Os elementos do processo decisório através do SIG

Os elementos do processo decisório através do SIG

O Sistema de Informações Gerenciais (SIG) pode ser sintetizado como um sistema amplo que armazena e processa informações necessárias para a gestão efetiva do negócio. Ao gerar informações úteis para interpretar situações, os gestores podem analisar e escolher a melhor alternativa para apoiar os processos decisórios da organização

O Sistema de Informações Gerenciais (SIG) pode ser sintetizado como um sistema amplo que armazena e processa informações necessárias para a gestão efetiva do negócio. Ao gerar informações úteis para interpretar situações, os gestores podem analisar e escolher a melhor alternativa para apoiar os processos decisórios da organização.

Sendo uma ferramenta administrativa que subsidia os processos decisoriais, o SIG é resultado de um esforço colaborativo entre três pilares: pessoas, processos e tecnologias. É o grau de interação e sinergia entre esses três fundamentos que revelam o quão efetivo é um SIG, sendo o efeito de sua utilização o alcance das metas e dos objetivos organizacionais.

Entretanto, para que resultados superiores sejam alcançados, é preciso conhecer e entender mais profundamente qual o papel do SIG nos processos decisórios. Primeiramente, devemos diferenciar dois tipos básicos de decisões: decisões programadas e decisões não programadas.

As decisões programadas são caracterizadas pela rotina e repetição de atividades e funções, onde são estabelecidos procedimentos tipo “padrão”. Exemplos claros desse tipo de decisão são evidenciados no processo produtivo (técnica de produção, quantidade a ser produzida, etc) e na contabilidade e finanças da empresa (folha de pagamento, cartão-ponto, registros de rotina, aprovação de orçamento, etc).

As decisões não programadas são aquelas caracterizadas pelo inesperado. Estão inseridas em um contexto interno e externo do ambiente organizacional, num dinamismo que percorre o tempo. Podem ser identificadas quando da parada de um equipamento no setor de produção que necessitará ser trocado ou consertado (ambiente interno), ou quando das flutuações cambiais que interferem na compra de matéria-prima e podem levar o gestor a ponderar o volume de compra deste material ou elevá-lo (ambiente externo).

Durante o processo decisório surgem as incertezas que se relacionam diretamente com os recursos que o tomador de decisões tem em mãos. Ou seja, quanto mais integrados estiverem os sistemas da empresa e quanto mais informações úteis possam ser emergidas, melhores serão as condições para o processo decisório através do SIG.

Os fatores que influenciam o processo decisório são originados a partir dos ambientes interno e externo da organização, o primeiro mais controlável, já o segundo, imprevisível. Não obstante o fator tempo é essencial se a empresa quiser manter sua competitividade, pois as informações deslocam-se rapidamente através das telecomunicações e exigem prévia interpretação, pois tem prazo de validade vencido. E esse fluxo ininterrupto de informações diversas precisa ser canalizado e reconhecido em sua forma de utilidade pelas organização através do SIG, pois, muitas vezes, decisões capitais devem ser tomadas num curto-prazo de tempo.

Quanto às alternativas, as condições para a tomada de decisão e o seu grau de risco estão intimamente relacionadas com o controle, a assertividade e a qualidade das informações oriundas do ambiente interno e externo da organização. Então, quanto mais sólida a estrutura da empresa, quanto mais integrados e harmonizados os sistemas e quanto mais indicadores forem extraídos, maior o grau de certeza quando da tomada de decisão.


Fonte: Artigos Administradores / Os elementos do processo decisório através do SIG

Os comentários estão fechados.