Profissional do(e) futuro

Profissional do(e) futuro

“Cada vez mais o mercado exige um elevado grau de desenvolvimento pessoal e profissional”

Enfrentando o mercado de trabalho depois dos 40 anos

Manter-se competitivo após os 40 anos é uma tarefa que exige dedicação e determinação por parte do profissional. É, sim, possível fazer da experiência acumulada em anos uma aliada, um diferencial profissional. Para isso, características importantes não podem deixar de existir com o passar dos anos: capacidade de inovar, flexibilidade, disponibilidade de conhecer coisas novas e interesse em investir tempo e dinheiro na carreira. Um número cada vez maior de profissionais com mais de 40 anos busca se especializar e desenvolver habilidades que favoreçam sua competitividade. Muitos deles resgatam seus diferenciais mediante um Processo de Coaching. Essa é a única maneira de o profissional não se tornar “descartável”.

Como ingressar no mercado de trabalho do futuro? 

Cada vez mais o mercado de trabalho exige um elevado grau de desenvolvimento pessoal e profissional. A empregabilidade depende, e muito, da capacidade de inovar, flexibilidade, disponibilidade de conhecer coisas novas, bem como capacidade de se relacionar e produzir em equipe. O desenvolvimento profissional pode ser obtido através de cursos regulares, leitura, coaching, especializações e intercâmbio profissional no exterior. Falar inglês é imprescindível para o profissional que deseja ter boas oportunidades. O desenvolvimento pessoal torna-se cada vez mais importante, e é também comum encontrarmos profissionais buscando oritentação para saber lidar com o estresse, conflitos, alto nível de exigência e ansiedade que o mundo corporativo e globalizado impõe a todos. O desenvolvimento pessoal dará à pessoa a capacidade de formar um networking sadio, mantendo bons contatos, ampliando sua rede social sem constrangimento e na medida certa.

A incapacidade de lidar com as emoções acaba com muitas carreiras

A dificuldade em lidar com situações que envolvam sentimentos, capacidade de conciliação, estresse, confiança e reconhecimento tem levado muitos profissionais a quadros depressivos, de baixa motivação, de confusão quanto à sua escolha profissional, baixa estima e insegurança quanto à sua capacidade. Ainda hoje encontramos, grupos e até mesmo empresas que insistem em dissociar o trabalho da pessoa. A equipe de trabalho se ressente e tem seu desenvolvimento prejudicado quando acontecem situações de demissão no grupo, doenças, pressão desmedida, conflitos, e estas são vistas com desdém. O auto-conhecimento, o entendimento das emoções e sentimentos, são primordiais para o equilíbrio e desenvolvimento do profissional. Todo o planejamento de carreira deve considerar estes fatores.

Como ser desejado pelo mercado?

Em primeiro lugar, fazer uma análise do que o mercado está exigindo dos profissionais de sua área. Identificar competências, entendidas aqui como um conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes a serem desenvolvidas, trará para o seu currículo  um diferencial. Também é muito importante cuidar de seu desenvolvimento pessoal e networking. 

Qual a melhor forma de manter uma equipe motivada?

Levar em consideração as necessidades do grupo e de cada pessoa. Uma das maneiras de realizar isso é através de um plano de carreira detalhado, e de avaliações de desempenho, onde quem está sendo avaliado pode falar, expor dificuldades e expectativas. A equipe precisa encontrar atividades que representem desafios e crescimento, isso sem deixar de considerar a satisfação das necessidades individuais importantes, como salários, benefícios, programa de incentivos, lazer, relacionamento com o grupo e família.

E você, está preparado? Pense Nisso! 


Fonte: Artigos Administradores / Profissional do(e) futuro

Os comentários estão fechados.