PIL (Programa de Investimento em Logística). Será?

PIL (Programa de Investimento em Logística). Será?

“Não fazemos logística baseada em finanças. Na verdade o lado financeiro da logística nada mais é do que precisamos para concretizar todo um projeto elaborado por seus administradores”. Mas de fato, o financeiro não é a maior solução e veremos o por quê

O governo federal acaba de lançar recentemente o PIL (Programa de Investimento em Logística), programa este que “dá continuidade ao processo de modernização da infraestrutura de transportes do país e também atua na retomada do crescimento da economia” e seu investimento está previsto para cerca de 198,4 bilhões de reais. (Fonte: http://www.planejamento.gov.br/assuntos/programa-de-investimento-em-logistica-pil).

Cabe-nos uma pergunta em meio a todo este planejamento. Será que quem está à frente de todo este projeto entende de logística?

Como o nosso país vive uma crise de escândalos, temo este projeto ser alvo de apenas mais um. Diretamente ou indiretamente.

Para elucidar melhor este artigo estarei ilustrando uma pequena história que você talvez já tenha ouvido ou lido em algum lugar.

“Há uma famosa lenda de que os EUA gastaram milhões de dólares no desenvolvimento de uma ‘caneta espacial’, capaz de escrever de cabeça para baixo, para usar em suas missões, enquanto os russos simplesmente usavam um lápis”. (http://hypescience.com/e-verdade-que-a-nasa-gastou-milhoes-de-dolares-para-desenvolver-uma-caneta-espacial/)

Existem muitas outras versões onde palestrantes motivacionais a usam para ministrar em empresas, faculdades, conferências, etc. No entanto, eu particularmente gosto muito deste outra versão que ouvi um dia.

“Em uma das reuniões com os engenheiros mais renomados dos EUA, pautavam sobre o projeto de se desenvolver uma caneta especial que pudesse ser utilizada em sua missão espacial. Após horas, chega um faxineiro que se atentou na pauta, pediu licença e disse: Por que vocês não usam um lápis?”

O problema de nós brasileiros é justamente esse. A nossa cultura faz pensar que os maiores desenvolvedores de projetos, processos, inovações, são pessoas altamente gabaritadas no mercado, sem direito de opinião daqueles que tem um ensino médio ou se quer tiveram a um ensino fundamental concluído.

Somos um povo de cultura onde julgamos a sabedoria das pessoas por seu nível de estudo e fazemos deles grandes ícones (referência) no mercado em que atuam.

O que falta em nosso país são pessoas de caráter para dar oportunidades os outros, sem querer algo em troca ou traçar uma prejulgo sem antes ouvir as suas opiniões.

Na minha modesta opinião? Será simplesmente outros bi (repito –bilhões) que serão jogados num ralo em lugar qualquer, num dia qualquer e o pior, por pessoas qualquer. Pois, temos gabarito demais na mesa e muito pouco pessoas ou opiniões de quem faz a logística acontecer em nosso país à meio tanta crise e gargalos que encontramos no dia a dia. Envolvendo nossos modais, impostos, falta de segurança, etc.


Fonte: Artigos Administradores / PIL (Programa de Investimento em Logística). Será?

Os comentários estão fechados.