Pensar em lucro não é viver em pecado

Pensar em lucro não é viver em pecado

O título é ousado e provocativo: pensar em lucro não é viver em pecado. Pensar em lucro é questão de sobrevivência.

A sociedade como um todo está organizada em instituições. A vida das pessoas está diretamente ligada com as instituições.

Se uma pessoa deseja comprar algum produto ou serviço, ela vai precisar, na maioria das vezes, de empresas que ofereçam algo para satisfazer a sua vontade. Para se encontrar com Deus, as pessoas frequentemente pertencem à alguma religião ou doutrina, e desta forma, vão aos seus cultos ou missas. Para se obter algum documento, as pessoas procuram algum órgão público. Muitos jovens que não possuem condições financeiras para estudar, muitas vezes procuram entidades sem fins lucrativos que oferecem diversos cursos gratuitamente.

Percebam que na maioria das coisas que precisamos, há alguma instituição para satisfazer a nossa necessidade. Há profissionais liberais e autônomos, mas são minoria. A maioria das pessoas trabalham em instituições, compram em instituições, praticam a sua fé em instituições, estudam e tratam de sua saúde em instituições.

Agora, pense um pouco: essas instituições fazem seus trabalhos tudo de graça? Trabalhadores, administradores, empresários, padres, pastores, trabalham de graça? As matérias-primas se transformam em produto-final num passe de mágica? De forma alguma. Não é meu objetivo falar de processos de gestão, marketing e de produção, mas o que eu quero que você perceba é que nada vem de graça.

É NECESSÁRIO DINHEIRO

Para se ter um local para trabalhar é preciso alugá-lo ou construí-lo. Para ter equipamentos ou você compra ou você aluga, ou ainda você os projeta e os constrói. Para ter pessoas trabalhando é preciso pagar salários e benefícios. Para você sobreviver ou você monta um negócio próprio ou você vende sua força de trabalho à alguém.

Não há fórmula mágica, mas a fórmula para sobrevivência de qualquer negócio, seja ele com ou sem fins lucrativos, é:

 LUCRO = RECEITAS – DESPESAS

Até na administração da sua casa essa fórmula faz sentido. Fica sem salário ou gaste mais do que você ganha para ver a dor de cabeça que você terá?!? Sem contar os juros que terá que pagar.

Por isso, o título é ousado e provocativo: pensar em lucro não é viver em pecado. Pensar em lucro é questão de sobrevivência.

Pense na sua casa: se você gasta menos do que ganha, você tem lucro. E poderá investir esse dinheiro para comprar no futuro uma nova casa, ou fazer um curso de pós-graduação, fazer um intercâmbio fora do país ou fazer uma reforma na sua residência.

Pense na empresa que você trabalha: se as despesas forem maiores que as receitas, como ela irá te promover e te pagar um salário maior? Como ela vai abrir uma nova filial para alcançar mais mercados e contratar mais pessoas? Como ela vai trocar a sua cadeira que está quebrada? Como ela vai investir num computador mais rápido para você trabalhar?

Pense numa igreja: se nenhum fiel doar para o dízimo ou as festas que as igrejas promovem derem prejuízos, como o padre ou o pastor vão sobreviver? Como  vão reformar o local que você frequenta ou para as crianças que fazem catequese? Como elas vão investir em melhores equipamentos para os músicos?

Pense numa ONG: como ela vai manter seus projetos sociais se as doações forem menores que a soma de seus custos? Como ela vai contratar pessoas? Que estrutura ela dará para os voluntários?

Pense também no governo: imaginemos que não há corrupção. Um governo que gasta mais do que arrecada, vai atrasar salários, não vai ter dinheiro para merenda escolar, não vai ter dinheiro nem para comprar agulhas para aplicar vacinas nos pacientes, não comprará armamento melhor para seus policiais e exércitos para enfrentar o crime.

Percebeu a importância e a benção que são os lucros?

Dinheiro obtido por corrupção, por roubo ou por fazerem as pessoas comprarem “gato por lebre”, isso sim é errado. Isso deve ser condenado e combatido veementemente.

Perceba que o lucro é importante para todo mundo crescer. A sua cidade cresce quando arrecada mais do que gasta e investe em benefícios sociais à população. A sua empresa cresce  quando investe o excedente de seus lucros. Você cresce quando investe em si mesmo. E o país cresce quando todos crescem e prosperam.

Então, se eu não te convenci completamente, pelo menos espero que um novo pensamento, um novo olhar, comece a surgir dentro de você. Pois, um bom sentimento que podemos ter pelos nossos semelhantes é a admiração de vê-los crescerem em suas carreiras e vidas.

Um grande abraço e como dizia um grande super-herói: “Para o alto e avante!“.


Fonte: Artigos Administradores / Pensar em lucro não é viver em pecado

Os comentários estão fechados.