O ponto de partida

O ponto de partida

O tema de hoje é capital inicial. Se você espera ter alguma certeza para abrir o seu negócio, esqueça. Você nunca será empresário. Acostume-se com a ideia de risco calculado

Oi Pessoal,

Primeiro de tudo queremos ressaltar que os textos que postarmos refletem nossas opiniões pessoais face ao que vivemos na nossa empresa. As análises expressas aqui devem ser consideradas em conjunto com reflexões acerca de especificidades técnicas e burocráticas de cada negócio.

Parabéns! Você teve uma ideia! Esse é o primeiro passo e até pode não ser o mais importante, mas é o que lhe impele a agir. Analisou a si mesmo e ao mercado e chegou à conclusão do que pode ser um serviço/produto interessante de ser oferecido. Tem consciência de como pode fazer a diferença, mesmo em um cenário competitivo. Perfeito. Posto isso, sigamos adiante.

Tivemos um aprendizado simples, mas que foi relevante no início de nosso negócio. Tivemos a oportunidade de legendar uma palestra de franceses que apresentavam os conceitos da Prospectiva Estratégica. A frase “Questione as ideias recebidas, mesmo que desafie a sua própria lógica” virou um mandamento para nós. A partir de então, tivemos ainda mais aguçado o hábito de analisar as situações com uma perspectiva diferente.

O tema de hoje é capital inicial. Se você espera ter alguma certeza para abrir o seu negócio, esqueça. Você nunca será empresário. Acostume-se com a ideia de risco calculado. O que é o tal do risco calculado? Buscar o máximo de informações sobre o setor em que pretende atuar, analisar os custos de implantação e de operação. O grande diferencial é conseguir discernir o momento certo de agir após a coleta e análise das informações.

Muitas vezes, os valores iniciais de implantação de um empreendimento podem assustar. Bate o medo de não ter o retorno esperado e perder o dinheiro que se tem. Pois é… Saiba você que a principal parcela do capital necessário para abrir o seu negócio você já tem, se realmente deseja empreender.

O capital inicial envolve também o que os economistas chamam de custos de oportunidade. Em bom português: o seu tempo. As horas que dedicará à abertura do negócio não voltarão mais. A sua motivação pode fazer toda a diferença nesse momento crucial do seu negócio. Não espere ser grande para querer ser grande.

Há formas de começar com custos reduzidos, mesmo que seja um piloto de operação inicial? Ainda que não seja o seu foco principal, existe algum produto ou serviço adicional com retorno rápido que permita ter um capital de giro para investimento futuro?

Transcrição de áudio que inicialmente começamos a oferecer no mercado, foi um serviço com essas características. Apesar de não ter sido planejado no primeiro momento por nós, percebemos que oferecer transcrições de áudio nos gerava capital de giro. É um serviço com remuneração mais baixa que a tradução e a legendagem, mas o recebimento costuma ser a curtíssimo prazo. Isso nos possibilitou ingressar no mercado de nosso serviço principal de forma mais estratégica.

Se você não tem o capital ideal para a abertura de seu negócio, comece com o real. Veja o que pode ir fazendo. Aproveite para ganhar experiências. Pense que as empresas grandes geralmente começam pequenas. Acredite ou não, a Gerdau, hoje líder em fabricação de aço, começou como uma loja de pregos.

Busque alternativas, busque parceiros, se for o caso. Faça-os acreditar em você. Pode ser o primeiro teste de defesa das suas ideias. No início do seu negócio, Ray Kroc, o fundador do Mac Donald’s precisou de um parceiro para levar adiante a sua ideia. A Coca-Cola percebeu na parceria uma oportunidade de negócios. Ofereceu por um tempo o seu produto com condições de pagamento facilitadas. O resultado, não precisamos nem dizer, deu tão certo que a Coca-Cola até hoje é fornecedora exclusiva de bebidas para a Rede Mac Donald’s.

Seja ousado. A IBM, na década de 1980, tinha um ambicioso projeto: lançar no mercado computadores pessoais, os PCs. Era uma ideia arriscada e precisava viabilizar os custos. Depois de pesquisas chegaram ao protótipo do hardware, mas ainda precisavam do sistema operacional para rodar os programas. A Digital Research, empresa líder de softwares na época, demandou o pagamento de licença para o uso do software na máquina produzida pela IBM. A então iniciante Microsoft propôs algo inédito para a época. Cobrava de um a dois dólares por máquina produzida. Se a IBM lucrasse com as vendas, lucrariam juntos. O resultado foi um lucro enorme para a empresa de Bill Gates que se estabeleceu como líder absoluta no mercado de software até hoje.

Sem dúvidas os riscos existem. As coisas podem sair diferentes do que você planejou no início, mas sempre se ganha experiência. Você é a primeira pessoa que tem que acreditar em sua ideia. Seu entusiasmo e motivação serão responsáveis por contagiar os outros, inclusive possíveis investidores e parceiros no começo. Atenção e sensibilidade para o que o mercado precisa e solicita de você. Alie isso ao que gosta de fazer e siga em frente.

Publicado originalmente no blog Empreender Sem Mitos

 


Fonte: Artigos Administradores / O ponto de partida

Os comentários estão fechados.