Longevidade & Jovialidade

Longevidade & Jovialidade

Uma questão que está dentro do cérebro

Lembro sempre de uma palestra que assisti há 12 anos, em que o palestrante Domenico Damenico Di Masi, disse que somos velho quando estamos há um segundo da morte.

Achei essa forma de dar significado a palavra “velho” fantástica, pois nunca consegui olhar alguém e afirmar que é velho por conta da idade. Talvez por ter uma família onde a vitalidade sempre esteve presente nos maduros, tenho uma avó que nada todos os dias mesmo nos seus 92 anos de idade, e agradeço essa oportunidade de aprender.

Tenho um pai e mãe que mesmo aos 70 anos são altamente produtivos e assim vivi e vivo com uma visão de longevidade sem pensar em limitações, naturalmente, a idade pode ofertar mudanças que são visíveis, porém se soubermos olhar, serão mudanças e que podem ter sempre a beleza da mudança.

Talvez ter escolhido trabalhar com formas pragmáticas com a vida e a mente me aproxime dessa abordagem, pois percebo ao longo do meu trabalho que uma pessoa pode envelhecer aos 18 anos e uma pessoa de 65 pode ter jovialidade com maturidade se assim desejar.

Estive em Julho, na Inglaterra, desenvolvendo uma atividade com pessoas de diversas idades, no meu grupo tinha pessoas com 65 e 35 anos, confesso que fiquei encantada com um mulher de 65 anos que vinha todos os dias de bike e com um sorriso que eu conseguia ver seus 20 anos em cada expressão. Lógico que seu rosto tinha marcas do tempo, seus cabelos estavam brancos num corte lindo e jovial, porém como disse para ela diversas vezes sua alma era jovem, pois ela investiu em sua mente e deixou ela ativa ao longo dos anos.

 Como ela fez isso?

Vibeke é o seu nome, talvez a pessoa que mais agregou a minha experiência de um mês de trabalho na Inglaterra, pela sua forma de pensar sem preconceitos, pela curiosidade da garota de 20 anos diante de cada tema, como se fosse a primeira vez que ela ouvia algo, o seu respeito com as diferenças e a sua alegria ao sorrir enquanto tomava chá e ouvia a todos!

Um cérebro humilde é um cérebro jovem, que se permite experimentos e novas maneiras de pensar, mesmo que ao final a opção seja manter a forma de pensar.

Vibeke falava dos seus filhos e marido e das diferenças em harmonia, por exemplo, ela vinha de bike para o trabalho, e tem um carro bem velho, para se locomover quando as distâncias solicitam.

Porém seu marido é louco por carros e, adora investir em carros, ela respeita e ri do comportamento dele, sem reclamar ou colocar-se  numa posição superior como algumas pessoas com a idade dela faria.

Lógico que como  Vibeke temos várias pessoas jovens com mais de 60 anos, afinal o conceito de idade passa por uma reformulação, hoje muitos profissionais que trabalham com o consumidor olham essas pessoas como sendo os jovens de 40 anos.

Pois a longevidade traz outro desafio, como lidar com os comportamentos que mudarão rapidamente com a conectividade, a globalização e com o mundo sem fronteiras, como podemos tratar ou pensar em alguém de 65 anos como era pensado há 10 anos ou 20 anos atrás?

 Hoje vejo nas empresas que atuamos homens e mulheres que tem muito à agregar apesar de atingir muitas vezes o limite de idade estabelecido como limite para estar nas empresas.

 Temos um desafio?

Sim, enorme de fazer a sinergia entre as gerações e observar que o estigma de alguém “velho” com 65 anos está obsoleto.

Novamente quero realçar que estou aqui falando de uma mudança no modelo mental, mudar a forma de pensar e mudar as atitudes que acontecem aqui fora.

Para isso é importante que a mudança ocorra primeiro por parte do jovem que tem 65 anos, para que haja uma congruência entre o agir e sentir.

Quando falo jovem, estou considerando as marcas da vida no rosto, a experiência, a maturidade, o corpo que passou por transformações e a mente que pode ser jovem eternamente, basta ativá-la e viver a felicidade de ser alguém que pode produzir conhecimento, experiência, valor, humor, carinho, amor ou diversão!

Pense com carinho o que você quer continuar produzindo, independente da idade produtiva para o mercado, até porque o mercado também passou por mudanças e temos espaços e novas oportunidades surgindo todos os dias.

Bem vindo à vida!


Fonte: Artigos Administradores / Longevidade & Jovialidade

Os comentários estão fechados.