O rei e o ouro

O rei e o ouro

Como pode um homem comum como você e eu ascender ao sucesso, ouro e prosperidade e enfim tornar-se um rei?

O rei apoiou as mãos firmes sobre o beiral do enorme terraço. A vista era do seu vasto reino, agora banhado pela luz prateada da lua incrustada no céu bem azul. Ele olhava para longe imerso em recordações, sentindo a brisa gostosa bem no alto do seu enorme castelo. O edifício mais alto da cidade.

Ele tinha um medo terrível de altura, mas já vinha superando esse medo para aproveitar aquela vista maravilhosa. Seus pensamentos foram interrompidos com a Rainha se aproximando cautelosamente, abraçando–o.

– Admirando seu vasto reino, querido?

– Sempre, minha linda Rainha. – o Rei beijou gentilmente sua testa – O enorme reino que construímos juntos.

– Olhando agora parece que foi tão fácil chegar aqui.

– Foi tudo, menos fácil. Outros herdam impérios e posses, mas eu comecei isso tudo do nada. – Prefiro esquecer desse tempo, querido Rei. – declarou a Rainha

– É bom lembrar de onde viemos, meu amor. No início eu não tinha nada, só o sonho e a coragem para lutar.

– E hoje é um Rei com muito ouro, posses, terras e castelos.

– Quando eu saí de uma vida humilde sonhando em construir um reino, todos riram. Trabalhei 18 horas por dia durante anos. Os outros continuaram rindo de mim. Nunca acreditaram que eu chegaria onde estou. Eu mesmo quase deixei de acreditar.

– Mas não desistiu.

– Nem poderia. Eu coloquei minhas mãos, minha alma e meu coração por inteiro. Pensei em desistir do sonho, pensei em fazer igual a maioria faz. Viver uma vida medíocre para trabalhar em empregos que odeiam, para comprar coisas que não precisam, para agradar pessoas que não gostam. Por muitas vezes eu achei que talvez estivesse mesmo enganado. Se todos os meus amigos e familiares diziam que não era possível e tudo era tão difícil, talvez fosse mesmo impossível.

– E por que não largou tudo, meu Rei?

– No meu âmago eu sabia que estava certo, só que ainda precisava trabalhar um pouco mais para superar todos os enormes obstáculos. Enquanto os outros se divertiam, eu lutava mais. E com cada vez mais afinco. Só tinha um objetivo na cabeça. E lutava mesmo quando não tinha mais forças. Usei o pouco que tinha mais a minha inteligência e a minha força de vontade. Eu andei onde não gostaria de ir, fiz o que não queria fazer, mas no fim aprendi coisas que nunca achei que conseguiria. Eu evoluí.

– É um vitorioso, meu Rei.

– Só depois comecei a ter todo o ouro que tanto almejava e pude construir meu castelo.

– Eu lembro dos invejosos…

A rainha se encolheu de frio, o Rei a envolveu com seu manto azul e dourado.

– Quando comecei a ter ouro e posses, aqueles que falavam de mim pelas costas foram os primeiros a me parabenizarem. Traziam todos o mesmo sorriso artificial e os olhos invejosos. As pessoas mudaram de atitude, me dando tapinhas nas costas e dizendo: “Sempre acreditei em você” “Nunca duvidei da sua capacidade.” “Estive do seu lado desde sempre”

– Tolos.

– Tolos! – assentiu o Rei – Eu venci a luta mais difícil da minha vida e nunca trapaceei ou me aproveitei de ninguém.

– Muitos usariam o poder para pisar nos mais frágeis ou seriam gananciosos por mais poder e status social.

– Eu construí minha riqueza para melhorar a vida de quem eu amo e de outras tantas pessoas boas. Mesmo aquelas que nem me conhecem, mas precisam de oportunidade para encontrar seu espaço. Eu quis ouro para alcançar esse objetivo e pedi que esse mesmo ouro nunca se tornasse chumbo em minha caminhada. Todo o ouro do mundo de nada serve se não for para ter um propósito bom. Fazer o bem.

– Sua coragem e coração são inspiradores, meu querido.

– Obrigado, minha bela esposa. Agora vamos entrar, pois há um farto jantar à nossa espera.

– E qual é o grande anúncio que o Rei vai fazer?

– Vou construir outro reino.

– Está louco? – perguntou a Rainha perplexa

O Rei gargalhou alto e disse ainda rindo:

– Esse foi um bom sinal! Foi assim mesmo que tudo isso começou.


Fonte: Artigos Administradores / O rei e o ouro

Os comentários estão fechados.