O que faz um bom assessor de imprensa

O que faz um bom assessor de imprensa

Muito além da discussão “Jornalista x RP”, o assessor de imprensa tem que ser muito mais.

Já pedi para dezenas de pessoas completarem a frase a qual utilizei como título. Ouvi bastante coisa. Discordei de várias e concordei com tantas outras. O fato é que, embora consigamos chegar a uma definição teórica facilmente (isso em nosso meio, entre jornalistas e RPs, obviamente), estamos esbarrando em uma dificuldade concreta de colocar em prática tudo aquilo que elencamos para explicar o que é um bom assessor de imprensa.

Assim como ouço meu pai – que é empresário contábil – dizer que o contador mudou e não é mais aquele “guarda-livros”, como outrora o foi, também ouso dizer que o assessor de imprensa deixou há muito de ser um mero disparador de press releases.

Afinal, quais são as características de um jornalista? E de um profissional de Relações Públicas? E do marquetólogo? Junta-se todas elas e mais um pouco e formamos um assessor de imprensa de qualidade. Ele é um profissional que deve saber escrever, ser coeso, ser objetivo, questionador. Ele precisa saber se relacionar, não ter timidez, ser ágil. Ele tem que entender de mercado para traçar estratégias, planos e não perder o timing.

Por isso, um jornalista apenas não serve para ser um bom profissional de assessoria de imprensa. Tampouco um RP ou um especialista em Marketing. O que faz deles um bom assessor de imprensa é a capacidade de pensar além. É não ter um mínimo de preguiça em perder algumas horas do dia buscando as melhores oportunidades ao invés de disparar uma metralhadora de releases e contar com a sorte. É antecipar algo que nem mesmo o produtor do melhor telejornal pensou. É pautar aquele grande veículo. É tirar da cartola um elefante com marfins valiosíssimos e raros. É entender onde dói no cliente e pensar nas hipóteses que possam amenizar aquela dor.

Um assessor de imprensa de verdade não se acomoda com milhares de e-mails defasados fornececidos pelas empresas que coletam ano a ano os dados dentros das redações. Ele vai atrás do seu próprio mailing (chega até a ser egoísta em não querer dividí-lo com mais ninguém). Um bom assessor faz rondas junto aos grandes veículos para saber como pode contribuir, tanto para o jornalista da redação quanto para seu cliente.

Atualmente, o assessor também se comunica com blogueiros, vloggers, twitteiros etc. Aliás, por que não pensar em ações que fujam um pouco daquilo pelo qual foi contratado? Ele é capaz de pensar em outras frentes também.

Um bom profissional da área não assiste telejornais, nem lê revistas. Ele caça oportunidades para trabalhar um novo tema para seu cliente no próximo dia. Para esse cara, as feiras são locais para comer, bater papo e acompanhar as entrevistas já pré-agendadas, bem tranquilo, não para sufocar os jornalistas que vão até o evento e abarrotá-los com pastas, sacolas, brindes, mimos ou seja lá qual for a forma de apelo.
A paciência e a persistência também estão entre as principais virtudes. Os resultados não precisam chegar imediatamente. A assessoria de imprensa também é um trabalho moroso, em que semear faz parte do processo.

É por isso que uma agência que se destaca no mercado ou um profissional que é requisitado, a meu ver, tem todo o direito de ser valorizado. Ele zela pelo próprio nome e pelo nome do assessorado. Sua abordagem e seu modo de trabalhar chega até as redações, onde ele também é reconhecido.

E então, você se considera um bom assessor de imprensa? E você que paga por assessoria de imprensa, consegue ver isso no seu prestador de serviço?


Fonte: Artigos Administradores / O que faz um bom assessor de imprensa

Os comentários estão fechados.