Regulamentação vai impulsionar mercado de drones

Regulamentação vai impulsionar mercado de drones

Empresário aponta novas oportunidades que deverão surgir com novas regras

A proposta de regulamentação para Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs), mais conhecidos como drones, divulgada ontem (dia 2) pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), deve impulsionar o mercado desses equipamentos no país. A cadeia produtiva do setor, formada por fabricantes brasileiros, importadores e prestadores de serviço, aguardava com ansiedade o documento da agência.

“O fabricante brasileiro precisa de mais investimentos para crescer internamente e exportar, com captação de recursos de fundos como uma das alternativas. Com a regulamentação da atividade para usos profissionais, a insegurança jurídica desaparece e o mercado tende a sair da fase embrionária que se encontra para crescer exponencialmente”, analisa Emerson Zanon Granemann, diretor da MundoGeo, empresa que realiza a feira Drone Show Latin América.

Segundo ele, vários fabricantes globais aguardavam esta regulamentação para entrar no país. “O Brasil tem um grande potencial de uso de drones por profissionais dos setores de mapeamento e monitoramento nas áreas de mineração, óleo dutos, gasoduto, distribuição de energia, construção civil, segurança pública e privada, transportes, meio ambiente e principalmente agricultura”, afirma.

O executivo aponta ainda mudanças no setor, com a ampliação dos prestadores de serviço. Segundo Granemann, eles estão se multiplicando, migrando da filmagem de casamentos e festas para aplicações dos drones em outras áreas com maior valor agregado.

O executivo destaca ainda outros setores que devem se beneficiar com a ampliação da oferta desses serviços. “Importante salientar que esta tecnologia não se resume ao Veículo Aéreo Não Tripulado (VANT), mas também todos os sistemas de sensores, que em muitos casos são extremamente sofisticados para coleta de dados. Existe a tecnologia de comunicação entre os drones e a estação de controle que permite não só orientar o aparelho, mas também processar as imagens enviadas permitindo a tomada de decisão”, explica.

A formação do piloto para certas operações, que deverá ser habilitado através de cursos específicos, também deverá gerar oportunidades de negócios. “Tudo isso proporcionará a criação de muitos empregos, para pilotos, especialistas em robótica e mecatrônica, para desenvolvimentos e manutenção dos equipamentos, desenvolvedores de sistemas de navegação e processamento de dados”, analisa o executivo.

Granemann olha com muito otimismo para o futuro do mercado com as novas regras. “Com a nova regulamentação prestes a ser oficialmente lançada, teremos uma enxurrada de novas empresas, que já estavam sendo criadas por empreendedores para prestar as mais variadas aplicações, pois agora muitos se sentirão mais seguros em investir”, prevê.

Para ele, a tecnologia de drones veio para ficar. “Será uma das mais importantes deste século XXI. Como quando a internet nasceu, poucos previam o que ela poderia fazer. Com os drones acontece algo parecido. Provavelmente, existirão muitas aplicações novas que nem imaginamos ainda. Esta regulamentação da ANAC é um primeiro passo para regulamentar uma tecnologia que vai crescer muito e com certeza novas regras deverão ser criadas”, conclui Granemann.


Fonte: Notícias Administradores / Regulamentação vai impulsionar mercado de drones

Os comentários estão fechados.