O impacto dos celulares nas vendas da sua empresa – mobile marketing

O impacto dos celulares nas vendas da sua empresa – mobile marketing

Todos os dias quando você sai para o trabalho, para a escola, para algum momento de lazer, ou até mesmo em casa, você vê diversas pessoas com um smartphone na mão…correto?

POR QUE MOBILE?

A resposta vem com outras simples perguntas:

– Por que eu vou ficar na fila do banco?
– Por que eu vou ficar na chuva para pedir um taxi?
– Por que eu vou tentar ficar ligando 20x na lanchonete que eu gosto até que o telefone não esteja mais ocupado e o atendente anote meu pedido?

Resposta: Conveniência

Todos os dias quando você sai para o trabalho, para a escola, para algum momento de lazer, ou até mesmo em casa, você vê diversas pessoas com um smartphone na mão…correto?

Essa incrível mudança é resultado da evolução tecnológica que ocorre em todo o mundo, e com ela vêm uma grande e significativa mudança no comportamento dessas pessoas em decorrência do uso destes dispositivos.

Para entendermos um pouco mais sobre o que tudo isso representa, segundo uma pesquisa realizada pela Nielsen, o número de pessoas que usam o smartphone para ter acesso à internet continuou em crescimento no Brasil e chegou a 72,4 milhões no segundo trimestre de 2015, uauuu!!

Em relação ao numero de habitantes que o Brasil possui, essa “pequena” fatia de mercado representa em média 30% da população brasileira, segundo a projeção do IBGE para setembro de 2015.

Isso realmente é muita gente, agora uma boa pergunta:

O que as pessoas mais acessam pelo smartphone ou tablet?

Elas…
– Checam e-mails e acessam as Redes Sociais, onde o Facebook é rei absoluto;
– Enviam mensagens em apps como Whatsapp e Messenger;
– Consomem conteúdo em vídeo e entretenimento, principalmente no Youtube;
– Procuram por notícias e conteúdo relevante em Blogs e sites;
– Pesquisam sobre mapas, localizações e acessam bancos;

E você, vai ao banheiro com o smartphone?
Acredite, você não está sozinho.

Isso mesmo, em média 20% desses usuários vai ao banheiro com smartphone e o maior pico de uso das classes sociais A, B e C, ocorre antes de dormir com quase 50%, em média 46% utilizam quando esperam em algum lugar e quase 35% enquanto assistem TV.

Agora, o que é mais importante diante disso tudo, é que pelo menos 65% destes usuários já realizaram ao menos umacompra online com estes dispositivos.

Segundo um estudo do instituto de pesquisa Ipsos e do PayPal, as compras online por smartphones ou tablets totalizaram R$ 15,1 bilhões em 2014, e a expectativa é de que cresça 46% entre 2013 e 2016, um ritmo 2,7 vezes mais rápido do que o índice esperado para o comércio eletrônico como um todo, de 17%.

Porque simplesmente, para eles esta é uma forma mais conveniente (43%) e rápida (35%) de pagar por suas compras.

Diante de toda essa informação valiosa, eu te pergunto:

A sua empresa, sua loja ou você que é profissional de serviços quer aproveitar essa enorme fatia de mercado, ou prefere ficar esperando e rezando para que os clientes apareçam como se fosse um milagre??

Então, preste muita atenção nestas dicas e informações valiosas sobre como você pode sair na frente da sua concorrência.

– O Seu Site Funciona corretamente Nos Tablets e Smartphones?

Em abril de 2015, o Google efetuou uma importante modificação em seu sistema de buscas, diminuindo a qualificação de sites que não funcionam em dispositivos móveis. O novo algoritmo rebaixou sites que são construídos em Flash, que não possuem design responsivo ou que não oferecem links com facilidade de clique.

Atualmente mais de 35% dos sites do mundo não foram projetados pensando nos usuários de smartphones, os menus ficam desalinhados, as barras de rolagem acabam atrapalhando a navegação e o que é pior, o texto fica minúsculo e necessita de zoom enorme, dificultando a leitura, forçando o usuário a sair do site de tão frustrado que ficou. Lembra o que eu falei lá no início? A palavra é conveniência.

Portanto, o seu site precisa ser amigável a celulares e tablets, ou “mobile friendly”, que é o termo utilizado para nomear sites ou páginas que se adaptam automaticamente ao serem acessadas por dispositivos móveis, basicamente existem duas formas de você se posicionar quanto a isso:

– Sites Responsivos: Site ou layout responsivo é quando o site automaticamente se encaixa no dispositivo do usuário, mesmo sendo de tela pequena ou grande, (PCs, celulares, tablets, etc).

– Sites Mobile: são feitos especialmente para os dispositivos móveis, com conteúdos exclusivos e, claro, com uma ótima navegação para os usuários.
– As Buscas no Google.com

Muitas das buscas realizadas em smartphones são feitas na rua, as pessoas querem encontrar rapidamente um restaurante japonês, o endereço de uma loja ou o telefone de um profissional, entre tantas outras informações que tenham como finalidade a compra.

Por isso, você deve investir em posicionamento regional, dessa forma, oferecendo mais detalhes sobre o seu produto ou negócio para que possíveis compradores o encontre nas buscas.

Entretanto, o seu site deve ser “mobile friendly”, recebendo assim prioridade nas buscas do Google, aumentando assim, as chances de você conquistar um novo cliente, ou prefere deixar para seu concorrente que já está bem posicionado??

Bom, agora que ficou tudo um pouco mais claro, surge aquela dúvida:

Eu tenho um site responsivo, mas por quê ele não gera vendas??

Eu trabalho como consultor de marketing digital especializado em vendas online e posso afirmar que, provavelmente o seu site não está otimizado para o Google e preparado para vender mais, no trabalho que faço para diversas empresas, normalmente analiso o site, e ele apresenta alguns erros que a maioria não conhece, mas que no final, fazem toda a diferença.

Há ainda, diversos outros fatores relevantes, como: problemas de servidor, erros estruturais e de código e mais alguns detalhes, que eu vou abordar numa próxima postagem.

E aí, ficou interessado?? Quer ter um site vendedor??

Deixe seu comentário abaixo…

 


Fonte: Artigos Administradores / O impacto dos celulares nas vendas da sua empresa – mobile marketing

Os comentários estão fechados.