O que te faz fazer algo

O que te faz fazer algo

Neste artigo procuramos despertar o sentimento crítico sobre a tomada de decisão.

Será que temos realmente as condições necessárias para uma decisão correta?

19/07/2016, mais uma vez tivemos uma decisão judicial para o bloqueio do aplicativo de mensagens instantâneas Whatsapp. E mais uma vez a decisão de bloqueio foi revogada por uma esfera superior.

Diante deste cenário, percebemos que não há um consenso do judiciário sobre as decisões de bloqueio dos juízes. Este descompaso gerado entre os próprios membros de judiciário corrobora por criar descrédito das decisões da instituição, causando uma série de questionamentos e críticas da acertividade do judiciário brasileiro.

É certo que o mapeamento das consequencias da tomada de decisão foi negligenciado, assim como a maioria das decisões tomadas no mundo corporativo, gerando perdas consideráveis para as organizações, perdas estas que muitas das vezes não são medidas nem controladas por falta de visão e gerência dos gestores. 

No caso do WhatsApp, o bloqueio visa punir a empresa pelo não cumprimento da decisão judicial de quebra de criptografia. Porém, será que a desição de bloqueio levou em consideração que a empresa não cobra nada pelo serviço de mensagens? Ou seja, o bloqueio não gera prejuízo algum para a empresa? Assim, será esta uma decisão que cumpriria com o objetivo de punir a organização responsável pelo aplicativo?

Ao questionar os objetivos da tomada de decisão, teremos uma série de fatores que devem ser considerados para que o objetivo seja alcançado de forma a mitigar riscos e custos sobre a ação gerada pela decisão. Esta prática deve ser exercitada de forma exaustiva pelos tomadores de decisão, como os xadrezistas que mapeiam os possíveis movimentos futuros que a ação tomada pode proporcionar. 

As decisões mais acertivas implicam uma análise de cenários probabilísticos e métodos de mapeamento que auxiliam a tomada de decisão, proporcionando um alcançe muito preciso do objetivo almejado.

E você, tem realizado análises de suas possibilidades decisórias? 


Fonte: Artigos Administradores / O que te faz fazer algo

Os comentários estão fechados.