Por que é fundamental a tomada de decisão com base em dados?

Por que é fundamental a tomada de decisão com base em dados?

Este texto discute, de forma breve, a relevância da utilização dos dados em diversos processos e esferas organizacionais.

A ciência é, de longe, o único método confiável de tomada de decisões. Não é preciso ir longe para chegar a esta conclusão. Basta lembrar-se da vez em que você precisou de alguém para recomendar um remédio, consertar seu carro, arrumar um aparelho eletrônico que estava quebrado. A quem você recorreu? Aos cientistas. Melhor dizendo, aos profissionais que possuem sólida formação científica. Por que estas profissionais são referência naquilo que fazem? Pela sua elevada taxa de acerto. Nas suas abordagens, são eles que conseguem prover resultados com confiabilidade.

Mas isso parece ser óbvio não? Nem tanto. Apesar de sabermos disso, não transportamos este conceito para outras esferas da nossa vida nem para outros ambientes profissionais, exceto aqueles em que esta abordagem já é utilizada.

Nas organizações, há espaços em que o trabalho é feito com a utilização de métodos científicos, de ponta a ponta. Basta ver o pessoal da qualidade total trabalhando. O que é a qualidade total além de um método científico de planejamento, acompanhamento e correção? A qualidade total consolidou-se com a utilização de processo científico e, por isso, confiável, para a solução de problemas.

Hoje, ao avaliar empresas para as quais presto serviços, vejo que ainda estamos longe de compreendermos, de forma adequada, os benefícios que a tomada de decisões com base em dados pode trazer para as organizações. As pessoas compreenderam que os métodos científicos são importantes, mas por falta de formação de base, deixam estes métodos restritos aos espaços em que há alguma ferramenta gerencial previamente organizada para este fim. Não compreendem, de fato, que este é um processo que deve ser aplicado em todos os setores, de todos os departamentos, de toda a empresa. Com isso, temos “ilhas de excelência”, onde os engenheiros dominam os processos, mas muitas “zonas de sombras”, onde as pessoas sabem que o método é importante, mas não fazem extensivo uso e, com isso, não se beneficiam como deveriam.

Vou citar apenas um pequeno exemplo para deixar claro do que estou falando. Atualmente, ao participar de uma reunião, tenho uma planilha que serve para orientar o processo, desde a organização da pauta, até os encaminhamentos. Nesta planilha, todos os itens da pauta precisam ser descritos em uma coluna, todos os encaminhamentos, um a um, precisam ser descritos na coluna da frente com detalhamento de: Nome da pessoa que resolverá o problema, data para resolve-lo, gravidade do problema apontado, ações a serem implementadas e, por fim, uma coluna com o apontamento da solução, ou seja, se o problema foi resolvido ou não.

Sei que isto pode parecer pouco, mas está é apenas uma das ferramentas que utilizo para racionalizar, documentar e encaminhar soluções de problemas em situações muito corriqueiras que, se deixadas a cargo das pessoas no seu processo natural de trabalho, viram um festival de bate papo e de falta de objetividade, como é o caso das reuniões.

Assim como esta planilha de acompanhamento de reuniões, faço uso de muitas outras e vejo, com  freqüência, como as empresas, mesmo aquelas que já trabalham com métodos científicos, perdem tempo, energia e recursos por falta de aplicação de método adequado em outros departamentos que não aqueles atendidos pelo pessoal da engenharia.


Fonte: Artigos Administradores / Por que é fundamental a tomada de decisão com base em dados?

Os comentários estão fechados.