O CPC barato não é o melhor CPC

O CPC barato não é o melhor CPC

Por que, em campanhas de CPC não devemos perseguir o menor valor possível?

Sempre gostei do que ele faz, por ilustrar de forma cômica as nossas situações cotidianas do marketing e de internet com suas “sacações” em forma de cartum.

E hoje, foi exatamente com o que sempre explico.

Veja aqui.

É sobre a ‘bola da vez’: a tal da mídia programática, uma ‘feitiçaria’ digital que você não sabe direito aonde sua publicidade vai aparecer, nem quando, nem para quem, nem quanto vai pagar no final das contas, mas tudo vai ser o melhor possível. Acredite…ou não.

Diferente da publicidade digital tradicional, na qual você compra determinados espaços específicos nos sites, seja por um período de tempo (diária e em sites menores semanal/ mensal) ou por volume de impressões contratadas ou de determinado número de cliques atingidos. Em tese, nesse modelo temos um total controle de tudo.

Na mídia programática, todos os anunciantes estão procurando os melhores espaços, em toda a internet, nos espaços (placements) que estão acima da dobra – aqueles sem dar o ‘scroll’ na página; nos de sites de conteúdo relevantes e nichados, com assuntos específicos; em sites de veículos offline como jornais e revistas tradicionais que tem sua audiência cativa; e em sites em que seu consumidor/ cliente/ prospect/ shopper visitou recentemente, meio que perseguindo a audiência com cookies (marcações digitais) de remarketing e mostrando o que a ferramenta ‘acha’ que ele (usuário / leitor) vai querer.

E então, você ainda vai disputar esses espaços com outros anunciantes, entrando num leilão.

As ferramentas e algoritmos decidem por nós e teremos que lidar com isso, pois as negociações de mídia acontecerão cada vez mais dessa forma, inclusive para outros meios. Só nos cabe, aproveitarmos tanto a vantagem da velocidades de negociação, quanto lidar com a desvantagem de não saber exatamente se seu anúncio vai efetivamente aparecer. Se o anunciante quer pagar barato no CPC (custo por clique) que vai nesse leilão, o algoritmo vai achar um local barato e vai entregar toda a sua campanha. Agora se sua campanha vai ter o resultado esperado, ai já seriam outros quinhentos ou muitas vezes alguns centavos a mais no CPC que você estaria disposto a pagar no leilão.

O lance máximo de CPC do anunciante não é sempre o lance de CPC que será pago em todo leilão, o CPC médio será sempre menor. O anunciante sempre pagará um centavo a mais do que seu concorrente imediato, por aquele mesmo espaço e cliente, naquele mesmo momento, levando em conta ainda outros fatores específicos de cada ferramenta, não apenas o valor de CPC e verba disponível.

Então, por que o anunciante acha que somente ele quer pagar o menor CPC possível?

Da mesma forma que não vai acontecer aquela super promoção com assentos de primeira classe nas companhias aéreas, você não vai conseguir um ótimo posicionamento com um CPC ‘baratinho’.

Sendo assim, com CPC baratinho, sua campanha pode vir a aparecer num site pornô, num site de conteúdo de streaming de vídeo pirata, pode ser veiculado num pop-under (aquelas janelas que abrem atrás do conteúdo sem você saber), pode ser numa bizarrice que vi outro dia de um banner dentro de outro banner. Tudo com baixa ‘viewbility’.

Viewbility???!!

É uma outra métrica a ser levada em consideração, mede se realmente seu banner/ anúncio pode ser visto por olhos humanos.

Vale a pena dizer que, seu um anúncio foi visto, não necessariamente quer dizer que alguém realmente prestou atenção nele.

Recentemente, o Google compartilhou os resultados de um estudo que mais de 56,1% de exibição de anúncios impressões não são vistos. O Comscore está agora com uma ferramenta específica para medir isso.

Quando não levamos em consideração tudo isso e só queremos o CPC barato, muitas vezes não se tem o resultado esperado.

Dai, fica a sensação ruim de que a Internet e a campanha não funcionaram, mas pelo menos o CPC para o cliente foi bem barato!

O CPC barato é o CPC que fecha sua conta do ROI de investimento de mídia!

Prefira sempre AdNetworks e AdExchanges em que você possa trabalhar com whitelist e blacklist de sites de forma transparente, pois muitas vezes um site de grande tráfego, mesmo que contenha seu público, pode não ser a melhor opção para o anúncio da sua marca, principalmente no longo prazo.

Você recebe por aquilo que você paga… sempre.

Publicado originalmente em https://www.linkedin.com/pulse/o-cpc-barato-n%C3%A3o-%C3%A9-melhor-ricardo-castelo


Fonte: Artigos Administradores / O CPC barato não é o melhor CPC

Os comentários estão fechados.