Método de seleção de projetos (3 Etapas)

Método de seleção de projetos (3 Etapas)

No mundo dos negócios fazer uma escolha exige muito mais atenção, pois está em jogo o tempo, o dinheiro e às vezes vidas de terceiros.

Um dos maiores desafios na vida pessoal e profissional é fazer uma escolha. Optar por entrar em uma porta tendo 3 portas fechadas envolve uma escolha que pode gerar surpresas positivas ou negativas. No mundo dos negócios fazer uma escolha exige muito mais atenção, pois está em jogo o tempo, o dinheiro e às vezes vidas de terceiros. Utilizar métodos e ferramentas para auxiliar na seleção de projetos é o diferencial para garantir o sucesso e mitigar os riscos das empresas. Essas mesmas ferramentas podem ser utilizadas para escolhas normais do dia a dia. (Trocar o carro, comprar uma casa, etc)

Dito isto vou apresentar um modelo simples, embora com base teórica, de seleção de projetos que pode ser feito no Excel e que traz uma análise quantitativa e qualitativa para uma tomada de decisão.

Rodrigues (2013) propõe que a seleção de projetos pode ser composta de três etapas: (I) definição de critérios de seleção, (II) elaboração do ranking de projetos e (III) balanceamento de recursos. A seguir é apresentado o detalhamento de cada uma dessas etapas.

Critério de Seleção:

Teixeira (2013), é importante dosar a quantidade de critérios a utilizar na seleção de projetos, definindo os mais relevantes para a Estratégia da organização. Pode-se utilizar 2 (dois) níveis de critérios. Dessa forma, categorizam-se os critérios para comparação par-a-par. Usualmente, o mercado utiliza não mais que 12 critérios únicos para seleção e priorização de projetos, mas como o objetivo é simplificar a vida de quem nunca usou um método de seleção, podemos utilizar de 3 a 4 critérios. Abaixo podemos ver os mais básicos:

Avaliação econômico-financeira – Qual o valor presente líquido do projeto (VPL)? Qual sua taxa interna de retorno (TIR)? Qual o prazo de recuperação do investimento (payback)? Qual sua relação custo x benefício? O projeto apresenta retorno superior ao custo de oportunidade da empresa?

Prazo – Qual o prazo previsto para execução do projeto? Esse prazo é compatível com os objetivos estratégicos? Com o prazo requerido pelo marcado ou requisito de negócio? Com os prazos de resposta e de ação dos concorrentes?

Risco – Quão arriscado é o projeto? Esta avaliação pode e deve levar em conta a complexidade, mas também precisa avalia-lo em termos de risco de sucesso do produto ou serviço a ser disponibilizado com sua conclusão. No caso de novos produtos, o mercado está pronto para recebê-los? No caso de alteração de rotinas e práticas, a empresa está preparada para adotá-las? Qual a probabilidade de sucesso do produto/serviço do projeto em relação às alternativas disponíveis internamente e no mercado?

Elaboração do Ranking:

A elaboração do Ranking gera uma avaliação quantitativa dos critérios escolhidos na fase anterior. Podemos seguir um fluxo simples de: Priorização; Classificação e Pontuação.

A tabela 1 mostra como pode ser feita a pontuação dos projetos pela análise comparativa dos critérios. Os pontos podem variar de 0 a 1 ou por níveis de complexidade de 0 a 5. Após a pontuação será totalizada a somatória que originará o Ranking de Projetos. (Análise quantitativa)

Tabela 1- Ranking de Projetos – Pontuação

NOME

Critério 1

Critério 2

Critério 3

Total

Ranking

Projeto A

1

0

3

4

Projeto B

2

5

4

11

Projeto C

4

4

2

10

Projeto D

3

2

4

9

 

Balanceamento de Recurso:

Nessa etapa arelação é simples e deve ser definida através do balanceamento de recursos financeiros, também conhecida como conciliação financeira. Outro ponto é a relação de recursos humanos do projeto (se for necessário), por ser algo escasso e disputado entre vários projetos tornasse necessário balancear de forma inteligente. Tabela 2. Nesse momento será necessária uma análise qualitativa da execução dos projetos avaliados na etapa anterior.

Tabela 2 – Balanceamento de Projetos

NOME

Total

Custo R$

Pessoas

Selecionado

Projeto A

4

30.000

15

Sim

Projeto B

11

80.000

60

Não. (Superou o orçamento de R$ 50.000)

Projeto C

10

70.000

30

Não. (Superou o orçamento de R$ 50.000)

Projeto D

9

 45.000

20

Não. (Superou o pessoal disponível)

 

Como vimos, a etapa de Ranking apresentou uma prioridade, mas quando balanceamos os recursos verificamos que o projeto possível não seguiu a mesma preferência. Essa ferramenta ou método de seleção é simplesmente uma opção para os novatos em gestão de projetos ou pessoas normais que estão necessitando de um auxílio na tomada de decisão. Lembrando que os critérios escolhidos devem sempre estar sujeitos a revisões e adaptações ao contexto da organização/pessoa e as lições aprendidas com projetos anteriores.


Fonte: Artigos Administradores / Método de seleção de projetos (3 Etapas)

Os comentários estão fechados.