O medo da evolução

O medo da evolução

O que empresas enfrentam hoje na hora de se posicionar no mercado e criar produtos que façam a diferença na vida dos consumidores

Antes de comentar sobre a “guerra” entre Whatsapp e operadoras de telefonia, precisamos dar um passo atrás e analisar o porquê de as pessoas estarem optando ou não por um serviço. Pelo simples fato de que os tempos mudaram, nossas vidas são diferentes de como eram no passado e hoje temos uma infinidade de serviços. Procuramos comodidade, facilidade, qualidade e, quando menos percebemos, já deixamos de usar algum serviço. Tomamos decisões a todos os instantes e com a mobilidade temos inúmeras experiências durante o dia, sejam boas ou ruins. 

Antes éramos obrigados a utilizar os serviços de voz das operadoras, arcar com preços exorbitantes das tarifas de ligações para celular, interurbanos e muitas vezes de má qualidade. O mesmo acontece com pessoas que estão trocando TV por assinatura por NETFLIX ou passageiros trocando Taxis por Uber, e assim por diante. 

Pegando esse gancho, podemos pensar em uma disputa entre o novo e o modelo arcaico, que ficou estagnado no tempo. Vivemos hoje em um mundo de transformação e de revolução, no qual a tecnologia faz parte de um contexto que nos permite obter experiências simples de forma fantástica, ou seja, escolhemos o que é melhor para nós.  

Por um lado, o mercado está commoditizado, televisionado e capitalizado, mas também do outro lado existem empresas e projetos que nos fazem descobrir novos horizontes, apostando na evolução da experiência, mudando paradigmas e rompendo com algum modelo de negócios que já está falido. Isso é a evolução.  

E esse problema não é de hoje, basta relembrarmos da época dos rolos de filmes para tirar foto. A gente comprava o rolo de 24 ou 36 fotos e depois mandava revelar. A Kodak era líder do segmento, mas continuou vendendo rolo enquanto outras empresas engoliram o mercado com as câmeras digitais, que colocaram fim à história da película fotográfica, inventada em 1888 por George Eastman. 

E a “guerra” entre as operadoras e WhatsApp é mais uma entre inúmeros confrontos que estão acontecendo e que ainda estão por vir. E a regra do jogo é simples: interesses financeiros. É aquela velha história da vaca leiteira, porém o leite está acabando. 

As operadoras por anos e anos deixaram a desejar na qualidade dos serviços e tiveram inúmeras oportunidades para sair na frente e se reinventar, mas entendiam como canibalização dos serviços. E hoje vemos as OTTs ganhando cada vez mais usuários fieis e satisfeitos com os serviços, como o Whatsapp, empresa sem fonte de receita e que vale bilhões no mercado. 

Enquanto as operadoras continuarem dependentes somente das receitas de voz e cobrando tarifas exorbitantes, continuarão perdendo espaço para as empresas que estão pensando recriando novos modelos, e não pensando apenas no próprio lucro.

Publicado originalmente em https://www.mundodomarketing.com.br/artigos/cristiano-kanashiro/34626/avanco-tecnologico-x-modelos-arcaicos-o-medo-da-evolucao.html


Fonte: Artigos Administradores / O medo da evolução

Os comentários estão fechados.