Por um mundo mais pessimista

Por um mundo mais pessimista

Os princípios da autoajuda vão contra o que vou escrever, mas particularmente, vou fazer isso porque acredito que a autoajuda não ajuda muito

Nos tempos mais recentes existe uma cobrança exacerbada em sermos felizes, em postar pratos bonitos, viagens caras e baladas renomadas, mas no fim das contas nada disso nos faz crescer de verdade. Ao termos a liberdade de entrar no Facebook e postar o que quisermos, obviamente disponibilizamos o melhor da vida e cá entre nós, na maioria das vezes nem é nossa vida de verdade. Todas as pessoas são felizes no Face, como diz o Historiador Leandro Karnal, ninguém posta “brochei”.

Qual o problema de ser feliz ao extremo no face? Nenhum, mas se levarmos em consideração que para saber se estamos bem nos comparamos a um padrão social, obviamente estamos nos comparando a um padrão utópico, visto que o maior contato das pessoas atualmente acontece de forma virtual.

A reflexão nem é esta, na verdade o que interessa é que a felicidade contínua não existe, se a felicidade fosse constante não a perceberíamos, para sentir a felicidade é preciso que ela seja diferente dos outros momentos, podemos ter instantes de felicidade diariamente, mas não o dia inteiro, felicidade é quando sentimos a vida vibrar, enxergamos as coisas de forma diferente e o tempo passa de forma acelerada ou em câmera lenta, é um instante satisfatório e necessário a todo ser humano, mas improdutivo e estagnado. O problema não é a felicidade, muito pelo contrário, o problema é ser obrigado a ser feliz.

O ser humano se torna produtivo e auto desenvolvente quando está em momentos de conflito, quando está carregando uma cruz ou quando o mundo não aplaude as suas ideias, é nesses momentos que nos superamos. A dissonância cognitiva é um elemento que, através da busca pela satisfação ou equilíbrio, nos torna maiores, mais realizados e, no fim das contas mais felizes. Não existe felicidade sem sofrimento, atrito e algumas pancadas!

O que quero mostrar de fato é que o pessimismo é necessário, não entenda pessimismo como reclamação, tristeza ou só ver o lado negativo das coisas, mas sim como ter atitudes realistas e assertivas. Curta o instante de felicidade, mas cuidado para não ficar buscando isso a todo momento e incessantemente tentar mostrá-la pra os outros, isto pode lhe tornar um ser insignificante e sem crescimento.


Fonte: Artigos Administradores / Por um mundo mais pessimista

Os comentários estão fechados.