O caminho para superar inseguranças

O caminho para superar inseguranças

Quem não as tem?

Não há ninguém entre nós que não tenha inseguranças – alguns são apenas melhores em lidar com elas, ou talvez escondê-las.

Preocupamos-nos com o que as outras pessoas pensarão sobre nós, se somos bonitos o suficiente, se não estamos fazendo o que deveríamos, se iremos fracassar, ou se as pessoas descobrirão que somos uma fraude. Preocupamos-nos por sermos muito gordos, pensamos se ela gosta de nós, se ele gosta da outra garota, se não somos bons o suficiente.

E as redes sociais, com a cultura de nos fazer querer aprovação através de curtidas e retuítes, com as exibições de corpos incríveis e viagens e comidas incríveis… isso apenas agrava o problema. Mas você sabe de tudo isso.

A pergunta é: como superamos essas inseguranças?

Como ficar BEM consigo mesmo? Como aprendemos a encontrar o contentamento e a paz?

A resposta não é simples, mas requer uma coisa para se começar: o desejo de encarar o que geralmente não queremos encarar.

Isso significa ter um pouco de coragem. Apenas em doses pequenas, para começar, mas também significa um desejo de deixar de lado todas as distrações por pouco tempo e apenas focar no que você está combatendo.

Você tem essa coragem? Se sim, vamos começar.

Os obstáculos

O que aparece no nosso caminho para lidar com inseguranças? Existem obstáculos sujando o caminho. Existem ferimentos antigos que devem ser curados.

Alguns dos obstáculos que aparecem no caminho são:

Críticas passadas. Se um de nossos pais ou outros parentes nos criticou enquanto crescíamos, ou se sofremos bullying, nós provavelmente internalizamos isso. Eu tenho sorte que minha mãe sempre pareceu me aceitar como eu era, mas meu pai não. Ele tinha suas próprias inseguranças, mas elas se manifestavam como críticas a mim. Essas críticas ficam na minha cabeça, mas vêm morrendo recentemente por conta do trabalho que eu tenho feito (mais sobre isso abaixo). Ainda assim, elas podem nunca desaparecer completamente.

Uma auto-imagem negativa. Quando as pessoas lhe criticam por vários anos, você começa a se criticar. Toda essa crítica, junto à comparações desfavoráveis entre você e outras pessoas, resultam em uma auto-imagem que não é tão boa. Não importa se a realidade não coincide com essa auto-imagem… podemos ser competentes, brilhantes e lindos, mas se temos uma imagem de nós mesmos que nos represente como feios, burros e fracassados, agiremos de acordo com isso.

Necessidade de aprovação. Quando alguém nos dá aprovação, isso é ótimo! Sentimos-nos valorizados e lindos. Mas isso se torna um problema quando precisamos de mais aprovação para manter essa auto-imagem, e tememos não receber aprovação porque sem ela essa incrível auto-imagem irá desaparecer. Ficamos presos ao ciclo de necessidade de aprovação constante, e temendo a desaprovação. Lemos tudo que todos dizem e fazem, na vida real e nas redes sociais, em termos de aprovação e desaprovação. Isso se torna um terrível ciclo de necessidade.

Falta de confiança. Aprendemos a não confiar que as pessoas ficarão conosco, nos aceitarão, verão nosso lado das coisas como compreensível. Isso é treinado em nós com o passar dos anos conforme as pessoas fazem coisas que enxergamos como abandono ou rejeição. Paramos de confiar no momento para não sofrer.

Imagens das redes sociais e da mídia. Comparamos nós mesmos às pessoas sexy que vemos no Instagram e outras mídias sociais. Àquelas pessoas sexy dos filmes, TV e revistas. Estas imagens são feitas para vender, mas a forma como estão nos vendendo é nos deixar inseguros sobre nós mesmos para sentirmos a necessidade de ter o que quer que as celebridades estejam vendendo, para que nos tornemos tão bons quanto eles.

Não aceitar coisas sobre nós mesmos. No fim, o resultado é que rejeitamos uma grande parte de nós mesmos. Não gostamos que estamos com sobrepeso, ou que temos espinhas, ou algo dos nossos corpos. É incrível, porque até pessoas que você acha que têm corpos incríveis – rejeitam coisas sobre seus corpos! Também rejeitamos partes dos nossos eu interiores, as partes que são indisciplinadas, desinteressantes, medrosas ou preguiçosas. Rejeitamos as partes dos nós mesmos que são inseguras.

