O jogo dos 7 erros no empreendedorismo

O jogo dos 7 erros no empreendedorismo

Não cair na armadilha de erros comuns no empreendedorismo poderá ser a chave para o sucesso

É fácil cair em certas armadilhas no início da vida empreendedora. Evite ser uma das vítimas desses erros comuns, conhecendo-os, antes de qualquer coisa. Leia abaixo: 

1. ACHAR QUE SÓ UMA BOA IDEIA É O SUFICIENTE PARA EMPREENDER

Um erro muito comum principalmente entre jovens empreendedores é achar que a sua ideia é a melhor do mundo e por isso pode ir em frente sem analisar outros aspectos. A ideia do negócio a ser empreendido seguramente é uma das partes mais importantes do empreendedorismo, mas ela por si só não se sustenta até o sucesso. A percepção e a vontade de empreender podem alinhar empresas emergentes em busca do sucesso. Defenda sua ideia com a visão sistêmica necessária nos negócios, e tenha a capacidade de gerar o próprio sonho.

2. NÃO ANALISAR PRODUTOS E/OU SERVIÇOS SEMELHANTES

Hoje é praticamente impossível empreender um negócio sem analisar como os produtos ou serviços semelhantes se comportam no mercado consumidor. Produtos semelhantes podem dizer ao empreendedor que ele deve ou não seguir adiante com sua ideia. Fazer o seu produto com algo diferente dos semelhantes é o caminho para o sucesso. Lembre-se que carências da população acabam por gerar muitas oportunidades de negócios. Busque algo para o seu produto que os semelhantes não tenham ou tenham pouco.

3. NÃO ANALISAR O ENTORNO DE ONDE SERÁ SEU NEGÓCIO

A localização de um negócio diz muito sobre seu futuro. Nem sempre um local caro e sofisticado é a melhor opção. Analise fluxo de pessoas, segurança da região, público alvo do seu negócio, entre outros. A visibilidade da sua marca é importante. Desenvolver uma visão estratégica sobre a localização deve ser vista como um processo de superar obstáculos em relação ao ambiente externo.

4. NÃO QUERER AVALIAR OS RISCOS DO NEGÓCIO

É necessário prever consequências caso alguns riscos do negócio se concretizem. Os riscos podem ter consequências financeiras e técnicas. Faça um planejamento sobre os riscos. O papel do risco em nossa sociedade não se trata de aventura intelectual e sim usar métodos modernos de pôr o futuro a serviço do presente. Essa capacidade de construir caminhos para transformar o sonho em realidade não pressupõe o abandono da análise dos riscos do negócio.

5. NÃO BUSCAR O AUTOAPRENDIZADO

Buscar o desenvolvimento pessoal é um dos passos iniciais para empreender um negócio. É importante identificar que habilidades são necessárias para empreender meu negócio. Hoje existem muitos cursos disponíveis para aumentar sua qualificação. Não deixe de buscar a qualificação. Identifique seus “pontos fracos” e corra atrás de melhorá-los. Por mais gigantesca que possa parecer a tarefa de inserir o aprendizado em seu dia a dia, busque essa cultura do aprendizado, pois isso lhe ajudará muito na busca do sucesso econômico e financeiro do negócio. Ter um conjunto de fundamentos aplicáveis de forma criativa diferenciará o empreendedor na sua relação com o meio no qual está ou estará inserido.

6. IGNORAR A ALTA TAXA TRIBUTÁRIA E ELEVADOS ENCARGOS TRABALHISTAS

Não é novidade para nós brasileiros a alta incidência de tributos e encargos sobre as atividades produtivas. Não caia na armadilha de desconsiderar esses fatores, pois, cada vez mais os controles governamentais apertam as empresas. Não fazer tudo de acordo com a legislação é um risco que o empreendedor não deve assumir. As consequências podem inviabilizar o negócio. Seja prudente e considere todas as normas vigentes. Não cabe mais “jeitinho”. A educação empreendedora lhe garantirá que seu sonho é “individual”, porém a sua finalidade é coletiva. Este conceito pode trazer no seu interior a intenção da geração de melhorias em uma coletividade e não apenas de valores econômicos para seu negócio.

7. NÃO TER UM PLANO DE NEGÓCIOS

Por menor que seja o seu futuro empreendimento, não ter um Plano de Negócios com os requisitos mínimos, pode dar uma enorme dor de cabeça num futuro bem próximo. O Plano de Negócios deve ser claro, ter linguagem simples ser sintético e objetivo. Não deixe de identificar pontos de controle no Plano de Negócios. Uma velha máxima da administração diz: “quem não mede não gerencia”. O Plano de Negócios vai contemplar tudo que foi escrito anteriormente e mais detalhes sob o ponto de vista da viabilidade econômica do empreendimento. Afinal, ninguém vai empreender (tratando-se de empresas com fins lucrativos) sem que se busque resultado financeiro positivo naquele negócio. Por isso, identificada e aproveitada a oportunidade de negócio este é o momento de recorrer aos conhecimentos para não deixar dúvidas da sua organização.


Fonte: Artigos Administradores / O jogo dos 7 erros no empreendedorismo

Os comentários estão fechados.