O que faz projetos inovadores falharem?

O que faz projetos inovadores falharem?

Passos para aumentar as chances do seu projeto vingar

Um estudo feito pela Deloitte em 2014, sobre mais de 5.000 processos de inovação dos últimos 15 anos, descobriu que apenas 4,5% deles foram bem-sucedidos. Sim, só 4,5%.

E não estamos falando apenas de projetos ultra inovadores, como a ida à Marte ou uma nova formula de combate ao câncer. Estamos falando de inovações diárias, como uma nova linha de produtos, um novo processo de gerenciamento ou até uma nova forma de comunicação com clientes e fornecedores.

Mas, o que faz tantas inovações não saírem do papel?

Para começar, é preciso entender que, por trás do conceito de inovação, está a noção de mudança. Afinal, inovar é fazer algo que não era feito antes.

O grande problema dessa obviedade, é que todos nós, seres vivos, temos algum tipo de resistência à mudança. Adoramos mudar os outros, mas resistimos às nossas próprias transformações com muito afinco e dedicação.

No ambiente corporativo isto não poderia ser diferente.  As organizações que falharão repetidamente, são as que focam seus esforços no exterior para conseguirem inovar:

“Aquela” nova tecnologia que precisamos adquirir. O expert em inovação que precisamos convencer a trabalhar aqui. O momento perfeito do mercado…. Enfim, acho que vocês entenderam.

Claro que, muitas vezes, valor agregado externo pode ser muito bem-vindo. Aliás, uma parte importante da inovação vem da habilidade em perceber o que não está sendo feito “lá fora”.

Mas só isso não adianta, se não houver foco interno.

Existem mil e uma formas de trazer este foco para a própria empresa e muitos caminhos efetivos para se percorrer. Compartilho aqui alguns que, na minha experiência, fazem muita diferença:

  • Crie um ambiente propicio para a inovação:

Quem quer inovar, deve abrir espaço para isso –  de verdade. Isto inclui permitir fomentar a criatividade, incentivar o pensamento “fora da caixa” e permitir alguns erros controlados. Adequar às métricas de sucesso – coletivas e individuais – é fundamental para que tudo isso, na prática, não se torne apenas mais um capítulo do teatro corporativo que tanto criticamos.

  • Alocar pessoas certas nos projetos certos.

Conhecer as características dos seus funcionários e incentivar que o autoconhecimento é essencial para saber quem deve estar alocado em cada projeto. Incentivar que cada um use seus pontos fortes é também importantíssimo para maximizar a eficiência das iniciativas de mudança.

  • Envolver os Stakeholders:

Quem está envolvido no projeto? Quem será impactado pela mudança em questão? Quais externalidades (positivas ou não) poderão existir? Uma inovação quase nunca vem sozinha, por isso mapear e envolver todos os stakeholders do projeto pode ser a diferença entre um sucesso e um fracasso estrondoso.

  • Mensure o andamento…

Mensurar o andamento do projeto é ponto crítico. Muitas empresas apenas medem qual foi o resultado final daquela iniciativa, algumas vezes tarde demais. Medir o andamento da inovação continuamente ajuda a fazer os ajustes necessários e até a reduzir os desperdícios de um projeto que falhou.

  • …com as métricas corretas:

Não menos importante é avaliar se as métricas usadas estão alinhadas com as reais intenções do projeto. Muitas métricas estão ali apenas por hábito ou até por pressões externas. Muitas empresas falham em suas inovações por medirem errado o que será considerado como sucesso.

Finalmente, lembre-se: para ser parte da solução, é preciso ter a consciência de que se é parte do problema. O que você pode fazer diferente para contribuir com as iniciativas inovadoras da sua empresa?


Fonte: Artigos Administradores / O que faz projetos inovadores falharem?

Os comentários estão fechados.