O valor da educação profissional

O valor da educação profissional

Pesquisa do IBOPE revela que 93% dos brasileiros acreditam que deveria haver mais cursos profissionalizantes

Reconhecido e valorizado em países como Alemanha, França e Inglaterra, o ensino profissionalizante ainda é alvo de uma visão míope no Brasil, onde é rotulado de caminho profissional menos glamuroso.

Nos últimos quatro anos, a Lowfat Comunicação, de São Paulo, vem contribuindo com o desafio proposto pelo Senai Nacional para mostrar a real importância dos cursos profissionalizantes, capazes de transformar a vida de milhares de jovens e fazer o país crescer, com mão de obra qualificada.

Quando se trabalha de perto com a educação profissional, percebe-se a sua relevância em diversos aspectos: sociais, quando os jovens têm uma oportunidade de carreira; motivacionais, quando eles descobrem suas vocações bem cedo e passam a idealizar e construir um futuro no qual façam o que realmente gostam, e aspectos econômicos, pois grande parte deles já sai empregada.

O momento para essa empreitada não poderia ser mais oportuno: no início de agosto São Paulo recebeu a WorldSkills, a maior competição de educação profissional do mundo, que pela primeira vez aconteceu a América Latina, com o apoio do Senai. Dois anos antes, nós da Lowfat começamos a nos preparar. Embarcamos para Alemanha para acompanhar a WorlSkills Leipzig 2013. Foi uma verdadeira imersão para entendermos exatamente o porte desse evento, que reúne mais de 60 países, e traçarmos nossa estratégia de atuação para sua versão em solo brasileiro.

A WorldSkills Brasil foi realizada entre os dias 12 e 15 de agosto de 2015, em São Paulo, consagrando-se como o maior evento que o Parque Anhembi já recebeu. Contou com mais de 1200 competidores e 250 mil visitantes. Responsáveis por toda comunicação, criamos peças que instigavam os jovens a escolherem a educação profissional. Como? Revelando as inúmeras possibilidades que só ensino técnico oferece. Mostrando como a tecnologia e inovação têm tornado as profissões técnicas bem interessantes e modernas, ou seja, aquilo que de fato o estudante pode esperar deste mercado promissor.

A vantagem do ensino técnico é que ele dá liberdade de escolha para o aluno, caso ele queira se aprofundar e continuar estudando, fazendo um curso superior. Com a continuidade dos estudos para o curso superior, sem dúvida ele irá tornar-se um profissional diferenciado que soma muita prática a conhecimento.

Dados do IBOPE (janeiro de 2014) mostram que 93% dos brasileiros acreditam que o governo deveria oferecer mais cursos de Ensino Médio que também fossem profissionalizantes e que isso deveria ser obrigatório.

Descontruir os paradigmas da educação profissional é um processo. A WorldSkills, realizada pelo Senai Nacional e Confederação Nacional da Indústria – CNI, foi um passo importante. Funcionou como uma verdadeira vitrine de possibilidades profissionais para os estudantes brasileiros, que conheceram jovens do mundo inteiro mostrando suas habilidades em 50 profissões. Eles puderam ver de perto milhares de alunos de cursos profissionalizantes de países altamente industrializados que escolheram o ensino técnico como caminho para a realização pessoal e profissional.

Com a maior delegação de todos os tempos, o Brasil mostrou a força e a qualidade de sua educação profissional e deu um show na WorldSkills: conquistou o 1 º lugar geral com recorde de medalhas. Sem dúvida, um fato de destaque para ressaltar que nossos alunos de cursos profissionalizantes têm formação notável, nos mesmos parâmetros dos países altamente industrializados. Eles saíram mais valorizados, elevaram sua autoestima e puderam trocar com seus pares de outros países todo o conhecimento adquirido para ingressar no mercado de trabalho brasileiro com o mesmo nível técnico internacional. Ponto de destaque para o Senai, que atingiu seu objetivo.

André Perri é sócio-diretor de criação da Lowfat Comunicação


Fonte: Notícias Administradores / O valor da educação profissional

Os comentários estão fechados.