O que a crise nos ensina sobre o consumismo?

O que a crise nos ensina sobre o consumismo?

O que podemos aprender com a crise sobre o que consumimos? Aprenda a estar consciente sobre o que compra e fazer disso um hábito

Em épocas de crise como a que estamos enfrentando, ficamos mais atentos ao que estamos consumindo e pagando por isso. Seja na alimentação, na decoração da casa, nos artigos pessoais, nos eletrônicos…

Sempre vejo artigos falando sobre economia em finanças e alimentação. Portanto, você já deve saber como condicionar melhor os alimentos a fim de utilizar sem desperdício e qual o melhor investimento para guardar seu dinheiro. Mas e as demais formas de consumo: produtos de higiene, remédios, vestimentas, estética, produtos fora da necessidade primária e outros? Coisas que já foram adquiridas e talvez fiquem esquecidas na gaveta.

Desde quando fiz um controle que constam todos os meus produtos de higiene e estética, serviu como uma espécie de mapeamento, assim, consegui ver que tenho muita coisa e que vivia comprando pra substituir, mas que estava lá, vencendo, estragando… portanto, fiz um comprometimento comigo mesma de não comprar mais nada que não necessite realmente e estou utilizando tudo! Em menos de 1 mês, já tinham alguns produtos listados porque usei até o fim! Coisa muito inédita pra mim!

Nem sempre os produtos mais caros são os que nos “quebram”. Também enfiamos o pé na jaca comprando produtos pequenos que consideramos “baratos”. “Ah, são só 10 reais!” Mas são 10 reais de cada um deles (ou mais). Portanto, aproveite a crise para guardar seu dinheiro e só comprar o que for realmente necessário. Veja algumas dicas:

1.    Saiba o que você já possui. Não é necessário um controle como o que fiz, mas faça uma lista simples (nome, descrição e validade) ou coloque todos os produtos na sua frente, separe os que estão vencidos e organize por data de validade. Separe os que estão próximos do vencimento em local de fácil acesso para que você se lembre de utilizar;

2.    Organizadores. De acrílico, plástico, com divisórias. São ótimos para auxiliar na organização e deixar tudo bem à vista;

3.    No caso das roupas, se é uma peça que não usa há mais de 1 mês, separe para doação. Não adianta, pois você não vai usar (exceto roupas de festas e de frio). Não fique esperando aquele momento pra usar aquela roupa. Se o momento chegar, você provavelmente vai querer uma nova e atual;

4.    Reveja seus eletrônicos, o que realmente utiliza, o que já estragou e o que ainda funciona. O que funciona e encontra-se em bom estado, você pode tentar vender na internet para não perder todo o valor da peça e ainda ser útil para outra pessoa que esteja precisando de algo semelhante porém com valor inferior a um novo;

5.    Se você ainda não faz doações, estipule épocas para isso. Separe em pequenos grupos e doe para pessoas diferentes. Vá você mesmo até elas. Além de ser gratificante, você adquire espaço no armário para obter novas roupas assim que necessário (não vai doar meio armário e comprar um inteiro depois hein?);

6.   Guarde o mínimo de caixas de produtos. Além de ocupar espaço, acumula sujeira e até bichos. Se comprou algo que acha que vai poder vender posteriormente, tudo bem, fica mais apresentável para o novo usuário, mas guardar caixa de tudo não é lá muito bom (e nem sustentável);

7.   Energia parada não é bacana. Portanto renove as energias vendendo, doando, jogando fora.

Se isso virar um hábito, você passa por qualquer crise tranquilamente. Os impulsos estão aí para gastarmos sempre, mas não quer dizer que temos que comprar tudo! Tudo que vira hábito, nos momentos difíceis não será martírio.


Fonte: Artigos Administradores / O que a crise nos ensina sobre o consumismo?

Os comentários estão fechados.