O Brasil, a crise e a síndrome de vira-latas

O Brasil, a crise e a síndrome de vira-latas

Uma análise de como o Brasil mergulhou na crise, como ela vem afetando a auto estima do brasileiro e qual o caminho para voltarmos a crescer

Todos nós sabemos que o país passa atualmente por uma grave crise econômica, com proporções ainda não mensuradas totalmente e sem prazo claro para terminar. As consequências da crise são diversas, dentre elas: aumento do índice de desemprego e da inflação, perda do poder de compra, fuga de capitais.

Neste contexto muitos de nós tentamos buscar alguma explicação do porquê de tudo isso, se vivemos em um país tão privilegiado e rico em termos de recursos naturais, com paisagens exuberantes e com um mercado consumidor interno tão grande que nos ajudou a ser a sétima economia do Mundo em 2014, com um PIB de mais de R$ 5,5 trilhões. Qual então a explicação para o quadro que vivemos, e mais ainda, como sairemos dele?

Sem sombra de dúvida a crise é apenas o sintoma de um grave problema brasileiro, cuja a causa raiz se encontra em nosso solo há vários séculos e por várias gerações. A crise que vivemos na verdade não é econômica, vivemos uma grave crise de gestão e por que não dizer, de valores.

Digo gestão ligada ao mais básico conceito da palavra, sofremos por não declaramos e estabelecermos enquanto país, quais caminhos devemos e queremos percorrer, ou seja, qual estratégia será adotada, sofremos quando os graves problemas que nos atingem e que nos impedem de crescer não são mapeados formalmente e suas causas raiz nunca são encontradas e tratadas, sofremos quando não monitoramos e controlamos os processos e resultados da nossa nação de forma adequada, aplicando assim de maneira incisiva as correções necessárias. Enfim, estamos sofrendo.

Todo esse quadro começa a gerar consequências perversas que atingem diretamente a vida de todo brasileiro. As políticas públicas populistas e insustentáveis, que diante da situação passam a minguar, evidenciam a falta de preparo de nossa força de trabalho, que em grande parte não conseguiu se preparar adequadamente durante o período em que foram “subsidiados”. Muitos dos estudantes que estavam se preparando nas universidades através dos programas de financiamento público e do crédito fácil, agora são obrigados a abrir mão de sua qualificação.

Outra consequência da crise é demonstrada diretamente na autoestima do brasileiro, se pudéssemos mensurar um indicador do nível de autoestima do povo brasileiro atualmente, tenho a sensação de ele estaria em queda livre, e junto com ele a tal síndrome de vira-latas (re)aparece. Esta síndrome estabelece um comportamento recorrente em grande parte dos cidadãos deste enorme país, que passam a mal dizer nossa nação, utilizando o foco no problema e assim acabam sendo grandes vilões, piorando muito a imagem do Brasil e do brasileiro, agravando a situação e se afastando ainda mais da solução.

Assim chegamos ao ponto mais importante deste texto, a busca por uma solução. Não tenho dúvida de que será através de uma gestão efetiva e profissional que nosso país sairá desta situação, sendo a educação o grande pilar de sustentação.

Para tanto, assim como milhares de exemplos de profissionais que podemos encontrar no mercado de trabalho e que se fizeram sozinhos, o nosso país e os brasileiros não poderão esperar que alguém ou algo (como o governo, por exemplo) resolvam a questão. O Brasil deverá trilhar o caminho do “self made country” e se fazer por si mesmo.

Para mim não há dúvida, esse caminho é o da busca pela excelência na gestão. E então, mãos a obra?  

PS: Um conselho pessoal, se você tem síndrome de vira-latas trate urgente do problema.


Fonte: Artigos Administradores / O Brasil, a crise e a síndrome de vira-latas

Os comentários estão fechados.