Por que não fechar negócios na euforia?

Por que não fechar negócios na euforia?

Você já comprou por impulso? Adquiriu algo sem necessidade e que desestruturou a sua vida financeira? Já estava prestes a fechar um negócio e algo o fez desistir? Comprar, em algum momento, lhe proporcionou extrema felicidade ou profunda tristeza?

Você já comprou por impulso? Adquiriu algo sem necessidade e que desestruturou a sua vida financeira? Já estava prestes a fechar um negócio e algo o fez desistir? Comprar, em algum momento, lhe proporcionou extrema felicidade ou profunda tristeza?

Estudos apontam que ficamos vulneráveis quando estamos com as emoções à flor da pele. Esses números consideram dois extremos. Um deles são os sentimentos positivos como alegria, autoestima elevada e o outro são os sentimentos negativos como, desânimo, apatia e depressão.

No primeiro caso, nos encontramos em um estado de euforia que é perigoso. Somos motivados por emoções sensacionais que nos fazem pensar que somos merecedores de tudo. Com isso, perdemos o discernimento e nos tornamos alvos dos estrategistas e profissionais vorazes em vendas.

Não menos influente, o segundo caso ocorre quando estamos em letargia profunda. A solidão, tristeza e abandono nos levam à busca de alívio, que muitas vezes se dá com um passeio no shopping. Em estado absoluto de caos emocional, somos novamente vítimas do consumo. As várias sacolas de compras que carregamos, além de desnecessárias, nos fazem experimentar um falso poder. Este empoderamento arrasa o nosso orçamento e causa conflitos inter e intrapessoais terríveis.

Emoções exacerbadas, sejam elas positivas ou negativas, desestabilizam. É nesse estado de euforia que cometemos desatinos que mais tarde irão comprometer metas cuidadosamente planejadas.

Muitas empresas adotam estratégias de vendas que provocam este estado de euforia nos clientes, com o intuito de fechar negócio. Nessas condições emocionais, de adrenalina intensa, perdemos a lucidez, mesmo que por alguns instantes. Diante da total vulnerabilidade, o vendedor age. Metas são alcançadas à custa do endividamento das famílias.  

É preciso considerar a máxima de quem já venceu este problema. Evite comprar por impulso. Respire fundo e desvie das lojas e suas vitrines.  Invista em uma atividade física, por exemplo. Assim você descarrega a adrenalina e alivia as emoções.

Os estados emocionais oscilam entre dois extremos. Quando estiver em algum deles, mantenha-se afastado do perigo do consumo, de toda satisfação que venha a exigir dinheiro. Não compre equilíbrio através de bens materiais.


Fonte: Artigos Administradores / Por que não fechar negócios na euforia?

Os comentários estão fechados.