se concentrar sobre as características, habilidades e comportamentos exibidos pelos bons líderes.

 Realmente são essas características que se espera dos lideres, sendo essa visão positiva da liderança bem adequada, dado que uma boa liderança fornece valores para as organizações. Maus líderes felizmente são a exceção e não a regra.

 Assim então, muitos consultores, professores universitários, pesquisadores, assim como uma grande quantidade de livros, artigos, seminários e discursos declinam determinadas virtudes dos grandes líderes , quer seja eles homens ou mulheres, descrevendo-os como compreensivos, compassivos, emocionalmente inteligente, altruísta, interessados no desenvolvimento da sua equipe.

LÍDERES TÓXICOS

Mas alguns autores como Ray William, Coach para Executivo, Palestrante Profissional, Presidente da Ray Willims Associates, comenta que nem sempre isso é o que acontece em termos de qualidades de um Líder. Ele tem, para esses casos, uma visão diferente e crítica.

Segundo ele, muitos líderes apresentam um perfil narcisista e características psicopáticas.

O psicólogo americano Edward Bradford Titchener, nos anos 20 passou a usar o termo Empatia, diferenciando de Simpatia. Ou seja, Simpatia, que é capacidade que uma pessoa tem de causar atração de alguém por ela.

Pressupõe-se que o Líder tenha Empatia, tenha capacidade de “viver” os estados psicológicos dos seus liderados, ou seja, colocar-se no lugar deles quando em determinadas situações para conseguir entender a situação pelas quais ele estão passando.

Isso não deveria ser tão difícil pois para chegar na posição de Líder, precisaria ter enfrentados situações bem adversas e estar preparado para mostrar sua experiência.

IMPORTÂNCIA DA EMPATIA

Edward Bradford Titchener acredita que a ausência de Empatia é uma das características dos psicopatas e sociopatas e isso tem consequências negativas para a equipe, pois eles não sentem culpa por forçar demais a equipe para alcançar resultados muito difíceis.

Obviamente, pode-se aceitar que o nível de Empatia não é idêntico para todos os Lideres, mas com certeza não poderia ser tão baixo a ponto de prejudicar o bom andamento dos trabalhos de supervisão.

Assim Ray William, chamou essas pessoas de Líderes Tóxicos. Mas por vezes, a empresas faz vista grossa e esses comportamentos por que tais líderes são medidos pelos ganhos financeiros que trazem à empresa.

Observação

A palavra Empatia se originou da fusão de duas palavras gregas, com seus respectivos significados:

In = para dentro;

Pathos = sentimento.

Assim, Empatia é a capacidade psicológica de tentar compreender sentimentos e emoções das outras pessoas. É entrar dentro do sentimento (de alguém).

AMBIENTE TÓXICO

Como saber se estamos atuando profissionalmente num ambiente tóxico?

Enquanto um relacionamento saudável do líder com os membros da equipe contribui para a autoestima e energia emocional, um relacionamento tóxico reduz autoestima da equipe e drena energia.

 Um relacionamento saudável envolve respeito mútuo, interesse no bem-estar do grupo,com parceria, crescimento e determinados níveis de liberdade de ação.

 Já um relacionamento tóxico é caracterizado pela insegurança, egocentrismo, dominação, controle exercido de forma muito bem explícita pelo Líder.

 Evidentemente por melhor que seja o relacionamento do Líder e Liderados, sempre existem momentos de poderíamos rotular como tóxicos, ou seja, aqueles que não geram valores e terminam com algumas cicatrizes que somem com o tempo.

Afinal, quando o liderado acredita na sua posição, ele vai lutar para mostrar suas vantagens, seus aspectos positivos ou seja, o porquê de se aplicar a sua idea.

Necessariamente o Líder tem a melhor resposta e solução para tudo. Os objetivos atingidos são resultados do trabalho de todos, do trabalho em equipe.

O Líder Tóxico está sempre de envolvendo com um comportamente controlador acima do adequado, asfixiando o desejo de luta dos liderados para envestir seus esforços nos objetivos visados. O que é um contra-senso. Pois no frigir dos ovos o superior do Lider vai sempre entender que os resultados obtidos foram consequência da sua liderança.

