Por que investir em sua marca pessoal é estratégico antes, durante e após a crise

Por que investir em sua marca pessoal é estratégico antes, durante e após a crise

Descubra neste artigo como investir no seu maior ativo [sua marca pessoal] e faça com que a crise se torne uma oportunidade em sua carreira.

Toda economia passa por períodos de crise. Há alguns anos atrás, os Estados Unidos enfrentaram problemas financeiros, a não muito tempo a Grécia passou por uma forte crise e agora é a vez do Brasil. Como principais conseqüências da estagnação financeira e esfriamento do mercado, a concorrência entre profissionais torna-se cada vez mais acirrada, e conseguir manter a carreira progredindo torna-se desafio.

Tenho recebido diversos contatos e abordagens, especialmente via Linkedin, pedindo por apoio em recolocação, ou solicitando quais dicas e estratégias para se destacar e tornar-se atrativo no mercado.

Em uma entrevista, o palestrante motivacional José Luiz Tejon Megido afirmou que tempos de crise são necessários para garantir a evolução. Para profissionais, é necessário repensar sobre seu posicionamento e estratégias que são utilizadas para manter a carreira sempre ativa.

Para quem busca permanecer ‘ativo no mercado’, mesmo em um cenário econômico conturbado, gerenciar a marca pessoal a fim de mostrar-se como um profissional competente,  bem qualificado e atrativo, é uma estratégia que não deve ser dispensada para quem busca manter-se firme durante a turbulência.

Antes de qualquer coisa, Personal Branding trata-se da Gestão da Marca Pessoal. Sim, isso mesmo, assim como seu negócio precisa de gestão, você também precisa, uma vez que se posiciona como centro de sua estratégia, como influenciador. Assim como nos mais diversos investimentos, como a bolsa de valores, poupança, tesouro direito, entre outros, investir em si próprio é aplicar em um capital que o retorno depende exclusivamente do campo da aplicação: Você!

Comumente, profissionais estão sempre atentos a investimentos que gerem os melhores indicadores, sempre optando pelas melhores taxas internas, retorno no menor tempo possível. Contudo, muitas vezes acabam não se atentando para investir em um ativo que não deve ser deixado depreciar: A Marca Pessoal!

Quando falamos em Marca, falamos em valor, falamos em proposta de valor. Investir em sua Marca Pessoal é garantir um processo de agregação de valor contínuo, não apenas pontual. Realizar o gerenciamento da própria Marca é colocar seus recursos e seu tempo em algo que certamente trará retorno em curto, médio e longo prazo, uma vez que suas ações estejam alinhadas à sua estratégia. Muitos possuem dificuldades no “how to do” e fazem perguntas como: E agora qual o melhor caminho a seguir? Qual meu próximo passo? O que vou precisar para chegar lá? De quem vou precisar e por aí vai.

Os níveis de desemprego na atualidade encontram-se um tanto ‘alarmantes’ no Brasil, com mais de 8% de aumento no número de pessoas fora do mercado, segundo uma pesquisa da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), divulgada pela Folha de S. Paulo. Estes dados são os primeiros sintomas para alertar os profissionais a buscarem preparação para sobreviverem a esta crise.

Personal Branding: Como processo contínuo

Investir em Personal Branding em tempos de crise [na verdade minha recomendação é que seja constante, pois assim, não sentirá tanto impacto em épocas de maior fragilidade], significa buscar desenvolver e impulsionar a própria Marca Pessoal, de forma a criar aspectos de diferenciação perante a concorrência, objetivando conhecer quais são os pontos mais relevantes e interessantes a serem promovidos e qual valor você entrega para sua audiência, independente do mercado que está posicionado, de sua idade ou fase de vida.

Quer um exemplo prático? Vem a crise (de mercado), você decide investir então em um MBA fora do país, em um segundo idioma, em uma certificação, pois você se planejou e neste momento enquanto o mercado muitas vezes comunica para ser conservador, você vai lá e faz acontecer, daqui a pouco a economia retoma, o discurso muda e aquele seu concorrente que cruzou os braços e ficou com medo de movimentar-se olha para frente mas não consegue mais alcançá-lo, pois você foi rápido e teve ação enquanto outros esperavam para ver o que iria acontecer.

