Prefiro Punta Cana

Prefiro Punta Cana

Ainda no Brasil, o embarque para os EUA é muito mais complicado que para qualquer outro lugar. Até o cadeado da sua mala deve ser no padrão determinado.

Viajar aos Estados Unidos está cada vez mais complicado. Apesar das inúmeras tentações que este país gera nos brasileiros, além das excelentes ofertas de passagens aéreas que surgem quase todos os dias, o trabalho a que somos submetidos para ter o direito de pisar em solo americano é digno de se pensar em Fortaleza como opção.

Tudo começa com o visto. Parece que você está sendo indiciado pela Polícia Federal. Além do alto custo, principalmente para quem mora onde não há consulado, você precisa escancarar sua vida pessoal, profissional e financeira para tentar convencer os “avaliadores” que sua intenção é só passear e gastar seus dólares.

Ainda assim, na hora da entrevista, ele pode olhar para você e dizer simplesmente que “seu visto foi negado”. E não adianta ponderar que tem emprego, patrimônio e família no Brasil. Está negado e pronto. Ao invés de espernear, é melhor sair do consulado, entrar em uma agência de viagens e comprar uma passagem para Paris.

Mas você conseguiu o visto e vai viajar. Prepare-se! Ainda no Brasil o embarque para os EUA é muito mais complicado que para qualquer outro lugar. Até o cadeado da sua mala deve ser como eles querem. E ao chegar lá, prepare-se de novo: são raios-X, scanners, revista de malas, filas intermináveis, novas perguntas na imigração e o risco de, mesmo com visto, encrencarem com você.

Já viajei muitas vezes aos Estados Unidos, nunca tive visto negado e admiro este país. Lugares como Nova York ou Las Vegas merecem ser conhecidos. Sem falar na Disney, em São Francisco e Nova Orleans, entre outras. É um país que deu certo!

Mas confesso que ando meio cansado de tantos procedimentos. Como um dos meus lemas de vida é “simplificar sempre”, tudo o que complica me causa rejeição. Melhor ir à Punta Cana. Da última vez que estive por lá, minha experiência na imigração foi bem diferente.

 Apresentamos os passaportes ao oficial de imigração da República Dominicana e, ao constatar que éramos brasileiros, ele nos pergunta se gostávamos do Roberto Carlos. Dissemos que sim e aí, ao estilo Luiz Miguel, ele cantou um trecho de “Amada Amante” e, com um sorriso agradável nos disse: “Benvenidos a Punta Cana!”. Quanta diferença!

Viajar é sempre bom. Ainda mais quando as únicas preocupações são se as fotos estão bacanas e em qual restaurante vamos jantar.


Fonte: Artigos Administradores / Prefiro Punta Cana

Os comentários estão fechados.