Liderança: as duas faces do poder

Liderança: as duas faces do poder

Impor ou orientar? Acusar ou motivar? Centralizar ou descentralizar? Gerir ou administrar? Neste artigo veremos como a teoria de David McClelland entitulada “As Duas Faces do Poder”, pode nos fazer refletir sobre as principais características de dois estilos de liderança amplamente distintos

Invariavelmente, o poder de liderança política nas organizações é fonte de diversas discussões a respeito das melhores – e mais eficazes – maneiras de exercê-lo.

Através da teoria chamada “The Two Faces of Power” (As Duas Faces do Poder), desenvolvida por David McClelland, autor de livros como “The Achieving Society” (As Realizações da Sociedade) e “Human Motivation” (Motivação Humana), veremos o quanto as variações de poder exercem papel determinante na prosperidade de uma organização.

Segundo David McClelland, as duas faces do poder podem ser definidas pelas polaridades negativa e positiva, ou seja:

A face negativa está relacionada em dominar as outras pessoas através de uma disputa (quase) irracional pelo poder, tudo baseado em uma satisfação particular da qual resultará apenas o benefício próprio. O intuito principal desse tipo de poder são os objetivos e metas pessoais, enquanto os objetivos e metas organizacionais permanecem em segundo plano. Normalmente, os indivíduos que exercem esse tipo de poder possuem personalidade vingativa e gostam de ameaçar seus subordinados. Deste modo, é óbvio que sempre haverá um perdedor neste tipo de liderança, mas esse perdedor não será um “quem” físico, na verdade sempre será um “quem” jurídico, portanto, a sua empresa.

A face positiva está relacionada com a compreensão da ligação entre a interdependência dos envolvidos e os resultados da organização. Os objetivos da empresa tornam-se o foco principal. Os resultados obtidos são consequência da influência do administrador em orientar e incentivar os indivíduos a desenvolverem suas competências. Por razões evidentes, este modelo de poder e liderança se enquadra no qual é comumente utilizado pelos renomados administradores do mercado.

Em contrapartida, sob parâmetros mais diretos e práticos, que tal destacarmos algumas das principais características da liderança baseados nas duas faces do poder?

Líderança

Face negativa

Face positiva

Impositiva
Orientadora
Centralizadora
Descentralizadora
Omissa
Atuante
Alienada
Visionária
Vaidosa
Humilde
Maledicente
Motivadora
Hipócrita
Dá o exemplo
Provoca medo
Provoca inspiração
Recebe o crédito
Dá o crédito
Gestora
Administradora

 

Pois bem, são muitas características a serem analisadas. Realmente, as particularidades entre as polaridades de liderança são extensas e podem ser enumeradas aos milhares.

A liderança e administração do poder são tão importantes ao ponto de que muitos colaboradores, ao se motivarem em sair de suas empresas, entendem que querem sair não por simplesmente não gostarem da empresa onde trabalham, mas sim por não gostarem da liderança que ali é exercida.

Por fim, o mais interessante disso tudo é que, de fato, toda grande empresa é motivada por um diferencial competitivo e sempre buscará os melhores profissionais, e a retenção de talentos é o grande ingrediente da receita.

Entretanto, você quer reter talentos? Talentos estes que irão realmente fazer a diferença na sua empresa? Um fator crucial para isso é através de uma liderança composta por características da face positiva. Talentos tendem a buscar uma referência, uma inspiração, e é exatamente por isso que você deve avaliar o tipo de líder que você é/quer na sua empresa.


Fonte: Artigos Administradores / Liderança: as duas faces do poder

Os comentários estão fechados.