Lhe parece familiar este cenário? Quer seja um colaborador a investir na própria carreira, quer seja um empreendedor, uma pitada de ousadia e de riscos faz parte, você provoca seu olhar estratégico a todo o momento para pautar suas decisões e investimentos de acordo com as estratégias da sua marca pessoal, com base no posicionamento que deseja ocupar, sempre observando dois movimentos à frente em sua carreira.

Trabalhar seu Personal Branding também se relaciona em conhecer melhor quais são as competências e características intrínsecas em cada indivíduo, de forma a potencializá-las, desenvolvendo um profissional mais confiável, decidido e com uma visão clara de como alcançar os objetivos de carreira e principalmente como você fará a gestão de todos os seus recursos e oportunidades, quais indicadores estará acompanhando em sua carreira e negócios para identificar seus movimentos e progresso.

Investir em Personal Branding se trata de identificar, desenvolver e gerenciar algo que já faz parte de cada um de nós. Todos possuem uma Marca Pessoal, mas muitas vezes, ela está inerte, sem este olhar mais estratégico, de como utilizar nossos recursos (o que temos, o que somos, o que nos falta – para chegar onde queremos). Em muitos casos, a própria pessoa não conhece os principais aspectos que a diferencia das outras e este ponto precisa ser cuidadosamente trabalhado.

Como fazer para Impulsionar a Marca Pessoal?

Para investir e gerenciar a própria Marca é necessário primeiramente identificá-la. Para isso, é recomendável investir tempo em uma autoanálise, visando compreender quais são os principais aspectos que fazem de uma pessoa, que tornam este indivíduo único, com uma combinação de conhecimentos, habilidades e atitudes específicas ou até mesmo características físicas.

Após identificar quais aspectos formam a Marca Pessoal, é necessário buscar saber se a pessoa é reconhecida por estes pontos. O Personal Branding trabalha de dentro para fora, é mais um processo de desenterrar seu verdadeiro ‘Eu’ do que construí-lo, tornando aquilo que é tácito, explícito para todos em torno. Desta forma, conhecer o que é transparecido para o público, sua imagem, identificando por que o profissional é conhecido é de suma importância, pois permite ter informações para aperfeiçoar o gerenciamento da Marca.

Conhecendo o que a própria pessoa compreende sobre a Marca Pessoal, e identificar o ponto de vista do mercado, é necessário investir em aspectos para potencializar esta Marca. Para tal, é pertinente ter claro uma visão de onde se quer chegar a curto, médio e longo prazo.

Definindo a visão, basta traçar o caminho até o norte. Se tratando de Marca Pessoal, a promoção, comunicação e cuidados devem estar sempre presentes, este é o momento que o Marketing Pessoal entra em cena.  Esta fase requer dedicação de tempo e esforços, bem como, o acompanhamento e avaliação da potencialidade. Ferramentas e ações, como por exemplo, atuação em mídias sociais, participação em eventos corporativos, workshops e reuniões da área são oportunidades excepcionais para encontrar um público interessante para promover sua Marca Pessoal, desenvolvendo oportunidades para o profissional.

Mas não para por aí, as redes sociais, os colegas de trabalho, fornecedores, clientes, entre outros, todos fazem parte da network a ser trabalhada, uma vez que claro os objetivos estratégicos, caso contrário, pode-se fazer muito movimento, mas não necessariamente progresso. É importante esta avaliação constantemente. Nem todo livro é útil, nem todo evento é bom, nem toda conversa edifica. Tudo deve ser avaliado à luz de sua estratégia pessoal, seus indicadores e seus valores.

Quem tem dificuldades neste processo, pode/deve procurar um especialista na área, um profissional que possa ser o mentor desta jornada que inicia no autoconhecimento e termina em gestão, passando por um processo minucioso de planejamento.

Há muitos excelentes profissionais escondidos por detrás dos currículos, ou mesmo atrás de suas empresas, é necessário trazê-los à tona, revelá-los ao mercado, e torná-los diferentes, plenamente aptos para expor e serem reconhecidos pelo maior ativo intangível de qualquer ser humano: Sua Marca Pessoal!


Fonte: Artigos Administradores / Por que investir em sua marca pessoal é estratégico antes, durante e após a crise

Os comentários estão fechados.