Qualidade de vida no ambiente de trabalho

Qualidade de vida no ambiente de trabalho

A competitividade nas empresas está cada vez maior, e os clientes internos, que no caso são os colaboradores, são primordiais, pois eles fazem parte do sucesso ou fracasso da mesma, estão dia a dia e é necessária uma qualidade de vida adequada e integra para que possam realizar suas atividades de forma justa e agradável

Em um ambiente de trabalho, a qualidade de vida é essencial, pois é a percepção do bem-estar e está associada à ética das condições humanas, quando se atua nesse tema sempre surgem muitos conceitos e idéias. Está relacionada com as condições e a valorização do trabalho e do cargo ocupado pelo funcionário, cuidados com a saúde física e psicológica, definição de procedimentos e zelo pelos bons padrões de relacionamentos também fazem parte desse conceito. Para isso, foi criado a G-QVT (Gestão da Qualidade de Vida no Trabalho) que é a capacidade de administrar as ações, inicia com um diagnóstico, depois a implantação de inovações e melhorias, estruturais ou tecnológicas do ambiente, buscando um clima organizacional agradável priorizando as pessoas e o bem-estar da organização.

Nas empresas, há três níveis de atuação: Gestão Estratégica de QVT, Gestão Gerencial de QVT, e a Gestão Operacional de QVT. A Gestão Estratégica é quando está declarada na política e missão da empresa, com a imagem corporativa, é o processo de execução e desenvolvimento de uma série de ações as quais são competitivas para ampliar o sucesso da empresa, tanto no futuro como no presente. A Gestão Gerencial é quando a ênfase é nos objetivos, na produtividade organizacional e nas metas, os gestores tem a responsabilidade de atribuí-las aos demais funcionários. E a Gestão Operacional é quando há ações planejadas ou reativas, visam à conscientização de novas práticas.

Segundo Chiavenato (2004) a gestão da qualidade total em uma organização depende fundamentalmente da otimização do potencial humano. E isto depende de quão bem se sentem as pessoas trabalhando dentro da organização.

De nada adianta, a empresa ser um “sucesso” no mercado, e no interior dela conter funcionários desmotivados, insatisfeitos, e sem vontade de executar seu trabalho. A satisfação e o bem estar devem continuar passando de tornar-se apenas teoria e ser praticada cada vez melhor.

Entre os muitos fatores que implicam a melhoria na qualidade de vida no trabalho, segue abaixo algumas ações que podem ser implantadas:

Uso e desenvolvimento de capacidades;

Integração social e interna;

Respeito à legislação;

Condições de saúde e segurança no trabalho.

A QVT visa satisfazer as necessidades do colaborador durante o processo de execução de suas atividades na empresa através de ações para o desenvolvimento tanto pessoal como profissional.

Conforme esclarece Chiavenato (2004):

“Assim, a competitividade organizacional passa obrigatoriamente pela qualidade de vida no ambiente de trabalho. Para atender ao cliente externo, não se deve esquecer o cliente interno”.

A competitividade nas empresas está cada vez maior, e os clientes internos, que no caso são os colaboradores, são primordiais, pois eles fazem parte do sucesso ou fracasso da mesma, estão dia a dia e é necessária uma qualidade de vida adequada e integra para que possam realizar suas atividades de forma justa e agradável, alcançando o seu próprio bem estar e dos demais, sentindo-se satisfeito, não trabalhando somente por condições financeiras/benefícios e sim por sentir-se realizado com aquilo que se faz.

Chiavenato, Idalberto

Recursos Humanos: O capital humano nas organizações / Idalberto Chiavenato. – 8. ed. – São Paulo: Atlas, 2004.

 


Fonte: Artigos Administradores / Qualidade de vida no ambiente de trabalho

Os comentários estão fechados.