O que Bel Pesce, Ozires Silva e Dolabela nos ensinam sobre empreendedorismo

O que Bel Pesce, Ozires Silva e Dolabela nos ensinam sobre empreendedorismo

Bel Pesce, Ozires Silva e Fernando Dolabela nos ensinam sobre os comportamentos dos empreendedores de sucesso

Fernando Dolabela (2008), referência no assunto sobre Empreendedorismo no Brasil, comenta que o empreendedorismo “é um termo que implica uma forma de SER, uma concepção de mundo, uma forma de se relacionar. […] é um insatisfeito que transforma seu inconformismo em descobertas e propostas positivas para si e para a sociedade”. De forma complementar, diversos profissionais da área demudança comportamental sugerem focar em SER, buscando aperfeiçoar assim, comportamentos necessários para o FAZER e, como consequência, TER algo. Em outras palavras, por exemplo, antes de TER um empreendimento, SEJA e viva com comportamentos empreendedores. Desenvolva continuamente comportamentos e competências empreendedoras voltadas para seus objetivos.

Levando em consideração pesquisas, é muito comum vermos empresas bem localizadas e com potencial de crescimento que, apesar do ambiente favorável, entram em falência e fecham suas portas. O que faz uma empresa prosperar? O que de fato faz uma pessoa obter sucesso em um empreendimento? A resposta está nos comportamentos e competências do empreendedor, que por sua vez envolvem seus pensamentos e sentimentos, tanto em relação a si mesmo e sobre suas potencialidades, quanto frente aos acontecimentos do meio externo (micro e macroeconômicos).

Tony Robbins, especialista comportamental, coach e empreendedor, salienta que os pensamentos geram emoções e sentimentos, isso por sua vez reflete nos seus comportamentos e atitudes, e por consequência, impacta nos seus resultados. Em outras palavras, se você pensar que não tem talento suficiente para empreender, seu comportamento será coerente com esses pensamentos e sentimentos gerados, logo, seus resultados serão aquém do esperado; estarão abaixo das suas potencialidades.

Bel Pesce ilustra bem a necessidade de SER para depois FAZER e TER. Bel hoje é uma empreendedora de muito sucesso e um de seus empreendimentos, na área de educação, chama-se FazINOVA. Depois de se formar no MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) e trabalhar no Vale do Silício (Califórnia, Estados Unidos), Bel conta em seu livro A Menina do Vale, um pouco da sua história e cita a importância dos comportamentos empreendedores. Se hoje Bel Pesce é uma referência na área da educação empreendedora, seu passado é marcado por dedicação, esforço, criatividade e persistência. Antes de FAZER e TER o que ela tem hoje, ela se moldou em termos de comportamento e competências, desenvolvendo assim o SER. Antes da Bel ser aprovada nos testes do MIT, ela se preparou muito (dezessete anos antes). Nos cursos oferecidos pela FazINOVA, são trabalhados aspectos comportamentais tanto quanto os técnicos.

A história de Ozires Silva, presidente e fundador da Embraer, também é marcada por comportamentos e atitudes empreendedoras antes mesmo da fundação da Embraer, ou seja, antes mesmo dele empreender efetivamente. Segundo relatos, Ozires aos 16 anos já se perguntava: “se tivemos um Santos Dumont e temos um país grande, por que o Brasil não fabrica aviões?” Aos 19 anos decidiu entrar para a Força Aérea Brasileira, apesar da resistência da sua mãe, formando-se anos depois como piloto. Em 1958 um voo mudou sua vida. Ao longo do voo com o Major Antenor Gustavo, este vendo as competências e os comportamentos de Ozires, sugere ao mesmo que requeira uma vaga junto ao ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica) pois preenchia todos os requisitos. O encontro com um dos fundadores do ITA e a parceria formada, bem como a equipe constituída, anos depois, em 1968, culminou no primeiro protótipo de um avião brasileiro. Hoje a Embraer é a terceira fabricante de aeronaves comerciais do mundo (Exame, 2014).

O que as histórias inspiradoras e de sucesso de Bel Pesce e Ozires Silva têm em comum? Tiveram comportamentos e atitudes empreendedoras antes mesmo de terem seus respectivos empreendimentos.

Sobre essa perspectiva comportamental surge uma outra questão: como aprender e desenvolver comportamentos empreendedores? Cursos oferecidos pelo Sebrae, Endeavor e pela FazINOVA nos oferecem ótimas alternativas.

