PF cumpre mandados em escritórios de contabilidade como parte de operação Zelotes

PF cumpre mandados em escritórios de contabilidade como parte de operação Zelotes

“Com a medida, os investigadores esperam ter acesso a materiais que possam provar o envolvimento de 12 empresas e 11 pessoas físicas”, informou a Receita

(Reuters) – A Polícia Federal cumpriu nesta quinta-feira mandados de busca e apreensão em nove escritórios de contabilidade que prestam serviços a empresas investigadas no âmbito da operação Zelotes, que apura denúncias de manipulação de julgamentos do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

De acordo com a Receita Federal, que faz parte de uma força-tarefa ao lado do Ministério Público Federal (MPF), da PF e da Corregedoria do Ministério da Fazenda, os escritórios que foram alvo da ação funcionam no Distrito Federal, São Paulo e Rio Grande do Sul.

“Com a medida, os investigadores esperam ter acesso a materiais que possam provar o envolvimento de 12 empresas e 11 pessoas físicas com o esquema fraudulento que lesou os cofres públicos com o não recolhimento de impostos”, informou a Receita em comunicado.

Os investigadores responsáveis pelo caso analisam cerca de 70 julgamentos realizados pelo Carf no período de 2005 a 2013. Há suspeitas de que ex-conselheiros, servidores públicos e empresas de consultoria montaram um esquema para negociar o resultado desses julgamentos.

Segundo o MPF, os 74 julgamentos em análise somam 19,6 bilhões de reais que deixaram de ser recolhidos aos cofres públicos, dos quais seria possível recuperar cerca de 5 bilhões de reais.

O Carf julga em segunda instância recursos administrativos fiscais relativos a tributos cobrados pela Receita Federal. De acordo com o MPF, os integrantes do esquema de corrupção escolhiam processos de grande valor que estavam na pauta do órgão, buscando, em seguida, oferecer uma solução conveniente às companhias em troca de dinheiro.


Fonte: Notícias Administradores / PF cumpre mandados em escritórios de contabilidade como parte de operação Zelotes

Os comentários estão fechados.