Segundo os estudos de Christine Porath,professora da Universidade de Georgetown, mesmo os funcionários não diretamente envolvidos com uma chefia tóxica, podem ser afetados negativamente, somente testemunhando, ouvindo, vendo a atuação desse tipo de chefia. Sequenciando essa afirmação de Porath, acho que poderia dizer que seria como fumar passivamente, por estará as imediações do fumante e inalando nicotina (“clima tóxico”).

COMO SABER SE ESTAMOS ATUANDO NUM AMBIENTE TÓXICO

Um Líder Tóxico, muitas vezes faz piadinhas com o objetivo de depreciar numa reunião, um membro da equipe. E se percebe que não foi feliz no gracejo, disfarça dizendo:” Eu só estou brincando, é apenas uma piada”!

Pessoas em posições de chefia que manifestam estilos de liderança destrutivas representam um problema para a área onde atuam.

Por outro lado, estilo interpessoal do bom líder é um fator importante na manutenção de um clima organizacional que gere segurança aos funcionários estimulando-os a dar o seu de melhor.

O líder tóxico traz dentro do seu comportamento um auto-interesse no sentido de ser bem avaliado por seus superiores, mesmo que os resultados obtidos sejam conseguidos dentro de um clima negativo, de pressão e insistência de produzir mais e melhor de uma forma mecanicista incompatível com as modernas técnicas de Analise Comportamental e dos próprios limites do seu subordinado.

O QUE SERIA UM LOCAL TÓXICO

Segundo o professor Rothbard um local de trabalho, tóxico, corrosivo seria, por exemplo onde as pessoas estão submetidas à pressões muito fortes que tornam difícil resistir em se manter no setor. Mas se a possibilidade de arranjar outro emprego é pequena, o funcionário fica numa situação difícil, muito estressante com prejuízo para a sua saúde. E como já escrevi em outros artigos, é a seguinte ordem negativa relacionada com o nível da nossa ansiedade:

Eustresse: Trata-se de um estresse benéfico.

Distresse: É o estresse na sua forma negativa, ou seja, o estresse excessivo

Estresse: No seu sentido tradicional.

Depressão: Estresse mais profundo, já precisando de cuidados médicos.

Distimia é um tipo de depressão crônica, de moderada intensidade.

Síndrome de Burnout: Depressão no seu estado avançado.

Segundo professor de administração Adam Cobb, pode-se dizer que um determinado ambiente tóxico pode ser subjetivo. Mas como ele mesmo afirma um funcionário pode estar se sentindo desrespeitado de alguma forma:

-Um chefe que humilha os funcionários.

-Um colega de trabalho supercompetitivo que usa métodos não muito convencionais para mostrar seus resultados, etc.

O rótulo de “tóxico” significa algo que drena a vida e energia.

“Toxico” não só implica danos óbvios, como abuso físico, agressões verbais etc. Ele também representa toda a agitação interna que resulta de uma relação doentia entre chefe e subordinado.

SITUAÇÃO DO FUNCIONÁRIO NUM AMBIENTE TÓXICO

Como o equilíbrio de poder é muito a favor da empresa, o funcionário não tem muito o que fazer; ficar no seu lugar, tentar uma transferência ou encontrar outro emprego, saindo da empresa e partir para a difícil jornada na procura de outra empresa.

A descortesia como os funcionários são tratados pela chefia que se respalda no poder do seu cargo, pode ter um custo alto e desnecessário.

No momento vigente em que o Brasil passa onde o desemprego vem crescendo de forma alarmante. A taxa de desocupação no Brasil ficou em 10,2% no trimestre encerrado em fevereiro de 2016, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua).

Parece valer aquela máxima; “Manda quem pode e obedece que em juizo.”

Mas a verdade é que no trabalho ou em outros lugares, a maioria já experimentou um relacionamento que virou tóxico. Se você já vivenciou, você sabe que eles são um grande dreno em sua energia, produtividade e felicidade

CRENÇA ERRADA DO LÍDER TÓXICO

Em uma postagem no blog da Escola de Negócios da Universidade da Pensilvânia, professor de administração da Wharton Gregory Shea diz que a situação de uma comportamento tóxico do líder, ser duro e implacável pode ser ocasionada com a crença errada de que assim fazendo vai permitir que o funcionário seja mais produtivo.

Mas isso é uma orientação, uma crença errada que visaria obter uma melhora na performance do funcionário.

