Socorro!

Socorro!

Faça tudo o que puder para cumprir com suas atividades, ao se esbarrar com algo que vai comprometer a sua entrega, seja humilde, peça SOCORRO para quem realmente pode te ajudar

Instintivamente temos o impulso de pedirmos SOCORRO em situações normalmente de risco pessoal, situações onde nossa integridade física está sendo ameaçada ou até mesmo em casos mais extremos, como quando estamos correndo risco de vida.

O que estou provocando hoje está diretamente relacionado a “situação natural” versus a “situação aplicada”.

Estou chamando de situação natural todas as medidas que tomamos pelo nosso instinto de sobrevivência conforme mencionado acima e que nos trazemos de nossa auto defesa desde que nascemos, basicamente aprendemos a chorar para ganharmos o nosso alimento, depois aprendemos através de experiências corporais o que nos leva a dor e o que nos dá prazer. Mais tarde em nossas vidas, nos colocamos em testes de quanto aguentamos certas atividades e o quanto nosso corpo suporta nossa vontade de exercermos atividades das mais diversas.

Quando qualquer situação desta acontece para o lado negativo, ou seja, quando experimentamos e de alguma forma nos ferimos com o processo, pedimos SOCORRO de imediato, nos curvamos rapidamente e vamos em busca de alguém que possa nos orientar, nos apoiar ou ainda nos dar um parecer do que acontece com nossa vida.

Agora quando estamos expostos a situações aplicadas, tudo isso muda bastante para a maioria das pessoas.

Primeiramente explico o que chamei de situação aplicada, são aquelas que nos deparamos no nosso dia a dia, como exemplos : são nossas dificuldades de compreensão de um determinado assunto, a nossa falta de conhecimento sobre algo que nos deram para fazer, uma dificuldade de relacionamento com pessoas que são importantes para o nosso convívio, uma atividade que resolvemos aceitar e nos deparamos com dificuldades que eu não esperávamos ter para conseguir concluir a tarefa, e muitas outras situações que nos deparamos geralmente por inicialmente acharmos que uma determinada atividade estava coberta pelas nossas competências e de repente nos deparamos com dificuldades que não tínhamos imaginado para entregar a tarefa.

Esta situação leva grande parte das pessoas a se desesperarem e cometerem muitos erros, o que acaba comprometendo muito a imagem e o julgamento dos que fazem parte da vida profissional desta pessoa.

Geralmente as pessoas tentam solucionar sozinhas suas atividades demandando muito mais tempo e desgaste e quando resolvem perguntar como fazer, também o fazem de maneira equivocada, pois tem como primeira opção perguntar para pessoas que tem mais afinidade e não para pessoas que tem mais competência para ajudar no assunto que está sendo abordado. Neste momento, acaba acontecendo o segundo grande problema, já que geralmente a pessoa que é solicitada para ajudar se sente tão importante com o gesto que provavelmente tentará dar uma resposta sem saber corretamente o que falar …… já imaginou onde isso pode chegar?

De repente …… todos começam a dançar uma música totalmente fora do ritmo e ninguém mais sabe o que fazer para voltarem ao normal.

Em épocas como as que estamos vivendo, onde quase todos tem medo de expor suas dificuldades com medo de serem julgados erroneamente como incompetentes, este tipo de situação ocorre com mais frequência do que se imagina.

Te garanto que as pessoas que lideram outras pessoas, adorariam minimizar erros podendo ser uteis no aconselhamento quando o projeto e/ou atividade emperram.

Obvio que temos que ter atitude para fazermos nossa parte e não ficarmos o tempo todo dependendo do que vão nos passar como conduta ou conteúdo, o importante aqui é enfatizar que depender de informação dos outros seja lá por qual motivo e não pedir SOCORRO para estas pessoas é um dos maiores erros que você pode cometer, pois ao não se expor desta maneira, acabará se expondo muito mais quando suas responsabilidades não forem cumpridas.

Só que neste momento vai ficar muito difícil obter a ajuda de quem você já prejudicou.

DICA : faça tudo o que puder para cumprir com suas atividades, ao se esbarrar com algo que vai comprometer a sua entrega, seja humilde, peça SOCORRO para quem realmente pode te ajudar sempre levando em consideração a capacidade da pessoa e não o seu nível de liberdade com seus colegas de trabalho.


Fonte: Artigos Administradores / Socorro!

Os comentários estão fechados.