O que é felicidade?

O que é felicidade?

Um passeio sobre o que é felicidade. Situações da vida e um texto com base no documentário “EU MAIOR”. Leia, compartilhe, Seja feliz 🙂

“Para ser o que sou hoje, fui vários homens e, se volto a encontrar-me com os homens que fui, não me envergonho deles. Foram etapas do que sou. Tudo o que sei custou as dores das experiências. Tenho respeito pelos que procuram, pelos que tateiam, pelos que erram. E, o que é mais importante, estou persuadido de que minha luz se extinguiria se eu fosse o único a possuí-la”. Goethe

Extraído do Livro “Vivemos mais! vivemos bem?” de Mario Sergio Cortella e Terezinha Azerêdo Rios

As vezes a gente tá condenado a ser feliz, uma frase antiga que faz muito sentido. Quando você encontra o seu propósito, a sua missão na terra, o que te da tesão, aquilo o que faz você acordar todas as manhãs de bem com a vida, vivendo o fim de semana a cada dia. Você está “condenado” a ser feliz.

A própria vida te coloca alguns desafios que você não tem escolha, não tem volta, você vai ter que encarar aquele desafio.

Incrível como a gente busca a vida inteira pela felicidade, e muitas vezes quando ela aparece, nós temos medo dela. Quando ela bate na nossa porta, seja um filho, um casamento, algo que você lutou muito pra conseguir, é tanta alegria, tanta felicidade que temos medo que nos aconteça uma tragédia e leve toda ela embora.

Olha que interessante esse texto retirado do livro regresso ao Amor de 1992 da fabulosa escritora Marianne Williamson?

Nosso maior medo não é sermos inadequados. Nosso maior medo é não saber que nós somos poderosos, além do que podemos imaginar.

É a nossa luz, não nossa escuridão, que mais nos assusta. Nós nos perguntamos: “Quem sou eu para ser brilhante, lindo, talentoso, fabuloso?”.

Na verdade, quem é você para não ser? Você é um filho de Deus.

Você, pensando pequeno, não ajuda o mundo. Não há nenhuma bondade em você se diminuir, recuar para que os outros não se sintam inseguros ao seu redor.

Todos nós fomos feitos para brilhar, como as crianças brilham. Nós nascemos para manifestar a glória de Deus dentro de nós. Isso não ocorre somente em alguns de nós; mas em todos.

Enquanto permitimos que nossa luz brilhe, nós, inconscientemente, damos permissão a outros para fazerem o mesmo.

Quando nós nos libertamos do nosso próprio medo, nossa presença automaticamente libertará outros.

Momentos difíceis serão necessários pra que a felicidade seja valorizada, o grande deserto é fato e é algo que tem que ser vencido por todos nós. É necessário entender que a felicidade, assim como a tristeza é como um raio, é muito rápido. Nosso erro é que nos agarramos a dor, ao sofrimento como se aquilo fosse a verdade. O sofrimento é algo que os bons também enfrentam. Precisamos aprender a tirar lições disso, sempre que uma tempestade vier, se pergunte: o que de bom tem aqui que eu posso aproveitar e aprender. Qual a lição eu preciso tirar disso?

Muitas vezes buscamos a felicidade em corpo bonito, em dinheiro, bens materiais, coisas que são sim importantes, mas que sozinhas não podem contribuir com muita coisa.

É necessário não ter uma vida pequena, Benjamin Disraeli, disse certa vez que: a vida é muito curta pra ser pequena. A vida se torna pequena quando é uma vida voltada só pro seu ego, pro seu umbigo, pensando só no seu bem estar. Vivemos numa época de corpos sarados, mas vazios, Postagens maravilhosas no Facebook, no Instagran, no Whatsapp, mas que não refletem a realidade, são castelos de areia. As pessoas estão mais preocupadas com o outro, com o que o outro vai falar. Eu preciso postar essa foto na praia, (que foi dividida em 12 vezes no cartão de crédito) por que meus amigos vão morrer de inveja, eu preciso compartilhar essa foto de um prato chique, gourmet, pra mostrar que eu eutou na crista da onda, que eu “tô podendo”. Tanta bobagem, tanta coisa fútil, banal. Tanta coisa que não contribui em nada pro crescimento das pessoas e muito menos pra quem tá a sua volta.

Creio eu que Deus deve olhar decepcionado pra sua maior criação, O homem, que invés de ir ser feliz, ir pra cima, ir conquistar seus sonhos, ir fazer a vida dos outros melhores, fica perdendo tempo com coisas tão medíocres, tão superficiais.

Não estou falando que você não deve trabalhar pra ter um corpo bonito, dinheiro, carros e bens, mas não faça disso sua principal motivação. Fomos feitos para ser importantes, certa vez vi um vídeo muito legal, o nome é EU MAIOR, ser importante é diferente de ser famoso, segundo a fala do professor Mário Sérgio Cortela, Importar é quando alguém te importa, te leva pra dentro. A pessoa te carrega, te porta pra dentro. Pra ser importante você precisa transbordar, ir além da sua borda, se comunicar, se juntar, se repartir, fazer o bem ao próximo, olhar pro outro com olhar de ternura e pensar com os pensamentos dele, é ter empatia. Fazendo isso você vai engrandecer sua vida e se tornar importante.

Nosso maior sofrimento vem justamente do fato da gente não nascer com um manual de instrução, e quando a gente não se conhece, por não saber como a gente funciona, a gente sofre, a causa do sofrimento é a ignorância. Sem o autoconhecimento, como vamos nos libertar, se somos nós mesmos que causamos nosso sofrimento por ignorância?

Felicidade nada mais é que achar o seu caminho, achar sua missão, além de encontrar seu caminho, é necessário olhar pros lados, viver esse caminho com intensidade, caminhar com as próprias pernas, ir, se jogar no mundo, sem medo, sem paranoia. O mais importante pra se alcançar a felicidade, o melhor caminho, é justamente estar no caminho, curtir o caminho. Então, curta, se divirta, viva, seja feliz. 🙂


Fonte: Artigos Administradores / O que é felicidade?

Os comentários estão fechados.