Nada mais natural o Líder ser exigente, pois afinal ele também é cobrado por resultados pelos seus superiores, outra coisa é exagerar na pressão e acabar parecendo que se trata de mais de uma perseguição pessoal do que um atuação normal da gerência.

Tal comportamento vai além do comportamento que se espera de um verdadeiro líder.

O Líder no exagero da sua pressão, pode até tentar se justificar dizendo: “Estou atuando assim para o seu próprio bem, ajudando você ser mais produtivo no seu trabalho”. Isso tem como consequência uma desmotivação e uma perda gradual na própria capacidade de o funcinário realizar de forma autônoma todos o ciclo do trabalho.

 Você passou da fase de sua mãe lhe colocar um babadoro no seu pescoco, assoprar a papinha na colher, colocar na sua boca e ainda limpar seus lábios.

 Essa fase já passou, talvez até você necessitasse, hoje, de uma assessoria de como se comportar num jantar de alto nível e no uso dos vários talhares ao lado do seu prato segundo o tipo de alimento. Isso seria um “supervisão” aceitável para uma primeira ou segunda vez e fim.

EFEITOS NUMÉRICOS NEGATIVOS DA AÇÃO TÓXICA DO LÍDER

Os autores abaixo, escreveram um interessante artigo de 2013 da Harvard Business Review.

Porath e Christine Pearson, professor da Thunderbird School of Global Management na Universidade Estadual do Arizona entrevistou e coletou questionários de 14.000 pessoas.

Nesse conjunto participaram gerentes, CEOS e outros.

Dessas 14.000 pessoas, 800 gestores e trabalhadores em 17 indústrias informaram terem sido submetidos a descortesia no seu local de trabalho. Para essas pessoas seus laços de trabalho com as repectivas empresas afrouxou muito, e teve como resultados as estatísticas negativas:

48% diminuíram seus esforços na realização de tarefas.

38% Diminuíram a qualidade dos resultados entregues.

25% Descarregaram suas frustrações nos clientes.

12% disseram que eles deixaram o seu trabalho por causa disso (se pudessem)

Claramente, há muitas maneiras de ser um mau líder

RAZÕES DA EXISTÊNCIA DE UM LÍDER TÓXICO

Acho que daria para dar algumas possíveis explicações de chefias que tem comportamentos tóxicos:

[1]Falta de confiança na sua equipe.

 [2]Não aprendeu ainda dar liberdade de ação com responsabilidades aos seus subordinados.

 [3]Não conhece a Administração por Exceção, isso é, passar um trabalho e receber feedback mais intensivo apenas se o resultado tenha sido muito fora dos parâmetros definidos. Ou seja, soltar o busca-pé (passar o serviço para o funcionário) e correr atrás da vareta (fica incessantemente querendo saber como está o desenvolvimento do serviço).

 [4]Insegurança da sua própria administração, por desconhecimentos de ferramentas e princípios de gestão empresarial; ou seja; “Se tudo o que você tem é um martelo, tudo começa a se parecer com um prego”.

 Frase de Bernard Baruch que foi um influente especulador financeiro e conselheiro presidencial democrata, que cunhou o termo Guerra Fria em 1947 para expressar o momento de tensão entre os Estados Unidos da América e a União Soviética.

 Assim, em vez de usar as devidas ferramentas disponíveis no Arsenal da Teria das Organização, usa pressão, ameaças, usa o martelo.

 [5] Incompetência no cargo.

 [6]Destemperamento, falta de controle emocional.

 [7]Insensibilidade, dificuldade administrar desejos e necessidades.

 [8]Rigidez na forma de administrar, não conseguindo discutir sem usar o poder hierárquico para apoia suas posições.

 [9]Abuso, humilhação e liderança destrutiva.

[10] Falta de feedback ou seja, deixar o funcionário no “gelo”, isso resulta numa desmotivação, pois a chefia não está interessado nas atividades do funcionário.

[11]Dúvida da chefia na sua capacidade de solucionar problemas, levar a bom termo uma empreitada. Isso mantém você em baixa estima, pois você nunca é engrandecido na suas realizações.

 [12]Chefia que recusa reconhecer que seus sentimentos e necessidades são importantes, e são raros os momentos de feedback de aconselhamento, deixando você sentir que está vivendo preso num relacionamento tóxico.

