Minha empresa dá lucro, mas por que as coisas não melhoram?

Minha empresa dá lucro, mas por que as coisas não melhoram?

“Minha empresa tem aumentado as receitas, temos reduzidos os gastos e nosso lucro cresceu…Mas, por que a situação da empresa não melhora?”

Durante uma conversa no último final de semana, ouvi os questionamentos de um amigo sobre a situação da sua empresa. Ele comentava que, mesmo no momento de crise em que o país se encontra, tem conseguido aumentar as vendas e conseguiu melhorar sua eficiência operacional. Com isso, ao analisar as demonstrações do resultado (DRE) dos últimos meses, vê que o lucro tem aumentado. Porém, não consegue entender como continua ficando apertado na hora de pagar as contas.

 Se pararmos para pensar, como isso pode ser possível? Todos sempre ouvimos na faculdade, cursos, etc., que o ideal para toda empresa é reduzir gastos e aumentar suas receitas. Que essa fórmula simples, talvez até mágica, é o segredo do sucesso. E o que aconteceu nesse caso? Seria uma exceção à regra? Vamos pensar um pouco.

 Aumentar o volume de vendas é uma coisa excelente, sem dúvidas. Mas, qual a qualidade dessa Receita? No processo de venda temos que pensar em diversos fatores antes de fecharmos um acordo com o cliente. É importante analisar todas as variáveis que podem impactar na empresa, como por exemplo, será que o preço cobre meus gastos? Esse cliente tem capacidade de me pagar por esses produtos? Qual o prazo a ser trabalhado?

 Antes de iniciarmos uma negociação, devemos saber tudo sobre o produto que vendemos e é de fundamental importância que tenhamos conhecimento da variação de preço que podemos trabalhar para não acontecer de realizar uma venda já com prejuízo.

 O segundo passo é analisar a capacidade de pagamento dos clientes. Uma análise de crédito é importante para que possamos minimizar o risco de aumentar a inadimplência, principalmente no momento de crise que estamos passando.

 Terceiro, mas não menos importante, analisar qual o prazo a ser dado. Como já havia falado em um outro artigo (“Na crise ou não, trabalhe os prazos”,2015) uma empresa que não trabalha os prazos está em sérios apuros. O ideal é que possamos trabalhar com prazos mais curtos de recebimentos e prazos mais longos de pagamento para os fornecedores. Quando trabalhamos com vendas a prazo, estamos assumindo um risco pelos nossos clientes e isso tem um custo de capital que não aparece na DRE, mas torna a operação mais onerosa.

 Os modelos de controle sempre possuem algumas limitações, com a DRE não é diferente. Conceitualmente, na demonstração do resultado, são apresentadas suas receitas com vendas, suas deduções, os custos dos produtos e demais despesas operacionais. Como resultado, é apresentado um valor de lucro ou prejuízo. Mas, a DRE não considera o custo de capital da operação (vindo da diferença entre os prazos de pagamentos e recebimentos), nem a inadimplência e consolida todos os gastos do exercício como se tudo tivesse acontecido no último dia do mês ou do ano. Assim, seu lucro econômico pode ser menor que o apresentado contabilmente.

 Sem poder analisar os relatórios que meu amigo falou, para poder entender melhor sobre a operação e qual poderia ser o real motivo das dificuldades que a empresa vem passando, um dos conselhos que pude dar foi: não podemos, simplesmente, vender por vender. Não adianta aumentar a Receita se não receber o dinheiro.


Fonte: Artigos Administradores / Minha empresa dá lucro, mas por que as coisas não melhoram?

Os comentários estão fechados.