Por que minhas ações não rendem?

Por que minhas ações não rendem?

Como a paixão pela profissão pode ajudar os profissionais a terem sucesso pleno em suas áreas

O título desse artigo é bem genérico e pode, neste primeiro momento, ter várias respostas sob infinitos contextos, mas na verdade existe somente uma resposta para essa pergunta, e a resposta é… Paixão.

Não quero declamar um poema, muito menos um relacionado a marketing, me refiro a paixão pelo que fazemos.

Muitas pessoas escolhem suas profissões sem terem a certeza do que realmente querem, e até mesmo sem saberem como é a dinâmica do mercado e como é realmente o dia a dia do profissional de tal área. E o preocupante é que muitas dessas pessoas podem sofrer de dois grandes males dessa nossa sociedade. Um deles é sobreviver em pé de guerra com todos na organização, devido a escolha de uma profissão que não tem a ver com seu perfil, e o outro é  permanecer na profissão errada durante anos, sendo torturado pela sua escolha e levando as pessoas próximas a você nessa viajem para o abismo.

Mas existe uma solução simples, rápida e reconfortante o bastante para mudar a vida profissional e pessoal de forma praticamente imediata.

Certa vez questionei uma cozinheira de uma empresa, como ela conseguia fazer as refeições tão saborosas e ela respondeu que era por causa da paixão que ela tinha em fazer a refeição.

Quando amamos o que fazemos, nós simplesmente fazemos o que amamos e fazemos muito bem.

Quando gostamos, nos empenhamos em fazer o nosso melhor, e ao nos desafiarmos a fazermos o melhor, estamos buscando a nossa própria felicidade.

Realizando nossas ações com atenção e com o carinho devido, sempre teremos um bom retorno e isso significa que no final do caminho, atingiremos o sucesso.

Mas não somente o sucesso para vencermos como profissionais, mas por que ao fazermos com paixão o nosso trabalho, obtemos o sucesso, porque fazemos as ações corretas pelo motivos corretos, e isso gera mais benefícios do que conseguimos mensurar.

Uma pesquisa recentemente divulgada no Mundo do Marketing, indica que, apesar de 72% dos profissionais de marketing entrevistados sentirem-se estressados pelo trabalho devido a equipes de trabalho reduzidas,  80% dos entrevistados não se arrependem da profissão que escolheram.

Esses números são impressionantes, pois apontam que apesar dos reveses da profissão, muitos profissionais gostam do que fazem, mas a dúvida é, quantos realmente amam o que fazem.

Em outra matéria sobre marketing social, publicada no Plugcitários, me deparei com o seguinte trecho… “Também exigem e cobram uma postura socialmente correta de suas empresas e marcas favoritas, influenciando diretamente o modo como uma empresa deve se portar. Hoje não basta para uma empresa apenas oferecer serviços e produtos. ”.

O artigo não está errado, na verdade o artigo é muito bem elaborado e nos agrega muito em valor cultural, porém, quero ressaltar que pensamentos como esse, de que as empresas devem agir com projetos sociais simplesmente por que está no mmv e/ou por que o público exige, não é o ideal, pois a ação não partiu de uma vontade verdadeira e sim por que alguém do marketing ou da diretoria notou que ações voltadas para a sociedade é o interesse do público alvo e realizam as ações somente por que sabem o retorno que garantirão aos cofres da empresa, se o fizerem.

Sei que os objetivos de uma empresa não são os mesmos de uma ONG sem fins lucrativos, e a proposta não é que todo profissional seja um bom samaritano, a proposta é simplesmente que você, como profissional, realize suas atribuições pelos objetivos corretos, pois são esses objetivos, com razões verdadeiras, que farão a diferença para a empresa e para os colaboradores.

Todos os profissionais de todas as áreas deveriam ter paixão pelo que fazem,  esse é o sentimento que traz resultados significativos e verdadeiros para o próprio profissional e para a organização em que ele está inserido.

Certa vez, um comediante norte americano disse “Por que o planeta terra parece mais o trabalho de um estagiário relaxado do que o produto de uma consciência superior, toda poderosa e sábia?”

O nome desse comediante é George Carlin, e apesar de que a citação fora direcionada a uma paródia sobre religião, o trecho é conveniente para a reflexão que desejo facilitar.

Você está fazendo o que nasceu para fazer? Será que suas ações permitem sua evolução e possibilitam a melhoria do mundo deixando sua significante contribuição pelos motivos corretos?

Por que uma estratégia de marketing ou um anúncio publicitário que contém tudo para ser um sucesso, falha ao final?

Pense um pouco e depois responda.


Fonte: Artigos Administradores / Por que minhas ações não rendem?

Os comentários estão fechados.