Por que o Netflix funciona bem?

Por que o Netflix funciona bem?

O Netflix consegue entregar seu conteúdo em alta qualidade e sem congelamentos ou travamentos. Qual é a mágica ?

Primeiro país da América do Sul a receber o Netflix, em setembro de 2011, o Brasil já é um dos principais consumidores de conteúdo desta gigante que vem revolucionando a maneira que as pessoas assistem TV. Porém, uma das maiores preocupações dos brasileiros antes de assinar os serviços da Netflix é a péssima qualidade dos serviços de internet providos pelas operadoras no país. É claro que hoje já conseguimos assistir a um vídeo no Youtube sem precisar pausa-lo e esperar por 5 minutos para que o mesmo “carregue”, mas como acreditar que podemos ver vídeos em HD no Netflix com uma simples conexão residencial? Para surpresa de muitos o Netflix passou este obstáculo e conseguiu entregar seu conteúdo com qualidade e sem congelamentos ou travamentos mesmo em internets com velocidade consideras baixas e, 5 anos depois de sua chegada ao Brasil, se tornou febre no país.

Mas qual é a grande mágica do Netflix? É claro que a empresa desenvolveu aplicações extremamente poderosas que permitem que toda esta troca de arquivos aconteça de forma ágil, porém, diversos outros fatores demonstram o quanto a empresa se preparou para atender seu crescente mercado. Cito aqui 3 destes fatores:

Migração para Nuvem: Devido ao vertiginoso crescimento no número de seus usuários (hoje já são mais de 70 milhões espalhados em 130 países), o Netflix precisava de escalabilidade, disponibilidade e agilidade. Visando atender esta demanda, em janeiro de 2016 a empresa completou a migração de todo seu conteúdo para a Amazon Web Services (AWS). A necessidade de expansão de conteúdo e usuários, que antes dependia de diversos planejamentos junto área de TI e chegava a levar semanas ou mais, passou a ser rápida, já que a AWS permite a adesão e crescimento de novos ambientes em minutos. Esta migração fez também com que a empresa ganhasse em disponibilidade, já que a AWS concentrou este conteúdo em seus data centers espalhados em 3 regiões diferentes pelo mundo, sempre com ambientes totalmente redundantes. Para completar, a economia que a empresa fez com infraestrutura e equipe (já que o ambiente hoje fica na nuvem) possibilitou que maiores investimentos fossem feitos em outras áreas.

Transferência de conteúdo com Aspera: Para agilizar a transferência de arquivos com suas mais de 200 parceiras ao redor do mundo, a Netflix passou a utilizar o IBM Aspera, uma solução que possui seu próprio protocolo (chamado FASP) e que possibilita a transferência de arquivos de forma até 10x mais rápida do que o convencional.

Netflix Open Connect: Talvez o maior entre seus diferenciais, o programa Netflix Open Connect possibilita que as provedoras de internet que possuam um grande número de clientes utilizando os serviços do Netflix recebam de forma totalmente gratuita um Open Connect Appliance. Este appliance é um equipamento customizado pela Netflix e oferecido para servir de “intermediário” entre a nuvem da AWS e os computadores e smartphones dos clientes. Imagine se toda vez que você acessasse um vídeo em sua casa as Operadoras de Internet precisassem acessar a nuvem da AWS. Agora imagine os mais de 70 milhões de usuários do Netflix fazendo o mesmo?  Por mais robusta que seja a infraestrutura AWS, seria inevitável um gargalo neste serviço.  A Netflix, porém, disponibiliza o seu conteúdo dentro destes equipamentos e os fornece para as operadoras de internet ao redor do mundo, possibilitando que as mesmas busquem dentro destes appliances o que for requisitado pelos clientes. O Netflix disponibiliza o equipamento e oferece monitoramento e suporte técnico de forma totalmente gratuita para as operadoras.

Alguns números para que possamos ter uma noção do tamanho do Netflix hoje:

  • Presença em mais de 130 países
  • Mais de 70 milhões de usuários
  • Centenas de milhares de requisições por segundo
  • Mais de 1 milhão de horas de conteúdo por mês
  • Mais de 5 bilhões de dólares serão investidos em conteúdo próprio em 2016 (mais do que o dobro, por exemplo, de uma HBO)


Fonte: Artigos Administradores / Por que o Netflix funciona bem?

Os comentários estão fechados.