Quatro aspectos importantes para se refletir neste momento de crise

Quatro aspectos importantes para se refletir neste momento de crise

A ideia é debater sobre situações que nós empreendedores passamos no cotidiano e precisamos agir rápido principalmente agora na crise. Aguardo sua participação!

Muita gente pergunta minha opinião até onde essa crise vai. Por mais que a gente leia comentários dos estudiosos da Economia não percebemos realmente se já ‘chegamos ao fundo do poço’. Como empreendedor tenho vivenciado inúmeras situações e resolvi compartilhar algumas vivências e acredito que muitos poderão trazer suas experiências para ajudar a ilustrar ainda mais nosso debate.

Falta de crédito

Nós microempreendedores temos uma grande limitação: capital de giro. Essa palavra afeta diretamente qualquer empresa por necessitarmos agir em situações adversas: perda de clientes, uma manobra para aquisição de insumos, investimento em compra de um equipamento que pode alavancar o negócio. Esses exemplos são reais e ficamos estagnados, algumas vezes, por falta de dinheiro na mão. Os bancos estão cada vez mais cautelosos (para não usar a palavra rígido) na liberação de qualquer possibilidade de crédito. Costumo escutar a expressão “só emprestam dinheiro a quem tem dinheiro”. Infelizmente é a mais pura verdade. Os bancos públicos exigem garantias como 130% do capital desejado, várias restrições sobre a saúde financeira da empresa e, se sua empresa conseguir passar por todos esses pontos, ainda será avaliado se conseguirá ou não. Vale salientar que as taxas de juros não estão baixas girando em torno de 5% ao mês, na melhor das hipóteses. Fiz recentemente uma avaliação com uma financeira e me ofereceram R$ 80mil a juros de 20% ao mês! Parece brincadeira mas é verdade. Minha opinião é que precisamos pensar muito se vamos conseguir manter os financiamentos em dia, se podemos segurar um pouco o investimento ou aquisição deste capital de giro. O dinheiro está ‘muito caro’ neste momento. É muito importante ter cautela sobre empréstimos.

Flutuação na carteira de clientes

A visão geral de todos é conter seus gastos e investimentos. Todos estão buscando ser um ‘atirador de elite’ em suas ações. Antes poderíamos ousar um pouco mais, arriscar em alguns momentos mas na atual situação qualquer movimentação das peças no tabuleiro pode gerar um xeque mate. Em geral todos estão perdendo clientes. Percebemos as lojas com poucos visitantes, imagine compradores. Os setores da Construção Civil e Automobilístico receberam um forte impacto nesse momento de contenção de consumo das pessoas. Temos exemplos aos montes.

Como microempreendedor o que tenho tentado é manter a calma e não parar de prospectar novas possibilidades. A flutuação vai acontecer de forma mais intensa que antes. Todos estão passando pelo mesmo aperto. Os conceitos de Eric Ries sobre ‘negócio enxuto’ (na realidade utilizamos muito esse conceito em Startups) está na crista da onda nesse momento. Precisamos agregar mais valor ao nosso produto e/ou serviço e demonstrar de forma muito clara não apenas os nossos diferenciais competitivos mas também como nosso negócio pode contribuir com o crescimento e, em alguns casos, a sobrevivência do seu parceiro. Utilizo muito esse conceito para contrapor a ideia apenas de cliente. Muitas vezes não damos a devida atenção. Já a parceria é tratada e, efetivamente devemos agir dessa forma, nos preocupando em manter o relacionamento onde ambos irão ganhar.

Encontrar os colaboradores e não funcionários

Talvez seja um dos principais pontos. Nenhuma empresa está precisando de um cara que não esteja preocupado no crescimento dele e do negócio que está envolvido. Na realidade as empresas precisam de pessoas que se preocupem em contribuir com a sobrevivência do negócio. Se forem minimamente inteligentes vão olhar ao redor e perceber que está muito difícil conseguir um novo emprego. Se forem demitidas terão dificuldade de serem recolocadas.

A máxima de Philip Kotler sobre “economizar seis vezes mais mantendo um cliente do que conquistando um novo” serve de analogia sobre manutenção dos colaboradores. É muito caro treinar novos integrantes. É muito difícil encontrar pessoas que realmente vistam a camisa. Precisamos avaliar nosso grupo interno, pensar em gestão das competências das equipes, refletir sobre a capacidade de contribuição de cada um para a organização. São muitos os aspectos para debatermos sobre esse ponto mas um conceito do Vale do Silício pode nos fazer pensar um pouco: “contrate devagar e demita rápido”. Um funcionário vai pesar diretamente no seu custo, um colaborador te fará pensar.

Onde eu posso enxugar?

Você visita uma loja e o ar condicionado está desligado. Um calor insuportável e desiste da compra devido ao incômodo. Na loja vizinha, climatizada, você encontra o que deseja e leva pra casa o que estava procurando sem se sentir fedorento. Parece ficção mas esse breve relato tem acontecido muito. “Desligar o ar” talvez não seja a solução para economia que você está precisando na sua empresa. Realizar uma análise criteriosa sobre suas despesas variáveis e fixas e se questionar se tudo ali é realmente necessário ou pode ser redesenhado, reavaliado é muito mais importante. Sempre é possível encontrar ajustes. Nesse momento todos precisamos nos unir, corpo estratégico e operacional, para pensar formas de apertar o cinto. Está claro para todos que é um momento difícil. Se alguém não está percebendo é porque está precisando rever suas posturas ou buscar uma nova oportunidade. O momento de sacrifício é necessário e temos um diferencial muito grande em relação a outros países: criatividade. Já tive oportunidade de visitar vários países a trabalho e sempre me chamou a atenção as pessoas terem um pensamento engessado. Não estão acostumados a crise como nós brasileiros. Infelizmente, tivemos que aprender a lidar com essa situação e somos mais fortes por isso. Vamos todos usar essa facilidade a nosso favor!

Seria muito interessante que outras pessoas pudessem contribuir e ajudar a enriquecer esse texto com outros pontos importantes e ideias onde podemos agir para fugir da crise e manter nossos negócios vivos. Aguardo sua contribuição. Um forte abraço!


Fonte: Artigos Administradores / Quatro aspectos importantes para se refletir neste momento de crise

Os comentários estão fechados.