Opinião – Empreendedor entende empreendedor

Opinião – Empreendedor entende empreendedor

Empreendedora explica no que consiste a iniciativa, que busca aumentar o networking e a colaboração entre profissionais

Quem nunca precisou dividir suas preocupações e ideias com alguém que tivesse os mesmos anseios e intenções? Por conta disso, um bom networking e a formação de conexões sinceras (ênfase no “sinceras”) com outros empreendedores é mais do que saudável: é indispensável, na minha opinião. Em outros termos? Você precisa encontrar a sua galera!

Se você possui pessoas de confiança com o mesmo perfil empreendedor que o seu, que tal formar um clube de empreendedores? Essa ideia nasceu fora do Brasil e é desenvolvida principalmente em universidades, que desejam criar um núcleo voltado para estimular o empreendedorismo, a formação de startups, fornecendo ferramentas adequadas e um espaço bacana para networking. Universidades de renome, como Harvard, MIT e Stanford, têm seus próprios clubes, sempre abertos apenas para seus estudantes. Aqui no Brasil, a USP já tem um projeto semelhante, para fomentar esse espírito inovador entre graduandos e pós-graduandos.

Afinal, por que formar um clube de empreendedores?

Networking

Ninguém vive sozinho. Essa máxima se aplica ainda mais para novas empresas, que querem crescer e se destacar no mercado. Aprender com a experiência do outro, trocar serviços e fornecedores, tudo isso só é feito se você tiver espaço e oportunidade para fazer networking. O clube, na minha opinião, proporciona espaço para conexões de qualidade, desde que você crie requisitos para entrada e manutenção no grupo, baseados no perfil de empreendedor que você e os demais participantes procuram para compartilhar informações.

Conteúdo útil

É um espaço especial e fechado para trocar ideias e colocá-las à prova, ouvindo o feedback de outros empreendedores, que podem ter até mais experiência que você no assunto em questão. Também é ambiente de dividir conhecimentos valiosos, porque compartilhar informações soma, não fragiliza. Informações sobre o mercado, economia, produtos, serviços, fornecedores… Óbvio que o clube só funciona se todos tiverem sempre vontade de ajudar e dividir de verdade seus conhecimentos.

Cursos e workshops

Formando uma turma bacana e que possua vontade de aprender um mesmo tema, vale organizar um curso ou workshop específico para o clube, com alguém que seja referência no mercado. É um investimento feito em conjunto pelos participantes, que pode valer a pena porque o conteúdo será inteiramente pensado e voltado para o clube. Há clubes que convidam CEOs de várias empresas para dar consultorias e palestras sobre suas experiências.

Estrutura

O clube pode começar como um grupo de Facebook, um grupo de emails, por exemplo, mas acho sempre saudável agendar reuniões presenciais periódicas, para todos se conhecerem e confraternizarem (adoro conhecer pessoas com quem falo na internet há tempos!). As reuniões presenciais podem ser feitas na sede da empresa de algum participante, na casa de alguém, em algum café ou restaurante reservado para isso ou em lugares inusitados: que tal na praia ou à beira da Lagoa Rodrigo de Freitas, por exemplo?

Crie o grupo em que você quer estar

Eu acredito em duas verdades para a vida ser melhor: 1) pare de pensar tanto e aja e 2) energia atrai energia. Acho que um grupo todo voltado para empreender, com pessoas determinadas, criativas e disciplinadas impulsiona, eleva, agrega. É vital para o empreendedor procurar se conectar com pessoas que, assim como ele, também estão comprometidas com seu desenvolvimento pessoal e profissional. Não tem um grupo assim? Forme seu próprio clube! Corra atrás de um clube de empreendedores que tenha sua cara ou crie o seu próprio clube e a vida cuida de aproximar você das pessoas certas!

Amanda Costa – contato@amandacosta.com – http://www.amandacosta.com


Fonte: Notícias Administradores / Opinião – Empreendedor entende empreendedor

Os comentários estão fechados.