Networking realmente ajuda?

Networking realmente ajuda?

Pode parecer algo básico mas utilizar estratégias para movimentar seu networking é essencial

A ideia não é jogar ideia fora. Muito longe disso. Nosso tempo está cada dia mais escasso. Vivemos em um mundo rodeados de atribulações cotidianas e priorização é um recursos extremamente importante em momentos onde precisamos ter foco. Toda hora tem uma reunião, um texto, um gráfico, uma crise, crianças chorando, panela no fogo e por ai caminhando nossa correria diária.

O dia a dia nos faz perder essa palavra mágica. Sem foco sempre o mundo tentará nos tirar do rumo. Opa, será que é o mundo o culpado? Não mesmo, no meu entender. A responsabilidade da condução do veículo da vida é nossa. Não podemos colocar essa função na mão das outras pessoas, como diria a canção ‘don’t look back in anger’, do Oasis.

Segundo um teórico que gosto muito, Richard Würman, em seu texto ‘Ansiedade da informação: como transformar informação em compreensão’, ele comenta que apenas uma edição de um jornal como New York Times tem mais informação que uma pessoa teria acesso durante toda sua vida no século XVII. Somos bombardeados todo tempo pelo que chamamos de ‘excesso de informação’.

Priorizar o networking para construir relacionamentos de negócios é muito importante. Saber mobilizar sua agenda e pessoas estratégicas em prol de um objetivo claro. Não pensem que isso é se aproveitar de ninguém. Acredito que movimentar sua rede de contatos é algo que você faria, por exemplo, para organizar um churrasco. Você iria ligar para amigos para indicar onde comprar carne, um bom churrasqueiro, uma promoção de cervejas, compra gelo de boa qualidade e por ai vai.

Certa vez estava em uma reunião com um amigo que é consultor e investidor em Recife e ele me ensinou algo sensacional: “Vinnie, saiba organizar seus cartões de visita”. Achei interessante e pedi que ele me explicasse como fazer isso. “Precisamos saber espalhar os cartões em uma mesa e começar a pensar como articular conexões entre eles para que possamos fazer negócios”, fechou o raciocínio.

Semana passada gravei um vídeo para um congresso online e comentei sobre as minhas experiências em grandes empresas que poderiam ser trazidas para pequenos negócios no sentido de liderança. Quando trabalhei na Odebrecht, em Angola, aprendi o poder e a necessidade de sabermos mobilizar pessoas para trabalharem com você. Esse tipo de articulação é exatamente o que falei acima sobre articular a agenda e movimentar seus cartões. Não adianta trazer apenas ‘um amigo’ para atuar em uma função e essa pessoa não dar conta do negócio. A responsabilidade de montar a equipe é sua como líder. O mérito ou derrota será totalmente seu!

Precisamos estruturar de forma consciente nosso networking. Uma reportagem recente do The Guardian, maior jornal inglês, discutiu o tema abordando principalmente as fragilidades de atitude das pessoas em relação ao networking. Um dos pontos que achei muito interessante e corrobora diretamente com o que eu penso é que essa estratégia não é venda. Networking é a sua capacidade de articular suas ideias, demonstrar o que é capaz de realizar e naturalmente as pessoas estarão entendendo seu potencial. Não precisa dizer que você é o F#DA em algo. Isso o tempo é quem dirá… e o mercado também!


Fonte: Artigos Administradores / Networking realmente ajuda?

Os comentários estão fechados.