Mudança de carreira: felicidade à vista

Mudança de carreira: felicidade à vista

Saiba aonde você quer chegar, descubra os meios para alcançar a sua meta e determine o prazo que essa conquista.

Em 2013, a Gallup divulgou uma pesquisa impressionante: que 72% das pessoas no mundo todo não gostam do próprio trabalho. Em 2015, a Isma Brasil revelou esse mesmo número aqui em nosso país. A pesquisa da Isma Brasil revelou que 89% dos casos de insatisfação tinha a ver com reconhecimento, 78% dos casos tinha a ver com o excesso de tarefas e 63% dos casos tinha a ver com problemas de relacionamento.

Impressionante, não é mesmo? Passamos a maior parte da nossa vida trabalhando e não nos sentimos felizes. Interessante também quando vemos um colega de trabalho que acabou de iniciar o seu dia dizendo: “Falta muito para às 5 da tarde?”. Ou ainda: “Não vejo a hora de chegar sexta-feira”.

São frases como essas que demonstram que as pessoas não estão felizes com seu trabalho, que estão ali prestando um serviço de forma desmotivada. Claro que precisamos sobreviver, sustentar a nossa família e manter o nosso padrão de vida. Mas sem satisfação, podemos até conquistar sucesso e dinheiro, mas desperdiçando o nosso tempo com algo que não nos agrada, parece-nos não ter muito sentido para uma vida finita e curta como a nossa.

Desta forma, eu o provoco com a seguinte reflexão: o que é que o motiva? Quais são seus sonhos? Qual é o assunto ou a área que quando você conversa com alguém, parece que acende por dentro uma chama ardente e que você poderia até fazer de graça por gostar tanto disso?

Se você sente isso, então é hora de colocar a sua mente para trabalhar em seu favor e começar a planejar o seu futuro. Mas, um alerta: você ouvirá uma voz anterior sinistra lhe dizendo: “Mas, você está muito velho para isso”. “Você tem uma família, não pode se arriscar assim”. “Estudar dá muito trabalho, continue no seu emprego medíocre e à noite continue assistindo novela ou a sua série favorita, pois é a melhor válvula de escape que você tem.” Vozes sinistras dentro de você vão te perturbar a todo instante. Até mesmo dentro da sua família, pessoas vão lhe dizer que não vai dar certo, que é loucura, que não dá dinheiro. Talvez elas digam isso não por maldade, mas por gostarem de você e não quererem que você sofra por algo que possa dar errado.

Porém, a boa notícia é que é possível fazer o que você gosta com planejamento e com um pouco de pragmatismo. Vou contar um resumo do meu testemunho profissional: por três anos seguidos fiquei estudando por conta para passar no vestibular para Tecnólogo em Processamento de Dados na Fatec. Mas, a bola batia sempre na trave. Ficava sempre na lista de espera, mas não era chamado. Até que em 2001, resolvi mudar de tática e prestei um vestibulinho para Técnico em Logística na Escola Técnica Estadual Bento Quirino. Uma decisão brusca de áreas bastante diferentes, mas na época eu precisava de emprego. Passei no vestibulinho, me dediquei no curso e com muitos currículos entregues desde o início do curso, no quinto mês do curso consegui um estágio numa transportadora de pequeno porte. Estagiei nesta empresa por um ano, até ia ser contratado, mas como meus valores divergiam dos valores da empresa, resolvi sair.

Em seguida, fui contratado por uma outra transportadora, agora de grande porte, e trabalhei durante dois anos. Foram dois anos intensos, trabalhei em todas as áreas da empresa, cresci muito, mas ainda me faltava algo. Percebia que a área de logística não era a minha vocação. Então, percebi a chama ardendo dentro de mim e eu resolvi fazer o meu planejamento de mudança de carreira. Decidi que iria fazer faculdade na área da computação e esperava, entre o segundo e o terceiro ano do curso, conseguir um estágio nesta área. Veja, continuei trabalhando em algo que não gostava, mas que iria financiar a minha mudança no futuro. E coloquei meta para essa conquista. Guarde bem esses três ingredientes: saiba aonde você quer chegar, descubra os meios para alcançar a sua meta e determine o prazo que essa conquista. No meu exemplo, consegui o meu estágio na área de computação no 5º semestre do curso. E no final do 6º semestre consegui outro estágio em uma multinacional indiana.

Você pode estar pensando que eu era de família rica, que tinha dinheiro sobrando, que meus pais eram influentes. Eu era de uma família pobre, pegava ônibus cedo para ir trabalhar, meu pai era garçom e minha mãe era cabeleireira autônoma, eu tinha que ajudar no orçamento da casa, onde 85% do meu salário era para pagar a faculdade, tinha que rachar o combustível com amigos na volta da faculdade para casa, e me sobravam R$ 50,00 para passar o mês. Tinha que ser criativo para encontrar diversão barata e, se possível, de graça.

Não quero me vangloriar com a minha história. O que eu quero lhe mostrar é que é possível mudar, mas você só conquistará algo que gosta tanto se souber controlar a sua ansiedade, planejar o caminho a ser percorrido e estar convicto de que para percorrê-lo haverá escolhas a serem feitas. Se você gosta de jogar futebol três vezes por semana, é possível que passe a jogar apenas uma vez por semana. Se você gosta de assistir séries todos os dias à noite, é bem provável que passará a assistir uma ou duas vezes por semana, ou talvez só no final de semana. Se você gosta de frequentar baladas caras, talvez seja o momento de se tornar uma pessoa mais caseira. Para obter uma vitória duradoura, talvez tenha que perder algumas guerras do presente.

Por isso, se você está insatisfeito com o que está fazendo agora, perceba que é possível sim mudar a rota da sua vida e começar a percorrer um caminho que lhe dará prazer. O verdadeiro sucesso não é o tamanho da sua conta corrente, o seu carro, suas roupas ou os lugares que você frequenta. O verdadeiro sucesso é estar bem consigo mesmo, sabendo que você faz as coisas porque gosta, porque acredita, porque se transformou em uma causa nobre. E quando você faz o que gosta, a qualidade do seu trabalho é reconhecida por todos.

E para finalizar, lembre-se bem desses três ingredientes: saiba aonde você quer chegar, descubra os meios para alcançar a sua meta e determine o prazo que essa conquista. Se o caminho a ser percorrido vai durar 6 meses, 2 anos ou 4 anos, isso não importa. O que importa é você aprender e se divertir. Quem sabe não descubra novas oportunidades e negócios lá na frente? Duvida? Então, abrace a causa e vá ao encontro das respostas.


Fonte: Artigos Administradores / Mudança de carreira: felicidade à vista

Os comentários estão fechados.