O gestor da Geração Z

O gestor da Geração Z

O gestor das novas gerações terá algumas funções a mais do que os gestores anteriores. Ser um gestor nos anos anteriores já não era fácil, ser um gestor nesses novos tempos será bem mais difícil. Além de uma geração mais impaciente, mais ansiosa, o gestor dos novos tempos terá que lidar com uma geração que ingressa na empresa com menos contato com a realidade

O gestor das novas gerações terá algumas funções a mais do que os gestores anteriores. Ser um gestor nos anos anteriores já não era fácil, ser um gestor nesses novos tempos será bem mais difícil. Além de uma geração mais impaciente, mais ansiosa, o gestor dos novos tempos terá que lidar com uma geração que ingressa na empresa com menos contato com a realidade.

Vejo uma sociedade hoje muito mais voltada para o consumo, onde se diz “consuma hoje”, você não sabe se estará vivo amanhã. Neste sentido, há todo um estímulo para que as famílias comprem sem refrear seus impulsos, e por isso mesmo não estimulem seus filhos à reflexão da adequação do que é correto, do que se deve poupar, do que pode esperar, da noção de valor x preço, de como conter seus próprios impulsos, enfim, de uma boa noção de autoconhecimento, que estimularia a reflexão mais profunda que norteia nossas atitudes.

Neste sentido, esta é uma geração mais intempestiva, pouco acostumada a contextualizar uma ideia, a ponderar suas atitudes e por isso mesmo a se compreender e se conhecer.

É o gestor quem terá a árdua missão de lhe dar certa noção de inserção na vida. As famílias, com culpa e também inseridas nessa sociedade de consumo, pouco tem feito para conter essa geração tão exigente e por vezes inconsequente.

Vejo por ocasião da Pascoa, por exemplo, pais que permitem que seus filhos escolham ovos de quaisquer valores, sem a menor noção de comparação entre o presente de Páscoa e o chocolate cotidiano, ou mesmo a alimentação cotidiana. Vejo pais que compram presentes para seus filhos somente pelo fato de que seus colegas de escola ostentam tênis ou roupas que eles não têm e, por consequência, pedem a seus pais que lhes comprem itens semelhantes.

O papel dos novos gestores não será fácil. Nunca foi, mas agora inclui um papel de educador, que não lhes cabia antes. Questões como ética, respeito, comprometimento, devem ser incorporadas no papel deste líder como nunca antes apareceram, sob pena de sumir de vez do contexto dos nossos jovens.

O papel dos novos gestores não é fácil. Mas é fundamental.


Fonte: Artigos Administradores / O gestor da Geração Z

Os comentários estão fechados.