Manter é mais fácil que mudar: uma triste tendência e uma prova de nossa fraqueza

Manter é mais fácil que mudar: uma triste tendência e uma prova de nossa fraqueza

Muitas pessoas tem uma triste tendência em simplesmente fazer o errado porque todo mundo já o faz assim. E isso se repete na carreira e na vida até chegarmos ao ponto de corrupção e sujeira que vemos em nosso país

Atualmente estamos diante de uma sequência que parece interminável de escândalos e más notícias em nosso país. A impressão que tem-se é que simplesmente está tudo sendo deixado de lado e não temos uma solução para esses problemas.

Ao mesmo tempo, trazemos essa realidade para nosso dia a dia. Ruas sujas misturam-se com a sujeira da política no Brasil.

Má gestão une-se à crise econômica.

Ausência de liderança une-se à desmotivação.

Ausência de perspectivas une-se à falta de objetividade em nossas ações.

E por aí vamos nós ladeira abaixo.

Acho que é óbvio para todos que isso não é bom. Isso não é bom para mim, isso não é bom para você, isso não é bom para seu chefe, isso não é bom para a empresa em que você trabalha e isso com certeza não é bom para nosso país sair dessa situação.

Mas há, no meio de tudo isso, um grande problema que não está relacionado a qualquer figura política ou mesmo aos problemas que a crise traz na sua mochila.

Esse problema está diretamente ligado a nossa mentalidade e a forma grotesca como pensamos em agir com as coisas ao nosso redor.

É a ideia de que manter parece ser mais fácil que mudar.

Parece que para o ser humano é muito mais fácil não jogar lixo em chão que já está limpo do que naquele chão imundo e cheio de sujeira.

Jogar papel no chão é errado sempre. Não importa se é no chão de uma bela cidade de Paris ou na saída da rua de seu bairro. Esqueça a frase escrota que diz na sua cabeça que “todo mundo faz, um a mais não vai fazer diferença”.

Mas sabe onde vejo o problema maior dessa nossa mentalidade? É que parece que essa ideia do papel se repete em várias outras áreas da nossa vida.

Para nós, parece ser muito mais fácil manter a forma como as coisas acontecem, erradas ou certas, do que sermos nós os pioneiros da mudança.

Essa inclusive pode ser uma das explicações para a própria corrupção em nosso país.

Afinal, se o presidente está desviando dinheiro, um pequeno desvio do governador poderia passar despercebido? 

E se o governador já fez uma pequeno desvio será que alguém vai dar bola pro prefeito que pegou dinheiro público para pagar uma viagem em família? 

E já que ele fez isso, acho que não tem problema eu ser antiético na minha empresa pra continuar crescendo, certo?

E se está tudo bagunçado então azar, vou é agir errado mesmo. Pra que eu iria fazer o limpo se estou pisando no sujo?

É essa tendência que faz com que nossas evoluções não passem de corridas em círculo.

É essa tendência que mostra o quanto somos fracos ao sermos comum. Ao seguirmos o que está sendo feito e esquecer que podemos ser lembrados por ser pioneiro em mudança ou inovação.

Essa é a grande questão quando se fala em real mudança, seja para nosso país, empresa, carreira ou vida.

Essa fraqueza só muda quando lembramos que nascemos para deixar a  nossa marca neste mundo, não para aumentar a marca de alguém. Pense nisso!


Fonte: Artigos Administradores / Manter é mais fácil que mudar: uma triste tendência e uma prova de nossa fraqueza

Os comentários estão fechados.