O dinheiro e as mulheres: a raiz está na mente!

O dinheiro e as mulheres: a raiz está na mente!

Se analisarmos na participação das mulheres nos rankings de pessoas bem sucedidas nos negócios e financeiramente, veremos o quanto ainda é pequena, mas crescente. Mas essa realidade está mudando, e através do desenvolvimento pessoal, as mulheres tendem a conquistar mais espaço de maneira mais assertiva e cada vez mais rápida

Quanto mais estudo Educação Financeira e os impactos da cultura em nosso comportamento financeiro, especialmente no Brasil, mais confirmo que o que está por traz de nossos resultados em relação a sucesso e prosperidade são nossas crenças!

As crenças que herdamos sejam elas decorrentes da história econômica cultural do país, da educação direta ou indireta, ou mesmo subprodutos das crenças religiosas arcaicas, são a referência de nossa forma de se relacionar com dinheiro.

E não seria diferente com questões de gênero…Devido a mentalidade, ouso dizer, mal interpretada sobre o papel da mulher na sociedade, convivemos até hoje com a idéia de que mulheres bem sucedidas conseguem chegar ao sucesso financeiro e profissional devido a ajuda de marido, familiares, herança ou mesmo uma ganância desmedida.

Porém, as estatísticas confirmam que essa realidade já está mudando. E, confirmando minhas suspeitas, a transformação dos resultados do público feminino está acontecendo justamente porque cada vez mais elas…ou nós! estamos buscando mudar a raiz de nosso relacionamento com dinheiro e prosperidade, ou seja, se auto desenvolvendo para remodelar nossa estrutura mental, nosso modelo de crenças que nos embasa em nossos comportamentos e resultados financeiros e profissionais.

Vamos aos números: Segundo a revista Forbes, dos 268 recém-chegados à lista de bilionários no mundo em 2014, apenas 42 são mulheres; de 1.645 pessoas do ranking dos bilionários, 172 são mulheres e dessas e 32 tiveram algum papel na construção de suas fortunas sendo que 16 fizeram isso sozinhas, sem ajuda dos cônjuges, como é o caso de Sheryl, Diretora de operações do Facebook. (Fonte: Terra economia – 7 MAR2014).

Ao mesmo tempo, o número de mulheres empreendedoras cresceu 21% no Brasil entre 2001 e 2011, mais do que o dobro do crescimento registrado entre os homens, segundo pesquisa do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae). De acordo com o estudo, os negócios comandados por elas estão mais duradouros: a porcentagem de empresas em atividade há mais de cinco anos registrou alta de 48% para 54%.

Segundo o professor Alessandro Saade (Business School São Paulo – BSP), a mulher tem um perfil mais empreendedor que o homem por ser multitarefas, são mais focadas em detalhes, se preocupam mais com o cliente além de ter uma tendência a buscar mais o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

A tendência é que as mulheres cresçam em atuação no cenário do empreendedorismo, também tomem conta dos cargos de gestão e liderança no mundo corporativo e mais, se tornem referência em sucesso e prosperidade para o mundo!

A conclusão? Prosperidade é decorrência de posicionamento e crenças positivas e assertivas. O resto? è blá blá blá! E se vivida como um estilo de vida, poderá ser usufruida plenamente por todos, simples assim. 


Fonte: Artigos Administradores / O dinheiro e as mulheres: a raiz está na mente!

Os comentários estão fechados.