 [13]Chefia com um egocentrismo que mesmo quando elogia

está mais interessada pessoalmente nas conveniências próprias do resultado do que na visualização do trabalho bem feito pelo funcionário.

 [14]Chefia dificilmente aberta para ouvir a versão da história do funcionário.

COMO SABER SE VOCÊ CONTAMINADO PELA TOXICIDADE DO SEU LÍDER

Os sentimentos, comportamentos variam. Abaixo listamos algumas situações, dificuldades.

[1]O funcionário torna-se incapaz de ter uma conversa franca com o seu líder, onde a sua opinião poderia ser ouvida, considerada e respeitada.

[2]As críticas que recebe reduz a condição para crescer e mudar.

[3]Sempre que o funcionário se propõe crescer e melhorar a si mesmo, seu líder responde com zombaria e incredulidade.

[4]Não há incentivo ou apoio a seus esforços, São raros os feedback positivos.

[5]O funcionário começa a acreditar que não consegue fazer coisa alguma direito.

[6]Seu lider constantemente o critica de forma deixar claro que você não bom o suficiente.

[7] Estar vivendo com muita tensão, sentindo estressado e não ser capaz de se expressar da maneira que gostaria, até por medo de uma represália vindo de alguma forma, mesma velada da sua chefia e sente que o ambiente de trabakho lhe é saudável.

RITO DE PASSAGEM

Pode acontecer que um novo funcionário sinta a pressão da sua chefia com uma espécie de um rito de passagem. Mas à medida que o tempo passa, como diz na sabedoria popular, “vai cair a ficha”.

Um bom líder que recrutou funcionário para atuar sob sua gerência não deveria, com sua forma de administrar e dissuadi-lo a sair depto.

BONS LIDERES

Segundo o Dr. Travis Bradberry cofundador da TalentSmart, sua empresa realizou uma pesquisa com mais de um milhão de pessoas, e descobriu que 90% dos melhores administradores são hábeis em gerenciar suas emoções em momentos de estresse, a fim de manter a calma e no controle.

Um de seus maiores dons é a capacidade de identificar pessoas tóxicas e mantê-los na baía

FILOSOFIA KUNG-FU

Muitas vezes, pode acontecer de o nosso ambiente de trabalho não ser é um paraíso.

Talvez em decorrência de algum fato extraordinário, tal como nossa empresa menor, é comprada por outra maior e a gente vai dormir preocupado com dança das cadeiras e ficar ansiosamente esperando para ver quem vai sobreviver.

Mas no dia a dia não deveria ser assim, mesmo com toda correria e a batalha normal para atingir objetivos definidos pela nossa chefia.

Com uma chefia normal, não se deveria ocorrer uma alta rotatividade de funcionários, baixa moral, reclamações de clientes (tanto dos externos quando internos, daqueles de outros departamentos para os quais enviamos informações por nós processadas).

Uma chefia tóxica que fica olhando o seu ambiente com as lentes embaçadas vai ter, uma hora que limpa-las. Quando isso acontecer irá ver o que deveria ter visto há muito tempo, talvez não veja muita gente sob o seu comando ou por outro, lado fique apenas vendo os piores funcionários que não conseguiram abandonar o depto.

Os funcionários mais espertos sabem que o seu seguro de vida está nos seus conhecimentos, fazendo cursos, reduzindo o seu tempo na redes sociais, indo em palestras, assistindo vídeos que permitem desenvolver suas habilidades, ou seja, seguir o que eu chamo de Filosofia Kung-Fu; é estar preparado para o inesperado.

OBSERVAÇÃO

Kung-Fu, é uma palavra chinesa, significa Trabalhar Duro. Denomina um tipo de arte marcial. Além de desenvolver o corpo, desenvolve também a persistência, disciplina, respeita os limites das pessoas. Desenvolve a mente, de forma que mesmo perdendo uma batalhar, não perdeu a guerra e aprender a encarar, sem desistir de enfrentar os obstáculos da Vida.

Gostaria ainda, para finalizar esse artigo, usar a frase do Dr. House, personagem de TV, série homônima;

“Você só é derrotado quando desiste”. Um chefe ou um líder tóxico um ambiente tóxico é apenas mais um obstáculo para ser ultrapassado! – Elazier Barbosa – Palestrante


Fonte: Artigos Administradores / Líder tóxico

Os comentários estão fechados.