Planejamento orçamentário

Planejamento orçamentário

Breve estudo dos conceitos, importância e implantação do sistema orçamentário para o alcance dos objetivos organizacionais

O orçamento é a ferramenta de controle por excelência de todo processo operacional da empresa, pois envolve todos os setores da companhia.

Orçamento, para Stedry (1999, p. 22), é “a expressão quantitativa de um plano de ação e ajuda à coordenação e implementação de um plano”.

Orçar significa projetar para o futuro valores possível de acontecer, através do sistema de informação e da criação de um plano de contas gerencial.

O orçamento deve reunir diversos objetivos empresariais, na busca da expressão do plano e do controle de resultados. Portanto, o plano orçamentário não é apenas prever o que vai acontecer e seu posterior controle. Mas sim estabelecer e coordenar objetivos para todas as áreas da empresa, de forma que todos trabalhem sinergicamente em busca dos planos orçamentários. O mesmo também serve para tomar decisões diárias já que se tem o previsto e paralelo esteja realizando, ou seja, a comparação e análise entre orçado x realizado é de extrema importância para o alcance dos objetivos pré-estabelecidos e para tomadas de decisão gerencial.

O sistema orçamentário não é um instrumento de dominação. O valor do sistema está no processo de produzir os planos, e não nos planos em si. O sistema deve permitir correções, ajustes, revisões de valores e planos, ou seja, não pode ser inflexível.

Porém há quem diga que gasta-se muito tempo para elaborar um plano orçamentário, mas apesar das críticas, não há dúvida de que o plano orçamentário é vital para a atividade de controladoria e para a gestão econômica do sistema empresa.

O plano orçamentário é um ferramental de controladoria, sendo um exercício de aprendizado permanente e só pode ser desenvolvido e atingir um grau de utilização eficaz se praticado. Os problemas ou dificuldades que surgem do processo devem ser analisados e, em seguida, é preciso encontrar as soluções, mesmo que não sejam as ideais para o momento.

Para que o sistema de orçamento sempre tenha sucesso, é necessária a criação de uma cultura orçamentária, assim implantado em novos empreendimentos, em empresas que não tem um plano orçamentário detalhado já desenvolvido, o sistema terá sucesso dependendo do processo o qual será conduzido, bem como do tempo transcorrido e da prática orçamentária. Recomenda-se também que a prática orçamentária seja de forma participativa, assim fazendo um levantamento dos objetivos e ideias propostas pelos gestores da empresa.

É esperado que no primeiro ano da implantação de um sistema orçamentário surgem muitos problemas e dificuldades, tanto de ordem técnica de valores, como de adaptação ao sistema. Cada problema deve ser analisado para que sejam eliminados ou minimizados para o próximo exercício.

No segundo ano, novas dificuldades ou problemas ainda surgirão, se bem que em menor quantidade. Provavelmente, no terceiro ano o sistema orçamentário estará praticamente consolidado.

Uma prática orçamentária muito comum tem sido a de utilizar dados passados para projeções de situações futuras. Tal prática vem dando bons resultados, pois, de modo geral, os eventos passados são decorrentes de estruturas organizacionais já existentes e, por conseguinte, há forte tendência de tais eventos se reproduzirem, há também execução do orçamento de tendências quanto aos eventos passados de conhecimento da empresa, que não se repetirão e que, portanto, não serão reproduzidos no orçamento.

Após a elaboração do orçamento é necessário fazer o controle orçamentário, etapa essa em que serão confrontados dados orçados versus realizados, as variações ocorridas entre as mesmas permitiram fazer várias análises financeiras e econômicas. Assim corrigindo erros detectados e se for o caso ajustar o plano orçamentário para garantir o alcance dos objetivos organizacionais.

Caso queiram aprofundar no assunto, segue abaixo a referência bibliográfica.

Meu muito obrigado e até a próxima se Deus quiser. Abraços!

Referência Bibliográfica

Planejamento Orçamentário – 2º Edição Revista e Atualizada – Clóvis Luís Padoveze – São Paulo Cengage Learning, 2010.


Fonte: Artigos Administradores / Planejamento orçamentário

Os comentários estão fechados.