Tratando-se de comportamento e competências a serem desenvolvidas, surge a temática e a metodologia proposta pelo renomado professor Fernando Dolabela, denominada Oficina do Empreendedor. Segundo Dolabela, ao mencionar a preparação do empreendedor, “não basta que exista a motivação para empreender, é necessário que o empreendedor conheça formas de análise do negócio, do mercado e de si mesmo para perseguir o sucesso com passos firmes e saber colocar a sorte a seu  favor”. A sorte vem para aqueles que estão preparados. Vejam que Dolabela ressalta a importância do autoconhecimento, inclusive de conhecer e desenvolver o SER.

Segundo estudos do Sebrae juntamente com a ONU (Organização das Nações Unidas), foram identificadas 10 características comportamentais dos empreendedores de sucesso, elas por sua vez se dividem em 3 conjuntos: Conjunto de realização; conjunto de planejamento e conjunto de poder.

CONJUNTO DE REALIZAÇÃO

ü  Busca de oportunidade e iniciativa: age de forma proativa, antecipando-se à circunstâncias antes mesmo de ser forçado a isto, permitindo expandir (ou vislumbrar) as oportunidades, algumas, inclusive, incomuns. 

ü  Corre riscos calculados: envolve avaliar alternativas, agindo para mensurar, controlar e amenizar riscos, colocando desta forma, em situações desafiadoras sobre determinados critérios.

ü   Exigência de qualidade e eficiência: este se relaciona com a capacidade e disposição para fazer sempre mais rápido, melhor, com menos custo (matérias, recursos e tempo), excedendo as expectativas dos envolvidos e com base nestes parâmetros, criar metodologias e procedimentos para garantir a excelência.

ü  Persistência: faz sacrifícios pessoais, se esforça de forma extraordinária, age diante dos obstáculos não desistindo, quando recua, é porque reavaliou a situação e encontrou novas estratégias de ação.

ü Comprometimento: é assumir responsabilidade pessoal para solucionar problemas, para terminar determinadas tarefas ou atividades priorizando os resultados finais positivos e a cumprindo o que foi “tratado”; acordado.

 CONJUNTO DE PLANEJAMENTO

ü  Busca de informações: envolve e busca pessoalmente informações, orientações e dados de especialistas (fontes confiáveis) para tomar decisões mais assertivas.

ü Estabelecimento de metas: estabelece metas desafiadoras e que possuem significados pessoais, indo ao encontro dos seus valores e crenças. Tem visão de longo prazo, de forma clara e específica, cuidando e mensurando os objetivos de curto que os levarão à “grande visão”; “o sonho”.

ü Planejamento e monitoramento sistemático: divide “o sonho, a visão” em subtarefas (objetivos) com prazo bem definido e cria formas de mensurar os progressos. Ao longo do percurso ou ao longo da subtarefa, caso não obtenha os resultados esperados ou haja mudanças significativas, revisa constantemente seus planos e estratégias. Cada subtarefa realizada é um passo a mais para o “sonho”.

 CONJUNTO DE PODER

ü Persuasão e rede de contatos: cria estratégias para influenciar e persuadir pessoas, de forma criativa, empática, ética e inteligente. Desta forma, se envolve com pessoas que lhe apoiam e lhe incentivam (direta ou indiretamente) em seus projetos (e sonhos), desenvolvendo bons e duradouros relacionamentos, inclusive com “pessoas-chave”.

ü Independência e autoconfiança: expressa confiança na sua capacidade de realização, confiando em suas opiniões para enfrentar desafios mais do que nas outras, buscando desta forma, autonomia e determinação diante das oposições e resultados inicialmente desanimadores.

Observando mais atentamente, perceberá que em relação às características comportamentais descritas anteriormente, todas estão implícitas o ser, mas também a  ação, a atitude, o indivíduo realizando, agindo, em movimento. Ao pesquisarem a história pessoal e profissional de Bel Pesce e Ozires Silva verão esses comportamentos citados anteriormente ao longo de suas trajetórias e, atualmente, nos seus estilos de liderança e de fazer negócio.

“É possível aprender a ser empreendedor! Continue se dedicando!”                     

REFERÊNCIAS

DOLABELA, Fernando. Oficina do empreendedor. Rio de Janeiro: Sextante, 2009.

DOLABELA, Fernando. O segredo de Luisa. Rio de Janeiro: Sextante, 2009.

MATTA, Villela da; VICTORIA, Flora. Personal& Professional Coaching: livro de metodologia. São Paulo: SBCoaching Editora, 2014.

Eletrônicos

DOLABELA, Fernando. Educação empreendedora. Perfil empreendedor. Disponível em: <www.endeavor.org.br>. Acesso em 11 de jan. 2016.

DOLABELA, Fernando. Oficina do empreendedor. Disponível em:<www.fernandodolabela.wordpress.com>. Acesso em 11 de jan. 2016. 


Fonte: Artigos Administradores / O que Bel Pesce, Ozires Silva e Dolabela nos ensinam sobre empreendedorismo

Os comentários estão fechados.