São muitos obstáculos para se enfrentar! E isso destaca porque para enfrentá-los é preciso coragem e porque a correção não é simples.

Mas há um caminho adiante.

O caminho para enfrentar a insegurança

Aqui está o segredo: os obstáculos, na realidade, nos mostram o caminho. Os obstáculos são o caminho.

Nós podemos abraçar estes obstáculos e trabalhar com eles. Para fazer isso, precisamos desenvolver uma consciência de quando nossas inseguranças estão surgindo. Podemos utilizá-los como um alarme de consciência, tocando quando estamos preocupados com medos e desconfiança, nos dizendo, “Ei! Tem tanta coisa boa para se trabalhar aqui”.

E esta é a chave: todas as suas inseguranças são, na verdade, uma oportunidade para se fazer um bom trabalho, para aprender sobre como trabalhamos, para desenvolver habilidades que nos ajudarão para a vida.

Então comece a prestar atenção e perceba quando você estiver sendo guiado pela insegurança. E aja das seguintes formas:

Perdoe o passado. Se suas inseguranças tiverem sido modeladas por um parente ou figura de autoridade lhe criticando, reconheça isso. Então comece a perdoá-los. Entenda que eles foram guiados por suas próprias inseguranças, lutando contra seus próprios demônios. Eles se comportam imperfeitamente, mas todos nós nos comportamos assim. Eles não estavam certos no que fizeram, mas você pode entendê-los da mesma maneira. E perdoe-lhes por seu mau comportamento, porque guardar o ressentimento não vai lhe ajudar. Deixe o passado para trás, um passo de cada vez

Aceite tudo em você. Pare e faça uma autoavaliação. Perceba as partes de si, tanto de seu corpo quanto do seu eu interior, que você não gosta. Observe essas suas partes e veja se você as pode dar amor. Pense como você trataria esse amigo imperfeito e seja do mesmo modo com você mesmo. Dê a si mesmo segurança e compaixão. Abrace todas as partes de si, as imperfeições e tudo mais, enxergue a beleza delas. Elas são o que fazem você ser o que é, e elas são lindas.

Pratique auto-aprovação. Se você perceber que está precisando de aprovação, elogios e atenção alheios, suas curtidas e retuítes… pare, e em vez disso retribua com auto-aprovação. Você pode tirar a energia que os outros têm ao lhe elogiar ao transferir essa energia para si mesmo. Você não precisa da aprovação de ninguém além da sua. Isso não significa que você não quer se conectar com os outros, ou amar, mas você pode amar os outros e ser amado por eles enquanto também tem auto-aprovação. Se aceite, por completo, se ame. E isso é tudo que você precisa.

Abrace a não-comparação. A comparação de si mesmo com a aparência das outras pessoas, com o que elas estão fazendo, para onde estão viajando, o quanto estão se divertindo… nunca é uma comparação útil e isso lhe machuca ativamente. Em vez disso, quando você vir alguém bem sucedido, em vez de se comparar à ele, enxergue-o como um ser diferente, assim como maçãs são diferentes de laranjas. Fique feliz por ele estar se divertindo, contente pelos seus sucessos. Ele está em caminhos completamente diferentes do seu, ele podem ser feliz e se divertir e você também, no seu próprio caminho. Deseje o bem para todos, mas enxergue sua grandiosidade como diferente da sua, portanto, incomparável.

Desenvolva confiança no momento. Através dessas práticas, comece a desenvolver uma confiança em si de que você ficará bem. Desenvolva uma confiança no momento e creia que ele se desdobrará e tudo estará bem. Isso se desenvolve com o tempo, fazendo pequenas predições sobre o momento (“esse momento ficará bem”) e então veja a previsão se tornar realidade.

Este é o caminho. Você pega as coisas com as quais batalha e aprende a trabalhar com elas. Aprenda a mudar sua perspectiva. Aprenda a ver o que está lhe fazendo tropeçar e transforme isso em uma oportunidade de praticar novas habilidades.

Este é um bom caminho. Ele me ajudou a me aceitar mais e confiar mais em mim mesmo. E como consequência, me ajudou a me amar mais e a amar mais os outros, um momento de cada vez.

Artigo publicado originalmente no blog do autor e gentilmente cedido ao Administradores.com.


Fonte: Artigos Administradores / O caminho para superar inseguranças

Os comentários estão fechados.