Não à procrastinação

Não à procrastinação

Fazer as coisas, sem ficar enrolando

Muitas pessoas quando realizam tarefas ou atividades, as fazem com determinação para que sejam concluídas no menor tempo possível.

Contudo há pessoas que, quando realizam trabalhos, não os fazem de forma “rápida” e sim, de um modo “lento”, até mesmo ” enrolando” muitas vezes e assim o trabalho fica atrasado e a pessoa pode adquirir a fama de procrastinadora.

Isso nada mais é do que não realizar com certo afinco o trabalho a ser completado.

Pessoas que adquirem tal “fama”, não são bem vistas nos meios aonde estão inseridas. Sofrem geralmente comentários de cunho, de não pudermos confiar trabalhos ou até mesmo delegar funções para essas pessoas, pois o trabalho não seria desenvolvido em tempo hábil.

Ademais pessoas assim, geralmente não possuem objetivos na vida, sonhos a serem concretizados, porque se nem o trabalho está desenvolvendo de maneira correta, imagina os possíveis objetivos que essas pessoas têm, também não terá nenhuma ” força de vontade “, para realiza-los.

Logo essas pessoas acabam por sofrem duros golpes em sua autoestima, pois ninguém depositará nelas confiança.

Porém há meios para que isso não ocorra e assim, a pessoa possa ser um ótimo profissional no meio que está inserida.

A pessoa deve sempre ter uma meta, jamais se acomodar no trabalho desenvolvido, pois acontece que, sempre realizando o mesmo trabalho, caímos na mesmice e assim gera o comodismo. Portando devemos sempre estar empenhados no trabalho, fazer com presteza. Não posso ser desumano este texto, no sentido que não enxergar que muitas vezes a pessoas poderá estar desanimada por conta de algum problema e isso reflete diretamente na sua produtividade no serviço. A pessoa tem o direito de ficar triste ou mesmo desanimado por causa de problemas, mas não podemos ficar triste, desanimados para  sempre, não é mesmo?!

Devemos tirar ânimos das adversidades que surgirem e assim resolver os problemas, pois ficar triste não resolverá em nada, mas podemos sim tirar de um momento triste, uma lição e até mesmo uma motivação para continuar a caminhar e assim sermos melhores pessoas nos meios que estamos inseridos.

Portando, desanimar podemos sempre, mas não poderemos deixar que isso não abale para sempre e sim, usar isso como motivar e sermos profissionais, saber que a vida não é uma constante e sim há altos e baixos e somos nós que escolhemos, se os “baixos” da vida irão nos influênciar ou não.

Logo se escolhermos a “não” influência negativa dos acontecimentos que surgirem, seremos pessoas mais obstinadas, perante a vida e assim, a procrastinação não ocorra em nós. As vezes poderá ocorrer o que comentei acima, um desânimo, uma certa desmotivação talvez, mas tudo isso será momentâneo. Sendo pessoas obstinadas, a procrastinação não terá vez nas nossas vidas.

 


Fonte: Artigos Administradores / Não à procrastinação

Os comentários estão fechados.