O Reino Unido saiu da União Europeia: Qual o impacto disto na minha vida pessoal?

O Reino Unido saiu da União Europeia: Qual o impacto disto na minha vida pessoal?

Uma análise do impacto da saída do Reino Unido da União Europeia sobre as nossas vidas e as nossas carreiras.

Primeiro, antes de responder a esta pergunta especifica, gostaria de conceituar alguns termos importantes dentro do assunto:

BREXIT: É a abreviação das palavras em inglês Britain (Grã-Bretanha) e exit (saída) e está relacionada com o movimento que apoia a saída do Reino Unido da União Europeia.

INGLATERRA: É um país que tem como capital a cidade de Londres. Ao longo da história, a Inglaterra conseguiu se impor politicamente sobre alguns países vizinhos e passou a controlar um Estado batizado de Reino Unido.

GRÃ-BRETANHA: É o nome da grande ilha onde ficam três países: Inglaterra, País de Gales e Escócia. O termo “Grã-Bretanha” muitas vezes é usado como sinônimo de “Reino Unido” – o que não é inteiramente correto, pois um dos países que formam o Reino Unido não fica nessa ilha.

REINO UNIDO: É um Estado formado por quatro países: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. A chefe de Estado é a rainha Elizabeth II e o de governo um primeiro-ministro, eleito por um Parlamento central, em Londres.

UNIÃO EUROPEIA: A União Europeia é um bloco econômico, político e social de 28 países europeus que participam de um projeto de integração política e econômica. Estes países são politicamente democráticos, com um Estado de direito em vigor.

1-Impacto coletivo

Do ponto de vista econômico, o efeito foi imediato: A moeda inglesa (Libra Esterlina) desvalorizou-se frente ao dólar e as bolsas de valores do mundo todo passaram a operar em baixa, principalmente as bolsas de valores europeias. Como a Inglaterra é a quinta maior economia do mundo, muitas empresas, principalmente as com sede no Reino Unido, perderam valor de mercado, isto se vê refletido na queda dos valores de suas ações nas bolsas de valores.

2-Impacto individual

Apesar de não haver um imediato efeito econômico mensurável nas nossas vidas como cidadãos brasileiros, do ponto de vista emocional é mais uma tragédia que nos abate. No Brasil, devido aos últimos acontecimentos políticos, que produziram graves consequências no mercado financeiro, há um clima de pessimismo no ar e mudanças bruscas e contraditórias são recebidas com a ampliação deste pessimismo. Em horas como estas, diante da mediática cobertura feitas pelos meios de comunicação, os investidores retraem os seus aportes nos setores produtivos e buscam a maior segurança dos mercados financeiros, principalmente naqueles investimentos que oferecem maior rentabilidade com menor risco de prejuízos e perdas. A retirada de capital do setor produtivo, devido a esta onda de pessimismo, somado a outros fatores, contribui para o estrangulamento do mercado produtivo e a consequente redução dos postos de trabalhos. É um círculo vicioso destrutivo.

3-Solução

A maior batalha que travamos em nossas vidas é aquela que travamos pelo controle das nossas próprias emoções. Os Fatos que enxergamos como negativos, alimentam emoções negativas, que por sua vez minam nossa capacidade inventiva, criativa e motivacional. Olharmos para os fatos que nos cercam de forma negativa exaure nossas energias físicas, emocionais e espirituais! Perdemos a capacidade de nos reinventarmos e só conseguimos ver o problema. O primeiro passo para a solução individual é tentarmos descolar a nossa situação individual da situação coletiva, pois, ainda que a situação coletiva se deteriore, temos o poder de, como seres individuais, percebermos oportunidades no meio da crise e criarmos situações favoráveis para nós, onde todos os outros só veem derrota. Somos capazes de transformar crises em oportunidades! Nós tendemos a ver as situações que nos cercam segundo a ótica das nossas emoções. Se estamos tristes e deprimidos, nossos horizontes estarão contaminados por estes sentimentos e serão péssimos. Porém, se dominarmos a nossas emoções e alimentarmos o otimismo, conseguiremos transformar a realidade que nos cerca e vislumbraremos oportunidades onde ninguém foi capaz de ver. Este processo não têm nada a ver com o fato do reino Unido fazer ou não fazer parte da União Europeia.

Desta forma, a minha resposta à pergunta do título é:

Não há impacto significativo na minha vida pessoal, porque eu sou o senhor da minha vida e gestor da minha carreira!

E no seu caso, amigo leitor? Qual o impacto da saída do Reino Unido da União Europeia na sua vida pessoal?

Quer falar sobre este assunto? Entre em contato comigo: jemoeloliveira@gmail.com


Fonte: Artigos Administradores / O Reino Unido saiu da União Europeia: Qual o impacto disto na minha vida pessoal?

Os comentários estão fechados.