O estresse no trabalho e como evitá-lo

O estresse no trabalho e como evitá-lo

Dicas simples e práticas de como evitar e aliviar o estresse no trabalho

O estresse já faz parte da vida de muitas pessoas. Como se não bastasse, ele toma cada vez mais espaço no mundo profissional, principalmente com colaboradores que caem na depressão e transtorno de ansiedade, responsável pela maioria dos casos de afastamento do trabalho.

Os mais resistentes psicologicamente, isto é, que têm os seus lineares psicológicos mais altos, conseguem com mais facilidade contornar situações de estresse ou em alguns casos acabam sofrendo os males do estresse com o passar dos anos.

Muitos profissionais se afastam do trabalho não por que querem, mas por que a sua saúde falou mais alto. Há centenas de profissionais que amam o que fazem, sem dúvidas. O problema, é que não estão no lugar certo ou com as pessoas certas. Geralmente estas são pessoas que acabam não se adaptando ao local e aos colegas. É necessário se autoconhecer bem para ter a percepção de enxergar ambientes saudáveis para o seu crescimento profissional e aqueles que somente sugam o seu tempo sem grandes perspectivas de crescimento. Isto é, o colaborador que entrega muito, mas recebe pouco em troca disso. E eu não estou me referindo a remuneração somente, mas sim na sua relação com a liderança direta e seus colegas. Em alguns casos mais esporádicos, o colaborador acaba não se identificando com os valores e a cultura de empresa e consequentemente acaba perdendo grande parte de satisfação em seu trabalho, o que com certeza mais cedo ou mais tarde leva a exaustão e que o leva ao estresse.

Pensando sempre em deixar o clima organizacional das empresas mais saudável e, consequentemente atingir uma maior retenção de talentos, eu separei alguns fatores que são gatilhos de estresse para os colaboradores e que podem ser identificados e resolvidos. Quem sabe você identifique algum destes fatores em sua empresa atualmente? Ou quem sabe identificará futuramente ou até mesmo utilize este artigo como uma forma de se precaver, tomando desde já as medidas necessárias?

Geralmente, como foi citado acima, muito dos problemas de estresse dos colaboradores estão ligados a problemas de relacionamento, seja com seus colegas ou sua chefia. As pessoas são diferentes, cada uma com suas personalidades e peculiaridades. Isso sem dúvida gera conflitos algumas vezes, e lidar com estes conflitos de forma produtiva e sem levar para o lado pessoal, é um traço muito raro de se encontrar nas pessoas. Por isto que na maior parte das vezes estes conflitos e mal entendidos tornam se uma barreira entre o líder e o colaborador. Em contrapartida, há líderes e até mesmo colaboradores muito bons em gerenciar conflitos e por isso ambos saem no “ganha-ganha”. Você já presenciou em sua carreira alguma situação
conflituosa em que no final tornou se a geradora de motivação para todos? A tensão, se bem colocada e gerada na dose certa, pode ser benéfica. Porém, tensões através de metas inatingíveis sempre serão geradores de estresse para o colaborador.

Dentre tudo isto já citado, há algumas outras variáveis que podem ser geradores de estresse nas pessoas. São elas:

Processos: Toda empresa tem seu próprio protocolo para relações interpessoais. Em muitas delas, os empregados podem lidar com os membros de suas próprias equipes de uma maneira informal, mas, quando interagem com pessoas de outro grupo ou departamento, devem lidar de maneira mais sistemática – através de canais específicos de comunicação. No caso de surgirem conflitos entre os membros de uma mesma equipe, a chefia deve resolvê-los.

Funções: Muitos conflitos surgem quando achamos que nos deram tarefas que deveriam ter sido passadas a outro profissional, ou quando um projeto que esperávamos ser nosso é entregue a outra pessoa. Você já passou por alguma experiência semelhante? Tais conflitos podem ser evitados através de uma medida muito simples: Crie um “Perfil de função” de todos os cargos disponíveis na empresa e descreva todas as funções, de forma clara e objetiva, porém bem compreendida.

Relacionamentos Interpessoais: Um grupo ou uma equipe organizacional é composto por indivíduos, como citado anteriormente, cada um com a sua própria personalidade, peculiaridades, dons e hábitos de trabalho. Frequentemente, membros de um grupo podem discordar do modo como fazer um trabalho ou, pior, ter divergências pessoais. Uma das maiores causas de preocupação resulta de tais situações.

Instruções: A maioria das grandes empresas possui manuais, nos quais são especificados métodos sistematizados para lidar com assuntos rotineiros. Esses Procedimentos Operacionais Padrão constituem-se como um guia para os trabalhadores e supervisores, de modo que não seja necessário tomar e retomar decisões nas atividades do dia-dia. Se as instruções forem claras e de fácil compreensão, muitos dos conflitos podem ser evitados. A responsabilidade do diretor é de assegurar que o seu pessoal use os Procedimentos Operacionais Padrão e saiba lidar assertivamente com aspectos que surgirem que não estiver no Manual de Procedimentos Operacional Padrão.

Estas são algumas variáveis que geram conflitos e situações de estresse no trabalho. Abaixo trago algumas estratégias bem simples de como se reduzir conflitos no trabalho. Principalmente os mais ocorrentes: Com colegas.

1 – Empatia: Tente ver as coisas através dos olhos dos colegas. Como eles veem a questão? Quais as diferenças em relação ao seu ponto de vista?
2 – Sempre use mensagens com “eu“ e “nós”, em vez de mensagens com “você”.
3 – Faça comentários verdadeiros. Seja sincero. Mas sempre educado e sutil.
4 – Escolha lutar as batalhas que valham a pena. Não vale a pena gerar conflito no local de trabalho por time de futebol e outras questões, né? Algumas vezes a melhor saída é simplesmente ignorar. O famoso “entra num ouvido, sai no outro”.                      5 – Coloque sua energia e motive seus colaboradores à coisas que “se pode fazer”. Jamais perca tempo reclamando as que “não se pode fazer”. Isto gera um clima de desânimo algumas vezes. Bem propício para o estresse.                                               6 – Faça algo bom para os outros sem expectativas e conquiste sua confiança. Sem expectativas pelo fato de que nem sempre se ganha a confiança da pessoa. Algumas levam mais tempo, outras menos e a expectativa pode se tornar um fator de ansiedade. O fato é que ao ganhar a confiança das pessoas elas tornam-se mais abertas a receber feedbacks e críticas construtivas, minimizando assim os conflitos e estabelecendo um ambiente propício para o diálogo saudável.

Seguindo todas as dicas deste artigo, seja você colaborador de alguma empresa ou diretor, eu tenho certeza que os conflitos serão minimizados. O ser humano é a mais bela criação da natureza, por isto, tamanha a sua complexidade. E é isso que os torna tão especiais. Por trás de toda ação há uma intenção positiva. Muitas vezes as pessoas fazem algo errado, mas crendo que seus propósitos estão corretos. Ninguém faz nada errado sabendo que é errado! Pode parecer errado para a nossa percepção, mas a pessoa sempre haverá as suas justificativas. Por isso é tão importante saber ver o outro lado, se tele transportar para a mente da outra pessoa e tentar compreender o que se passa lá. Certamente esta é uma das formas mais difíceis de gerenciar conflitos e pessoas, mas certamente uma das mais belas e especiais. Não custa praticar a empatia. Pois a empatia nos leva ao problema, e por fim, a extinção dele na pessoa. Afinal, a pessoa nunca é o problema. O problema é que está na pessoa.


Fonte: Artigos Administradores / O estresse no trabalho e como evitá-lo

Os comentários estão fechados.