O MBL em xeque!

O MBL em xeque!

Movimento Brasil Livre e o impeachment de Dilma Rousseff

O Movimento Brasil Livre foi criado sob o alicerce de ser uma instituição apartidária e voltada ao combate da corrupção brasileira e por consequência instada a apoiar o impeachment da presidente Dilma Rousseff.  A entidade “comandou” milhares de pessoas por todo país conseguindo mobilizar a maioria dos brasileiros em prol da luta a favor da honestidade, principalmente política, sendo um dos paladinos contra o governo, sempre sob o manto da imparcialidade e do apartidarismo.

Recentemente, fomos surpreendidos com vazamentos de escutas telefônicas onde os cabeças  do movimento confessam ter sido financiado por alguns partidos políticos de oposição ao governo, inclusive aquele cujo atual presidente interino pertence. Não chega ser nenhuma novidade e tampouco essa revelação nos traz qualquer tipo de perplexidade. Apesar de entender que tais financiamentos não comprometem a causa em si, não há dúvidas que a insinceridade dos arquitetos do MBL colocam em xeque todo o esforço e toda retórica utilizada nossos últimos meses nas manifestações pelo país a fora. Por certo, a angústia e o desejo da maior parte da nação que seguiram a pauta da entidade anticorrupção não podem ser relativizadas e tão pouco questionadas, uma vez que o engodo alcançou somente a cúpula do movimento, o que absolve as milhares de pessoas que foram para as ruas protestar.

Por mais que saibamos ser perfeitamente possível a manipulação de massas, no caso em tela a maioria esmagadora do país esteve nas ruas independentemente da batuta de qualquer instituição ou partido político. Não podemos esquecer que em 2013 o povo se insurgiu contra míseros centavos que aumentavam o custo do cidadão, em relação ao transporte de ônibus,  sem nenhum tipo de orquestração. Prova insofismável da impaciência que o país nutria em relação ao governo da época.  Daí, atribuir o escopo das manifestações que tivemos nos últimos anos a alguns partidos é querer pegar um atalho para desacreditar os queixumes do povo e tentar dar corpo a outro movimento, confessadamente partidário, a favor do governo Dilma. Que os cidadãos fiquem atentos e se protejam desses falsos moralistas que por vezes tentam se aproveitar das causas legítimas. Se arvorando do slogan de uma famosa campanha, quem vê cara não vê partido!


Fonte: Artigos Administradores / O MBL em xeque!

Os comentários estão fechados.