Liderança e direção

Liderança e direção

A importância de um bom processo de liderança para as organizações modernas

Ao falarmos de teorias direcionadas ao estudo do comportamento humano nas organizações modernas, a liderança ocupa grande espaço nas discussões no campo dos recursos humanos. Afinal que organização não necessita de um bom líder? Seja numa grande organização ou uma loja de conveniência, os processos de liderança são essenciais no desenvolvimento da empresa e seus colaboradores.

Partindo do princípio de que segundo Smircich e Morgan (1997, p.207) “A liderança repousa em grande parte na criação de um ponto de referência, frente ao qual pode emergir um sentimento de organização e direção”. Sendo assim, o papel principal de um líder é proporcionar um ambiente e tarefas organizadas, direcionando seus subordinados para o caminho correto, buscando sempre atingir o máximo possível de eficiência e eficácia.

Bons líderes são aqueles que de maneira natural e espontânea conseguem influenciar seus subordinados a realizarem os objetivos organizacionais, além de demonstrarem cuidado e gratidão pelas ações corretas, indicando o caminho e os passos que devem ser seguidos quando eles se desvencilham de maneira suave e motivadora. Não possuem necessidade alguma de impor sua liderança, pois todos os seguem de forma natural e livremente e apesar de clichê a frase “ele é um líder nato” a retórica não poderia ser mais verdadeira, há pessoas que realmente nasceram para ser líderes enquanto outras são muito melhores seguindo-os.

Toda empresa é composta por uma organização formal, que está previamente definida e visível a todos e uma organização informal, aquela implícita, porém de conhecimento geral na empresa, com os líderes não é diferente, a grande questão é quem serão os líderes que as pessoas irão realmente seguir? Esse conflito pode gerar consequências catastróficas para a organização, daí a necessidade de líderes realmente preparados e competentes para administrar questões como essa.

“As ações e declarações dos líderes guiam a atenção dos que estão envolvidos numa situação de forma consciente ou inconscientemente planejada para delinear o sentido da situação”. (SMIRCICH e MORGAN, 1997, p. 212), ou seja, independente se os líderes são bons ou ruins, a forma como afetam os colaboradores terá grande impacto e guiará ações cruciais nos projetos, produtos, serviços e relações inter e intrapessoais.

Podemos dizer que como os filhos normalmente seguem os passos de seus pais, em uma empresa é recíproco na relação entre subordinados e líderes, dessa forma cria-se uma cultura organizacional que dificilmente será quebrada caso um novo líder tente alterar alguns fatores predeterminados do processo de liderança utilizado na organização, essa cultura de liderança se estende para diversas relações da organização até chegar aos clientes e a forma como a empresa é vista no ambiente externo em que está inserida.

Organizações que não valorizam como os processos de liderança são desenvolvidos, consequentemente não estão valorizando a si mesma, pois a partir dos vários líderes, espalhados pelos vários setores e divisões da empresa é que são passados os valores, objetivos e direções que os colaboradores devem seguir para que sejam alcançados os propósitos definidos pela diretoria, está aí a essencialidade da liderança em qualquer relacionamento envolvendo um líder e um subordinado.


Fonte: Artigos Administradores / Liderança e direção

Os comentários estão fechados.